Consultor Jurídico

Comentários de leitores

12 comentários

Excelente atitude do deputado Wigberto Tartuce,...

sodre (Professor)

Excelente atitude do deputado Wigberto Tartuce, o qual não conheço. Justifico minha concordancia pelo fato de verificar todo tipo de estímulo sexual e falta de censura ou escrúpulos morais nos costumes e valores brasileiros e mundiais (sobretudo alguns paises da europa) aliado com leis ultra-conservadoras e bastante moralistas que dominam sobre a mesma população estimulada. Esta "fórmula" só poderia resultar em um montulho e fábrica de detentos e de "anormais" psicopatas "odiosos" Se o Estado não repreende a pornografia, apenas manda que usem camisinha " e tudo bem" , é dever do mesmo negligente Estado, prover recursos que compensem a liberação destes estimulantes do que ele avaliará como crime. Se os filmes, cenas, mentalidade libertina e promiscua devem continuar sob a égide de liberdade de expressão, então que se dê ao menos uma opção de vida aos que caem mais fundo nesta desgraça estimulada.

Cara Neli Eu trato de TPM há quase trinta an...

Band (Médico)

Cara Neli Eu trato de TPM há quase trinta anos, em tudo que é tipo de situação! Não entendo porque você não prestigia as mulheres se identificando como procuradorA! Ainda mais que existe o feminino de procurador! "Os fatores biológicos que, atuando sobre a mulher, influenciam essa criminalidade, como a menopausa, a menstruação, a gravidez são especificidades que contribuem para o aumento da criminalidade feminina, sem contudo, ser uma causa exclusiva desta. Mas é com base em fatores sócio-estruturais que os estudos mais recentes procuram justificar a diferença dessas taxas de criminalidade entre homens e mulheres." A Evolução da Posição da Mulher na Sociedade e o Aumento da Criminalidade Feminina Shelley Macias Primo Alcolumbre Advogada, Mestranda em Direito do Estado pela Universidade da Amazônia – UNAMA (Belém – PA). Pós-Graduada em Direito do Estado e em Direito Penal e Processual Penal pela Universidade Estácio de Sá/RJ.

Band (Médico O senhor escreveu estupro errado...

Neli (Procurador do Município)

Band (Médico O senhor escreveu estupro errado... Não sou homem,mas mulher! No passado tive oito sintomas de TPM,quando tomei os medicamentos corretos os sintomas desapareceram.Então,quando falo sobre TPM é em causa própria.Não são todas as mulheres que têm.

Caro Procurador Neli Estuprar é o ato de que...

Band (Médico)

Caro Procurador Neli Estuprar é o ato de quem estupra, ou pratica o estupro em alguém!! Não entendi a sua observação. E existe pelo entendimento dos juristas o simples e o qualificado! Geralmente o primeiro caso e na família dos outros, e o segundo na família do magistrado! A culpa da TPM foi imputada pelos criminalistas como justificativa do aumento de crimes femininos no período pré-menstrual. Independente dos sintomas em particular. Quanto a não olhar para as mulheres com TPM como suficiente, que digam os colegas, filhos e maridos das mesmas! Fora as que se autodiagnosticam sozinhas! Abraços

1) Acho que estupro deve ser prisão perpétua, a...

ERocha (Publicitário)

1) Acho que estupro deve ser prisão perpétua, assim como assassinato e sequestro. 2) Como disse o Band, a lei garante a criminosos o que os mesmo não garentem a vítima. No fim, somos vítimas da lei e abençoado pelo Maluf que diz estupra mas não mata. O país besta o nosso heim... putz...

Sou mais favorável à punição que existia no Imp...

Neli (Procurador do Município)

Sou mais favorável à punição que existia no Império: castração do animal racional! Se o Poder Legislativo fosse composto por mais mulheres,não haveria essa punição abrandada aos criminosos sexuais. Band: 1-é estupro e não como o senhor escreveu! 2- "toda TPM"... isso é genérico! Existem mais de oito distúrbios relacionados à TPM...cólicas,dores nos seios,dores de cabeça,depressão,agressividade,angústia,tontura,etc Têm mulheres que não tem nenhum sintoma da TPM,outras são "premiadas" com quase todos,outras ainda que tem só um ou dois sintomas...basta tomar medicamentos (de preferência natural),que ameniza isto. O normal é não ter TPM. E,com todo respeito,nada tem a ver com a agressividade dos animais racionais nos crimes sexuais. A mulher não saí por aí"quando está na TPM" agredindo a ninguém,aliás, basta não olhar para ela ...

Caro Richard Smith Existe duas séries de fil...

Band (Médico)

Caro Richard Smith Existe duas séries de filmes nos canais pagos sobre os presídios americanos! Eu queria ver estes defensores da vida e da eliminação da pena de morte se eles fossem obrigados a ser os carcereiros destes psicopatas e assassinos que ficam enjaulados apenas esperando a oportunidade para matar ou currar outro colega de prisão, ou matar um guarda. Assim como ficam tentando descobrir sobre as vidas dos carcereiros e carcereiras para atingir a sua vida lá fora! É fácil ser pelos direitos humanos em volta de livros encadernados de couro, sentado em cadeiras giratórias forradas em couro e protegidos preferencialmente pelos policiais! Quero ver é tendo como ocupação conviver diariamente com a escória da sociedade que existe em qualquer regime de produção e político! É fácil ter esgotos e cloacas quando são os outros que vivem para limpar!

Interessante que o inciso XLIX do art. 5º garen...

Band (Médico)

Interessante que o inciso XLIX do art. 5º garente aos presos o que eles não garantem as vítimas! Mas a questão é se é uma opção voluntária! Poderia-se simplesmente negar esta opção para o mesmo?

A informação está completamente equivocada. Não...

Band (Médico)

A informação está completamente equivocada. Não se trata da castração química, pois não teria o mínimo sentido estuprar e não engravidar apenas, como defenderia o nosso Maluf nas suas máximas e mínimas! Trata-se na verdade o uso de antitestosterona para que o infrator tenha diminuição da libido e consiga se comportar naturalmente sem agredir ou cometer ataques sexuais! Devemos lembrar que o hormônio da agressividade é a testosterona, que funciona até em mulheres. Esta diferença que faz das mulheres muito menos propensas a criminalidade em geral e a sexual em particular! Mesmo com toda a TPM! Já foi utilizada na história a castração cirúrgica. Que por motivos humanitários, foi proibida! Sendo uma livre opção do paciente para poder voltar a viver em liberdade ou morrer numa cadeia, acho que é mais humanitário e menos hipócrita! A única questão real é se realmente funciona!

Pois é meu amigo E.Coelho! Tem uns e out...

Richard Smith (Consultor)

Pois é meu amigo E.Coelho! Tem uns e outros que pensam que são os maiores paladinos constitucionais e não percebem que esta visão enviesada nos trouxe até os pântanos aonde hoje chafurdamos. "Dignidade humana"? Hum, sei. O criminoso sexual geralmente é portador de psicopatologia incurável. Lá nos Estados Unidos, aquele paiseco "chinfra", pobre e atrasado, que não é "maneiro", rico e adiantado como o nosso, é oferecido ao predador sexual, depois de cumprida boa parte de sua longa pena, a opção VOLUNTÁRIA, de ser solto, contanto que, em visita periódica ao seu agente da condicional (lá existe isso e funciona! Frescura de gringo, claro) ele tome, na frente do mesmo, o tal de castrador químico. O que é pior, ficar na cadeia servindo de boneca aos demais presos ou ser solto após ter eliminada a sua fonte de ofensa anti-social? Com a palavra o defensor da "dignidade humana" preconizada pela "cidadã" de 1988! Um abraço a você amigão!

Aquela americana, não lembro bem o nome dela - ...

E. Coelho (Jornalista)

Aquela americana, não lembro bem o nome dela - acho que é ser Loreta, para seu marido infiel aplicou a "poda radical", com certeza esse não incomodará mais ninguém. É bom o Brasil começar a se preocupar com a dignidade humana das vítimas e da sociedade em geral.

É simplesmente incompatível com a CF/88. Sem fa...

Marcelo (Advogado Autônomo)

É simplesmente incompatível com a CF/88. Sem falar na dignidade da pessoa humana e em outros inúmeros princípios constitucionais, fere literalmente, por exemplo, o inciso XLIX do art. 5º.

Comentar

Comentários encerrados em 18/03/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.