Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Bastidores da eleição

TV Cultura exibe segundo filme sobre trabalho da Justiça Eleitoral

A TV Cultura de São Paulo e as TVs públicas que retransmitem a programação da emissora exibem, nesta quinta-feira (31/5), às 20h40, o segundo documentário de uma série de cinco produções sobre as eleições de 2006. O programa desta noite mostra como a Justiça Eleitoral funciona em anos eleitorais e não eleitorais.

A série Eleições 2006 – A construção da democracia lembra os dez anos da votação eletrônica no país, registra bastidores do processo eleitoral e mostra por que o sistema eleitoral brasileiro se tornou referência para outros países.

O segundo documentário, intitulado Justiça Eleitoral, destaca o voto como instrumento essencial ao cidadão. Em uma das cenas, por exemplo, uma professora explica aos alunos o que é política e a importância do voto consciente momentos antes da eleição para representante de turma.

Na produção, um cidadão lembra que “o seu voto não deve ser comprado, às vezes, por uma cesta ou camisa, por promessas que não vão ser cumpridas”. Depoimentos de brasileiros de todas as regiões do país servem destacam o caráter igualitário e democrático do voto.

Para mostrar como funciona a instituição, a produção traz depoimentos de presidentes e secretários de diversos Tribunais Regionais, mesários e outros servidores da Justiça Eleitoral, revelando suas vivências e enfatizando o papel do voto como o porta-voz da sociedade.

O vídeo também recorre à história do Brasil para acompanhar o voto de um descendente da família real, em Petrópolis (RJ), e as eleições município de Marechal Deodoro, em Alagoas, terra natal do primeiro presidente da República.

Na última quinta-feira (24/5), foi exibido o primeiro documentário da série, sobre os dez anos de uso da urna eletrônica no Brasil. Com depoimentos de eleitores e técnicos, a produção lembra como era antes, com o uso das cédulas, e como ficou depois, com a votação eletrônica.

Revista Consultor Jurídico, 31 de maio de 2007, 16h59

Comentários de leitores

1 comentário

Não é verfdade que o sistema eletronico do Brai...

allmirante (Advogado Autônomo)

Não é verfdade que o sistema eletronico do Brail se tornou referencia. Nenhum país o adota. Todos desconfiam da facilidade que se tem em alterar qualquer dado, mormente por não existir contra-prova. O sistema eletronico brasileiro é um convite à fraude, já denunciado no escandalo da Proconsult. Quanto ao "primeiro presidente da república" na verdade foi um traidor golpista que se fez ditador sob a égide militar/comtista da ordem e progresso. É claro que, sendo TVs públicas, jamais dirão que o povo é ludibriado.

Comentários encerrados em 08/06/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.