Consultor Jurídico

Artigos

Algemas do autoritarismo

Repressão feita pelo governo é ineficiente e autoritária

Comentários de leitores

9 comentários

...concordo: muito blá, blá, blá... tá parecend...

Robespierre (Outros)

...concordo: muito blá, blá, blá... tá parecendo o "farol de alexandria", aquele que nomeou o herr gilmar.

Por partes José Paulo Cavalcanti Filho escre...

Mauri (Funcionário público)

Por partes José Paulo Cavalcanti Filho escreveu: "Prisão, antes do processo, só em casos bem específicos: flagrante delito, risco de violência física, coação de testemunhas. Fora disso, resta só um gesto desnecessário e menor de autoritarismo". - Tenho certeza que o Cacciola concorda com esse trecho. "...há só duas situações que autorizam o uso de algemas: a) quando houver risco de fuga; b) quando o acusado puder por em risco a integridade física dos agentes policiais". - Nos EUA, país do litígio (qualquer insignificância já gera indenizações por danos morais), o preso é conduzido sempre algemado, quando não o é também pelos tornozelos, inclusive os famosos e amigos do rei, e todo mundo acha isso normal! Se não quer usar algemas, não cometa crimes. Já na passagem abaixo, o advogado Toron escreveu: "Todo tipo de arbítrio deve ser severamente combatido. Aliás, como a OAB sempre fez em relação aos pobres, pretos e prostitutas, que sempre tiveram contra si ações inadmissíveis". - Com todo o respeito, mas francamente, essa declaração pode ser classificada como tertúlia flácida para acalentar bovinos.

Blá, blá, blá. Fala e escreve muito, gostaria d...

Fftr (Funcionário público)

Blá, blá, blá. Fala e escreve muito, gostaria de ver a caneta ser usada para defender uma sociedade justa com criminosos na cadeia. Claro que não, a OAB vai perder seus clientes criminosos que rendem frutos aos grandes escritórios. Prefiro o Estado Policial a este Estado Corrupto que vivemos repleto de grandes injustiças. Tomará que alguém investigue o ministro gilmar mendes. Não merece letras maiúsculas

Erros e abusos sempre existiram. Felizmente ho...

Marcos de Moraes (Advogado Autônomo - Criminal)

Erros e abusos sempre existiram. Felizmente hoje a polícia esta trabalhando com tecnologia e avançando em todos os campos de investigação. Já sabem até ler arquivos de computador deletados. Ainda aprendendo, mas esta començando a trabalhar buscando provas na legalidade. Tudo bem que ainda errem em demasia, estamos acostumados com isso e o judiciário cheio de processos de indenização contra o Poder Público. O importante é que estão investigando, inclusive o Poder Público. Devagar fechando torneiras de vazão infindável de valores. Neste país de elite poderosa e intocável, enfim um pouco de algemas não é tão ruim assim. MELHORA O SABOR O TEMPERO A GOSTO DE AÇO FRIO. Que venham mais operações e algemas, motivos não faltam: licitações fraudulentas, invasões de reservas indígenas, trabalho escravo, abuso de poder econômico, contrabando e descaminho, extração ilegal de madeira, superfaturamentos também de merenda escolar; uso indevido de bem público, etc. Estou passando a gostar desta liberdade concedida aos investigadores e suas algemas. POUCO IMPORTA QUE SEJA CASO DE PRISÃO OU NÃO. Importa que seja investigado e o fato submetido ao grifo do Judiciário. Dá-lhes Ministérios Públicos e não se esqueçam das ações de indisponibilidade de bens para garantir ressarcimento para os cofres públicos e as merendas escolares.

Para entender o espetáculo contra os donos da S...

olhovivo (Outros)

Para entender o espetáculo contra os donos da Schincariol deve-se conhecer a gênese da perseg, digo, operação. Deve-se conhecer a disputa de mercado com a poderosa Ambev, cliente de um escritório famoso de advocacia, de um tal dr. Ramazzini. No escritório deste já trabalhou uma figura proeminente da PF. Além do mais, relacionado ao fato há uma ação contra um delegado da receita federal na 1ª Vara Federal Cível de Foz do Iguaçu. Também um processo de interpelação na 27ª Vara Criminal da Justiça de São Paulo ajudaria a entender melhor. Há muito coelho nesse mato.

Engraçado, por que só agora estamos vendo texto...

Wilson (Funcionário público)

Engraçado, por que só agora estamos vendo textos e discursos inflamados falando sobre o "autoritarismo" do governo? Deve ser porque pela primeira vez estão sendo presos os clientes que dão lucros para muitos advogados que gostam de defender a criminosa elite do colarinho branco brasileira. Sempre rende bons frutos financeiros defender desembargador corrupto, juiz ladrão e grandes empresários marginais. O que eu realmente espero é que um dia o podre poder judiciário mude realmente e pare de soltar os "engomadinhos do crime". Ilegalidade é assaltar bilhões dos cofres públicos e sair desfilando por aí nas colunas sociais e na posse de membros do Poder Judiciário e da OAB. Na verdadeira democracia todos são iguais perante a lei.

José Paulo Cavalcanti Filho. Nunca vi tanta...

Frankil (Agente da Polícia Federal)

José Paulo Cavalcanti Filho. Nunca vi tanta ASNEIRA junto.Vai falar tanta asneira lá na....... Acorda pra vida AdEvogado!!

Associo-me nos parabéns ao il. Prof. José Paulo...

toron (Advogado Sócio de Escritório)

Associo-me nos parabéns ao il. Prof. José Paulo Cavalcanti Filho pelo brilhante, esclarecedor e mais que oportuno artigo. De fato, o que está havendo é um espraiamento da violência estatal. Iludem-se os que acreditam numa "revanche" contra os ricos e poderosos. Todo tipo de arbítrio deve ser severamente combatido. Aliás, como a OAB sempre fez em relação aos pobres, pretos e prostitutas, que sempre tiveram contra si ações inadmissíveis. Alberto Zacharias toron, advogado, Diretor do Conselho Federal da OAB

Cumprimentos ao Prof. José Paulo Cavalcanti Fil...

José R (Advogado Autônomo)

Cumprimentos ao Prof. José Paulo Cavalcanti Filho,jurista,professor de Direito na Universidade de Pernambuco,jornalista, humanista e uma das maiores autoridades em Direito de Informação (Lei de Imprensa)do País, por seu lúcido e preciso artigo.Estou certo, porém, de que as cervejarias concorrentes da Schincariol não estarão de acordo com suas idéias...

Comentar

Comentários encerrados em 7/06/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.