Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Novo delegado

Gilson Dipp é o novo coordenador-geral da Justiça Federal

O ministro Gilson Dipp, do Superior Tribunal de Justiça, foi indicado coordenador-geral da Justiça Federal nesta terça-feira (15/5). O ministro tomará posse do cargo no dia 21 de junho, no lugar do ministro Fernando Gonçalves. O ministro Paulo Galloti foi eleito membro-suplente do Conselho da Justiça Federal na vaga de Dipp.

Pelo critério de antigüidade, a indicação ao cargo de coordenador-geral deveria ser dos ministros Felix Fischer e Aldir Passarinho Júnior. Mas os dois renunciaram ao direito em razão por causa do pouco tempo de mandato que dispõem como membros efetivos do CJF.

“Especialmente agora, que se delineia a hipótese de o coordenador-geral da Justiça Federal ser o corregedor-geral”, ponderou Passarinho Júnior. Os dois ministros cumprirão seus mandatos até o final como membros-titulares no CJF.

Dipp afirmou que pretende se empenhar no exercício da coordenadoria-geral. “É uma honra e um dever.”

O conselho

O CJF tem como missão promover e assegurar a integração das instituições que compõem a Justiça Federal. O colegiado do CJF é formado por cinco ministros do STJ e pelos presidentes dos cinco Tribunais Regionais Federais do país. É presidido pelo presidente e vice-presidente do STJ.

Promover a padronização de procedimentos administrativos e jurisdicionais entre as instituições da Justiça Federal e a administração orçamentária dessas instituições são as principais atribuições do CJF.

As competências do Conselho são regulamentadas pela Lei 8.472/92. A partir da Emenda 45, o CJF passou a ter também poderes correcionais, cujas decisões terão caráter vinculante.

Revista Consultor Jurídico, 16 de maio de 2007, 0h00

Comentários de leitores

1 comentário

A escolha do Min. Dipp para o cargo de coordena...

toron (Advogado Sócio de Escritório)

A escolha do Min. Dipp para o cargo de coordenador-geral da Justiça Federal é alentadora não apenas pelos predicados pessoais do ilustre juiz, mas também pela sensibilidade que, sobretudo ultimamente, tem revelado em relação as arbitrariedades praticadas nas operações desencadeadas pela Polícia Federal no cumprimento de ordens expedidas pela Justiça Federal. Como advogado e diretor do Conslho Federal da OAB cumprimento o em. ministro DIPP e externo meus votos de pleno êxito na sua nova missão. Alberto Zacharias Toron, advogado, Presidente da Comissão Nacional de Prerrogativas do Conselho Federal da OAB

Comentários encerrados em 24/05/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.