Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Passando a limpo

Polícia Federal invade OAB de Goiás e prende diretores

A Polícia Federal invadiu, neste sábado (12/5), a OAB de Goiás. Onze pessoas foram presas, incluindo diretores da seccional. Também foram apreendidos computadores. A operação tem o objetivo de apurar fraudes no Exame de Ordem.

Outros 26 mandados de busca e apreensão foram cumpridos. A operação foi autorizada por decisão da a 5ª Vara da Justiça Federal. Entre os presos estão o presidente da Comissão de Estágio e Exame de Ordem da OAB-GO, Eládio Augusto Amorim Mesquita; o vice-presidente da mesma Comissão, Pedro Paulo Guerra de Medeiros e tesoureiro da entidade, João Bezerra Cavalcante.

A Operação Passando a Limpo foi deflagrada a pedido da própria OAB de Goiás, que já tinha recebido denúncias de fraudes no Exame. “A Ordem é a primeira a provocar este tipo de investigação. Todas as vezes que recebemos denúncias neste sentido acionamos a Polícia Federal”, afirmou Miguel Cançado, presidente da seccional em entrevista coletiva concedida neste sábado.

“A OAB-GO quer que as denúncias sejam apuradas e se tiver ocorrido qualquer tipo de fraude os responsáveis, independentemente de quem seja, precisam ser punidos exemplarmente”, afirmou o presidente.

Por causa da operação, a OAB-GO suspendeu a realização da segunda fase da prova que seria aplicada nesta domingo (13/5). Em nota oficial, o presidente da Seccional diz que “a seriedade e a lisura com que devem ser tratados todos os assuntos que a ela digam respeito impõem o cancelamento da prova neste domingo”.

Além disso, Miguel Cançado convocou para as 18 horas deste domingo uma sessão extraordinária do Conselho Seccional. Porcurado pelo reportagem da Consultor Jurídico, o presidente da seccional não quis se manifestar.

De acordo com o advogado Alberto Zacharias Toron, presidente da Comissão de Prerrogativas da OAB Nacional, foram apreendidos materiais que nao têm relação com o objetivo da operação. "É mais uma operação da PF com prisões abusivas decretadas desnecessariamente." O presidente nacional da Ordem, Cezar Britto, já foi para Brasília para tomar as devidas providências.

Foram presos:

Maria do Rosário de Oliveira, Fiinha, funcionária da OAB-GO,

Osmira Soares de Azevedo, Funcionária da OAB-GO,

Eládio Augusto Amorim Mesquita, Presidente da Comissão de Estágio e Exame de Ordem da OAB-GO,

Pedro Paulo Guerra de Medeiros, Vice-presidente da Comissão de Estágio e Exame de Ordem da OAB-GO,

João Bezerra Cavalcante, Tesoureiro da OAB-GO,

Eunice da Silva Mello,

Rosa de Fátima Lima Mesquita,

José Rosa Júnior,

Estevão Magalhães Zakhia,

Marcelo Monteiro Guimarães,

Euclides de Sousa Rios.

Notícias atualizada às 17h45 para acréscimo de informações.

Revista Consultor Jurídico, 12 de maio de 2007, 15h42

Comentários de leitores

42 comentários

Meu Caro Irado MS: Se você se der o trabalho...

Paulo Henrique M. de Oliveira - Criminalista (Advogado Autônomo - Criminal)

Meu Caro Irado MS: Se você se der o trabalho de ler alguns dos comentários abaixo, verá a discussão sobre o uso da palavra por você mencionada. Ninguém está denegrindo a PF que, particularmente neste caso, agiu com toda a lhaneza possível, até porque agia provocada pela própria Seccional da OAB. Está escrito aí abaixo que INVADIR é "entrar à força". Quem tem um mandado judicial de busca e apreensão na mão está agindo sob a "força" do Direito. Ainda que entre com toda a delicadeza possível - como foi no caso vertente, diga-se -, o cumpridor do mandado está entrando à força. Você disse que a palavra "soa como..." Aí, meu caro Irado MS, entra o fator de subjetividade acerca do qual ninguém poderá discutir. Mas que a palavra quer dizer "entrar à força", isso o Aurélio confirma. Há quem divirja desta minha opinião e os que assim pensam têm todo o meu respeito. Eu me rebelei mais foi com relação à forma desrespeitosa para com a revista CONJUR. Um abraço, PH

Gostaria de entender sobre certas palavras que ...

irado ms (Estudante de Direito)

Gostaria de entender sobre certas palavras que vão sendo escritas nas matérias sobre a atuação da Policia Federal.Como consta no cabeçalho da matéria em tela a PF invadiu a OAB de Goias.Como pode a PF invadir a OAB se de acordo com a matéria a operação foi autorizada pela 5ªVara da Justiça Federal.Sendo a operação deflagrada a pedido da propria OAB,logo acredita-se que a PF apenas cumpriu o que lhe foi determinado pela justiça e com o apoio da Ordem.Invasão soa como se a PF decidiu por sua conta e risco fazer tal operação.Vamos dar credito a PF pelo que a mesma vem fazendo,uma palavra mal escrita poderá abalar os ânimos da PF e a deixará como vilã.

Caro Dr. Paulo Henrique, O pedido de desculpas...

Arthur (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Caro Dr. Paulo Henrique, O pedido de desculpas revela a grandeza de sua pessoa. Obviamente o aceito. O Direito é um ramo do conhecimento essencialmente dilético, e debatê-lo com pessoas do nível do Senhor enriquece sobremaneira a cultura e o espírito deste modesto escriba. Infelizmente não sou de SP, portanto não poderei partilhar da satisfação de degustar um cafezinho com o Senhor. Todavia, terei imensa satisfação em tratar do assunto (Imparcialidade do CONJUR) de forma reservada. Em breve estará recebendo um e-mail por mim remetido. Um forte abraço.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 20/05/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.