Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Isto poderia criar uma industria da pensão.

Bira (Industrial)

Isto poderia criar uma industria da pensão.

A JUSTIÇA É PARA FAZER VALER O QUE ESTAR EM LEI...

Pirim (Outros)

A JUSTIÇA É PARA FAZER VALER O QUE ESTAR EM LEIS E JURISPRUDENCIAS - E POR ÚLTIMO A VISÃO BALIZADA DO MAGISTRADO PARA DESCIDIR SOBRE AS JUSTIÇAS PRATICADAS EM UM PAIS DE TERCEIRO MUNDO, EIS QUÊ NOS PAISES DE PRIMEIRO MUNDO A RENDA PESSOAL É MAIS EQUITATIVA, SEM NECESSIDADE DA INTERVENÇÃO DO JUDICIÁRIO. O BRASIL INFELIZMENTE CHEIO DE CORRUPTOS, O DIREITO DA JUSTIÇA TEM QUE PREVALECER, CASO CONTRÁRIO, SERIA UM PAIS DE POUCOS "ESPETALHÕES" CONCENTRANDO DE FORMA AINDA MAIS PERVERSA, A "SUA" RENDA. PORTANDO A JUSTIÇA AINDA VAI TER MUITO TRABALHO A FAZER, PARA REPARAR AS INJUSTIÇAS OCORRIDA NO SEIO DE UMA SOCIEDADE CHEIOS DE VICIOS E OUTRAS ESPERTEZAS MAIS!!!!!

Isso não é novidade ou é ? Sempre lí que mulhe...

figueiredo (Médico)

Isso não é novidade ou é ? Sempre lí que mulher não é parente, que pensão alimentícia para capaz estimula o ócio, que obrigação marital não persiste após o desenlaçe da comunhão, que alimentar bocas nervosas é quebrar seus dentes´... Será que ainda há espaço no judiciário para essas discussões inúteis ? Desembargadores que ficam mastigando leis passadas e rotroagindo no tempo, deveriam ser atinguidos pela compulsória. Gente, deve ser falta de assunto ou julgamentos em causa própria.

Seria por acaso o primeiro abalo si...

hammer eduardo (Consultor)

Seria por acaso o primeiro abalo sismico na nauseabunda "industria da separação" ou apenas uma breve espuma na areia da praia?

Comentar

Comentários encerrados em 12/05/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.