Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ação atabalhoada

Erro de informação leva filho de Chacrinha à prisão

Um erro de informação levou a Justiça a decretar a prisão de José Renato Barbosa de Medeiros, de 53 anos, filho do apresentador Abelardo Barbosa, o Chacrinha. Nanato, como é conhecido, vive em uma cadeira de rodas desde os 21, quando ficou tetraplégico. Ele foi confundido com um policial que deveria ser preso na segunda parte da Operação Hurricane, deflagrada na terça-feira (19/6) pela Polícia Federal.

Na denúncia apresentada à Justiça, Nanato foi apontado como policial civil e acusado de um crime que só servidores públicos podem cometer: facilitação de descaminho (termo jurídico para importação ilegal de produtos) de peças para caça-níqueis. Os policiais federais ficaram surpresos ao encontrá-lo em casa numa cadeira de rodas. Não sabiam que ele era deficiente físico.

O erro provocou a revolta do seu irmão gêmeo, o produtor e apresentador de TV Leleco Barbosa. “Isso é um absurdo.” A reportagem é do jornal O Estado de S. Paulo.

A polícia prometeu acertar a denúncia, mas manterá a prisão domiciliar, por considerar a possibilidade de Nanato ser um dos intermediários do esquema de pagamento de propinas. Segundo afirmam procuradores da República, o erro veio de uma informação passada pela Polícia Federal ao Ministério Público.

A Operação Hurricane 2, na qual foi detido o filho do apresentador, foi desencadeada para prender policiais do Rio de Janeiro, acusados de receber propina na máfia dos caça-níqueis.

A primeira parte da Operação Hurricane da Polícia Federal foi deflagrada no dia 13 de abril nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e no Distrito Federal para deter supostos envolvidos em esquemas de exploração de jogo ilegal (caça-níqueis) e venda de sentenças, após cerca de um ano de investigações.

Revista Consultor Jurídico, 21 de junho de 2007, 14h34

Comentários de leitores

22 comentários

por acaso este é um fato que se notabiliza por ...

futuka (Consultor)

por acaso este é um fato que se notabiliza por estar diretamente ligado ao cidadão "filho" do saudoso apresentador "chacrinha" e mais por ser tetraplegico! Imaginem quantas foram as "ESCUTAS mal interpretadas" ou até mesmo "direcionadas por engano"!?..bem está posto que um êrro de concordância ou gramatical converge para um mal menor..no entanto o ENGANO ou DIRECIONAMENTO de uma ESCUTA sem dúvida não termina bem, nunca! O(s) transtorno(s) e dano(s) que causa(m) ao(s) cidadão(s) envolvido(s), parafraseando alguns comentários são irreparáveis. Só sabe quem passou por isso, de resto que Deus nos ajude! Avante JUSTIÇA CEGA!!

Ah, só para registrar: vocês estão assustados c...

Sidney Jr (Agente da Polícia Federal)

Ah, só para registrar: vocês estão assustados com esses erros e os cometidos na Operação Anaconda? Experimentem saber o que se passou na Operação Suvuri, desencadeada em 12/03;03, em Foz do Iguaçu/PR. Mas, estejam sentados ou deitados, para que o chão fique mais próximo quando caírem.

Fico a me pergentar: o que se passa na cabeça d...

Sidney Jr (Agente da Polícia Federal)

Fico a me pergentar: o que se passa na cabeça de determinadas pessoas para aplaudir e "compreender" determinadas ações prejudiciais à imagem de uma pessoa? Teriam o mesmo pensamento acaso ocorresse consigo ou com algum familiar? Diria simplesmente que cabe indenização por danos morais e ficaria feliz? Lembrem-se: o que bate em Chico, bate em Francisco. Se ocorreu o erro com outrem, ninguém está livre de passar pelo mesmo. Aí sim, gostaria de ver opinarem pela continuação dos trabalhos. Sugiro uma reflexão e uma atitude: exercer a empatia. Como revela o Aurélio: " Tendência para sentir o que sentiria caso se estivesse na situação e circunstânicas experimentadas por outra pessoa". Experimentem, e os sentimentos mudarão, com absoluta certeza.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 29/06/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.