Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Sem laço

Justiça proíbe vaquejada por causa de maus tratos a animais

A 18ª Vaquejada de Serra do Ramalho (BA) foi cancelada por determinação da Justiça. O evento começaria, nesta quinta-feira (14/6), e terminaria no domingo (17/6). O juiz Roberto Wolf determinou o impedimento da vaquejada (espécie de rodeio) por causa dos maus tratos que os animais sofrem neste tipo de competição.

Ele aceitou pedido do promotor Beneval Mutim em uma ação cautelar. O promotor alegou que os animais são constantemente vítimas de maus tratos, sofrem luxações, hemorragias internas e se apavoram com os vaqueiros.

Não é a primeira vez que a Justiça impede uma competição desta natureza. Em maio de 2006, as provas Laço ao Bezerro e Laço em Dupla da Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos (SP) foram proibidas por liminar pela 3ª Vara Cível local. A Justiça acolheu pedido do Ministério Público de São Paulo contra o Clube Os Independentes e a Associação Nacional do Laço ao Bezerro, que organizam o evento.

Segundo o Ministério Público, o clube e a associação se comprometeram a fazer um estudo científico demonstrando como as modalidades podem ser praticadas sem implicar em maus-tratos ou danos aos animais. No entanto, “o único estudo que o Clube apresentou foi procedido por zootecnista, que previu perícia médica para avaliar os impactos clínicos de referidas provas nos animais”, afirmou o promotor de Justiça José Ademir Campos Borges.

Revista Consultor Jurídico, 14 de junho de 2007, 19h00

Comentários de leitores

2 comentários

Ainda existem juízes em Berlim!!! Ainda bem!

Karla (Estudante de Direito)

Ainda existem juízes em Berlim!!! Ainda bem!

O divertimento as custas do sofrimento de qualq...

Dr. Júlio César (Advogado Autônomo)

O divertimento as custas do sofrimento de qualquer animal é um ato imoral e sem justificativa nos dias de hoje, em plena era da revolução científica e digital o ser humano demonstra estagnação absoluta no que tange a evolução mental e moral. Bela decisão e belíssimo trabalho do MP, espero que aquela monstruosidade moral denominada "Barretos" seja a próxima.

Comentários encerrados em 22/06/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.