Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Imagem exposta

Irmão de Lula é mais lembrado que Operação Navalha

A imagem que se fixou com mais força no noticiário dos últimos dias é a do irmão do presidente Lula, Genival Inácio da Silva (Vavá), investigado pela Polícia Federal. A notícia é mais lembrada que a própria Operação Navalha, na qual ele está envolvido. A tese é indicada em uma pesquisa da MCI Estratégia, instituto do sociólogo Antônio Lavareda. A pesquisa foi divulgada pela newsletter Ex-Blog do Cesar Maia, do prefeito do Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (13/6).

Entre os dias 11 e 12 de junho, o instituto perguntou para 600 pessoas no Rio e em São Paulo a visão sobre o que a imprensa publicou recentemente sobre governo Lula. O sociólogo faz trabalhos de consultoria política para os Democratas, partido do oposicionista Maia.

Segundo o levantamento, 53% dos entrevistados lembraram espontaneamente que Vavá é investigado pela PF, enquanto 8% recordavam-se da Operação Navalha, de muitos políticos acusados e de corrupção no noticiário recente. Perguntados se tinham tomado conhecimento de que Vavá é investigado, 92% dos entrevistados disseram sim e 7% não.

Acerca das notícias sobre governo Lula, 15% opinam que elas são mais favoráveis, 51% que são mais desfavoráveis e 29% pensam que nem uma nem outra.

Já a opinião espontânea sobre a razão pela qual o irmão do presidente Lula está sendo investigado, 45% das pessoas afirmam que é por envolvimento com quadrilhas de máquinas caça-níqueis, 18% por envolvimento com esquemas de corrupção, 31% não sabem ou não responderam e 5% apontam outros fatores.

Para 49% dos entrevistados, o fato de Vavá e de um compadre de Lula, Dario Morelli, estarem sendo investigados contribuiu para piorar a opinião sobre o presidente. Somente 6% pensam que o fato contribuiu para a sua visão enquanto para 41% não alterou em nada.

Segundo 83% dos pesquisados, a PF tem isenção enquanto para 9% a resposta foi negativa. Este resultado se contradiz de certa forma com outro número. Para 59% das pessoas, uma CPI deve ser criada no Congresso porque a PF é controlada pelo presidente Lula. Já 30% acham desnecessário. Ao mesmo tempo, 76% aprovam uma CPI e 17% não.

Dos questionados, 37% discordam da opinião de que não existe qualquer motivo para suspeitar de irregularidades no governo Lula pelo fato do irmão e compadre não ocuparem um cargo público no governo federal. Já 37% concordam com a tese.

Para 39% das pessoas, a PF tem isenção para investigar. Segundo 26% teria uma CPI, 13% o Ministério Público, 6% os partidos de oposição e 5% a OAB.

Revista Consultor Jurídico, 13 de junho de 2007, 18h36

Comentários de leitores

6 comentários

Esse foi mais uma vitima da midia marrom, na ve...

Bira (Industrial)

Esse foi mais uma vitima da midia marrom, na versão oficial(do lado suspeito), é claro.

Ao IVOSLEITE, concordo integralmente com você, ...

Murassawa (Advogado Autônomo)

Ao IVOSLEITE, concordo integralmente com você, restando apenas acrescentar que tudo deve ser arquivado ou esquecido, pois, somos todos ingenuos e com pouco ou nenhum discernimento,assim como o Sr. VAVA, que fica melhor pronunciar assim: VÁ VA VA, ...., VÁ FAZER O POVO DE BESTA BEM LONGE.

Fernando Veríssimo ZERO HORA) na sua coluna per...

Band (Médico)

Fernando Veríssimo ZERO HORA) na sua coluna pergunta quem as pessoas desejariam ser, Paris Hilton (bela e ingenua) ou Vavá (Feio e irmão do presdidente). Este, desculpado pelo articulista, por ter pedido dinheiro em caso de "dificuldades". Interessante que o mesmo justamente pede para um representante do jogo e não para o bem sucedido irmão que dobrou o seu patrimônio na Presidência e que teria doado 100 mil reais para a campanha de José Genuíno! Eu preferiria ser a Paris Hilton, pois pode ser que ela venha a criar juízo um dia. Já ser Vavá, é difícil que o mesmo venha a ter as qualidades da mesma nesta vida, pois lhe falta ambas!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 21/06/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.