Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Sétimo Dia

PF deflagra operação no Maranhão contra fraude na Previdência

A Polícia Federal iniciou na manhã desta terça-feira (12/6), em São Luís, no Maranhão, a Operação Sétimo Dia. O objetivo é reprimir crimes contra a Previdência Social. Dez pessoas já foram presas na capital maranhense e estão sendo levadas para a Superintendência da PF. Uma continua foragida. Segundo a PF, cerca de R$ 1 milhão podem ter sido desviados dos cofres públicos.

Onze mandados de prisão e onze de busca e apreensão foram expedidos. Os envolvidos na fraude, segundo a PF, são servidores da previdência, um ex-funcionário e pessoas que funcionavam como procuradores e recebiam os benefícios fraudulentos.

O nome da operação Sétimo Dia foi dado devido ao principal tipo de fraude da quadrilha: os servidores da previdência usavam dados de segurados mortos para conceder os benefícios.

As investigações, que começaram há um ano, fazem parte da Força Tarefa Previdenciária. Os trabalhos estão sendo coordenados pelo delegado Paulo Ferdinand. “Temos 60 policiais trabalhando e ainda a ajuda de técnicos da Previdência e do pessoal do Ministério Público Federal”, afirmou Ferdinand.

Os policiais estão recolhendo documentos em uma das principais agências do INSS de São Luís. Eles serão encaminhados para a Superintendência da Polícia Federal, onde irão ser examinados.

Com informações do portal Terra.

Revista Consultor Jurídico, 12 de junho de 2007, 11h47

Comentários de leitores

1 comentário

Isso é bom contribui contra o déficit da Previd...

MMello (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Isso é bom contribui contra o déficit da Previdência, mas deveria a PF verificar se os Municípios brsileiros que não têm Fundo Previdenciário de seus servidores e é obrigado a recolher a contribuição ao INSS, estão mesmo fazendo isso. Bastaria para tanto, uma informatização da Previdência com a Polícia Federal, ou seja, bateu na Previdência o não recolhimento e verificado "in loco" que houve o desconto na folha de pagamento dos servidores, estará em flagrante delito por apropriação indébita tributária o Prefeito, o Secretário de Administração e Financeiro, devendo os mesmos serem presos imediatamente e mostrados a mídia, para que o povo da localidade veja a cara dos larápios e não os eleja nas eleições de 2008. Assim vamos começar a moralizar este país de norte a sul!

Comentários encerrados em 20/06/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.