Consultor Jurídico

Comentários de leitores

8 comentários

Antonio Grande , muito bom esse seu comentário....

eveste (Funcionário público)

Antonio Grande , muito bom esse seu comentário. A atual presidência pensa que só os magistrados fazem correr os processos. Há um total descaso para com os serventuários. Exitem concursos para escreventes homologados desde 10/2006 (Circunscrições de Campinas e Guarulhos) e até agora ninguém sabe nos informar quando é que sairão as nomeações, ou se pelo menos um dia elas realmente irão acontecer. Abra-se um edital atrás do outro, mas não se contrata ninguém. Isso é uma falta de respeito para com os candidatos, que em busca de boas condições de trabalho e estabilidade, gastam tempo e dinheiro na ilusão de um dia entrarem para o tão sonhado cargo público.

Dr. Fernando Henrique, Vossa Excelência esqu...

Jardim (Serventuário)

Dr. Fernando Henrique, Vossa Excelência esqueceu de dizer que as condições de trabalho do magistrado bandeirante não são das melhores. Que não há mordomias, mas sim muito trabalho. Que Vossa Excelência provavelmente requer férias ao Tribunal para sentenciar diversos processos enquanto poderia viajar com sua família. Que a Vara na qual judica provavelmente não possui quadro de funcionários completo, e que os computadores e o sistema da PRODESP são obsoletos, o que resulta na morosidade. Que Vossa Excelência exerce a judicatura por amor e vocação, pois poderia receber na advocacia (em parte graças ao cargo que ocupa) a título de salário o dobro do que recebe de subsídio. Não podemos esquecer o descontentamento de nossos servidores, que não recebem aumento há muitos anos e aguardam há três anos a reposição das perdas salariais já aprovada pelo executivo, mas não cumprida pelo TJ por questões orçamentárias, prejudicando em muito o andamento dos serviços nos ofícios de justiça. Bem lembrado que os 11% que são descontados do subsídio bruto mensal não reverterão em benefício do magistrado (e dos servidores), mas servirão para amenizar a má gestão de verbas públicas por parte do executivo e do legislativo. Poderia escrever muitas coisas mais para ratificar vosso texto, mas tenho trabalho ainda pela frente e vou voltar a ele. Saiba que conquistou a minha simpatia e com certeza conquistará de muitos outros. Respeitosamente, Andre

Parabéns Dr. Fernando Henrique Pinto, tudo o qu...

Sandro Couto (Auditor Fiscal)

Parabéns Dr. Fernando Henrique Pinto, tudo o que disse é verdade, inclusive, para todos aqueles servidores públicos que são concursados e para a Administração Pública em geral. Agora, o que entristece é que, mesmo diante de tal dura realidade a que a magistratura e o Poder Judiciário de SP são submetidos, aparentemente e absurdamente suplicando maior autonomia financeira, que deveria ser exigida nos termos constitucionais, ainda há na Justiça uma visão extremamente economicista e liberal do Poder Judiciário, privilegiando justamente aqueles atores da sociedade que contribuiem para tal engessamento do Estado. Tristemente, o Judiciário ainda tem forte preconceito contra o Poder Público, prevalecendo nas demandas de contratos administrativos, sempre o tal equilíbrio econômico-financeiro, que na verdade poderia se chamar de garantia de lucro ao particular no desempenho de serviço público concedido, o que é simplesmente absurdo em um regime capitalista, pois em qualquer investimento está implícito o risco que o investidor deve correr. Certamente, as concessionárias de pedágio, transporte coletivo, telefonia, energia, etc, não estão sofrendo tal situação. O Direito Administrativo tem que ser, urgentemente, mais flexibilizado pela jurisprudência a fim de realmente fazer valer a supremacia do interesse público frente à ambição e ganância desmedida dos investidores, prestadores de serviço público e o mercado financeiro, que, infelizmente, dominam hoje o cenário político, institucional e também jurídico nacional e locais, com raras exceções como do Paraná. É esta política neoliberal e do Estado mínimo que está prejudicando toda a sociedade e que o Judiciário está começando a sentir, pois com a aplicação da Lei de Responsabilidade Fiscal (e Irresponsabilidade social), que privilegia o pagamento de credores a todo custo, está tendo seus reflexos negativos em toda a estrutura pública que, como Vossa Excelência mesmo disse, se desdobra para atender na medida do possível o cidadão brasileiro. Portanto, Dr Fernando, me solidarizo com Vossa Excelência e, sinceramente, espero que diante de tais circunstâncias, o Judiciário paulista, importante órgão pela expressividade jurídica e também pelo porte, abra os olhos e mude não só sua tendência, mas da Justiça do resto do país, pois caso contrário, cada vez mais iremos aprofundar esta crise financeira que o Poder Público como um todo vivencia. Certamente, o maior prejudicado será o povo.

Somente gostaria de comentar o último parágrafo...

Antonio Grandi Filho (Cartorário)

Somente gostaria de comentar o último parágrafo desta notícia. "Os números, preocupantes, revelam também o trabalho quase alucinado dos magistrados de primeiro grau...." Mas, espera aí!!!! CADÊ OS FUNCIONÁRIOS!!!! É claro que os juízes via de regra trabalham muito mais do que os desembargadores, as estátisticas mostram isso. Mas é necessário dizer que existem 2000 juizes e desembargadores e 45000 mil servidores. JUIZ NÃO TRABALHA SOZINHO e na grande maioria das vezes quem DESPACHA E SENTENCIA processos são os servidores especializados que nunca são lembrados. É só ver a declaração do presidente "faltam 419 magistrados". EM NENHUM MONENTO DISSE QUE faltam 12000 SERVIDORES!!!!!!. No mesmo dia em que foi realizada a audiência Pública (11/06/07), disse que existe um cartório em Osasco que possui somente 2 ESCREVENTES trabalhando no cartório, por falta de planejamento do TJ E SEU PRESIDENTE em inaugurar cartórios sem critérios e sem funcionários. CHEGA DE ACHAR QUE O PROBLEMA E JUIZES, O PROBLEMA DO TJ É INCOMPETÊNCIA ADMINISTRATIVA. Precisamos de tecnologia e funcionários e é lógico competência e planejamento administrativo.

Prezado Luiz Eduardo. Acho que o comentário ...

Fernando Henrique Pinto (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Prezado Luiz Eduardo. Acho que o comentário de Vossa Senhoria reflete a falta de informação. Os magistrados de São Paulo, não obstante disparado sejam os que mais trabalham, têm os piores vencimentos da nação. Para ter uma idéia, um juiz em início de carreira em São Paulo ganha metade que qualquer juiz do Brasil, estadual ou federal. Sou juiz em São Paulo há nove anos, já tive três promoções, e meu salário líquido não chega a 10 mil reais. Não temos reajuste salarial desde 2000. É claro que não vou comparar magistrados a cortadores de cana, como já se fez em passado recente, mas informo que se os vencimentos dos magistrados paulistas fossem mais ainda arrochados, haveria evasão (ainda maior) da carreira, rumo à iniciativa privada, ou para a magistratura federal ou de outros Estados. Aliás, na épooca em que tal comparação foi feita, um juiz do Trabalho, do nordeste, que tinha sido cortador de cana, bem esclareceu que quem desejar ter algumas das poucas vantagens de um magistrado (comparadas as restrições, respeonsabilidades e até riscos do cargo), o concurso está aberto a todos, que, como ele, se disponham a estudar incessantemente, e enfrentar um dos concursos públicos mais difíceis do Brasil. Eu mesmo só passei na minha quarta tentativa. Não nos confunda com os beneficiários de cabidais de emprego em cargos de comissão, que infelizmente permeam pelo Brasil afora. Só para constar, após a última reforma da previdência, a magistratura não possui mais aposentadoria integral, estando sujeita ao teto geral, não obstante pague 11% do salário bruto de contribuição previdenciária, sem teto limite, (o que qualquer simulação de banco demonstra pagar a aposentadoria integral) e não possui FGTS para compensar. Respeitosamente, Fernando Henrique Pinto. Juiz da 2ª Vara da Família de Jacareí.

Diminuam os salários e as mordomias de juízes e...

Luiz Eduardo Osse (Outros)

Diminuam os salários e as mordomias de juízes e desembargadores, que aí vai sobrar muuuuito dinheiro!

Que sejam punidos os responsáveis pelo sucateam...

Dr. Francisco Rodrigues (Advogado Autônomo - Família)

Que sejam punidos os responsáveis pelo sucateamento do Judiciário Paulista, admitido por seu ilustre presidente e que se corrija com urgência a injustiça praticada! Bom seria se esta frase encontrasse eco junto àqueles que são responsáveis por tal estado de coisas. Vivemos uma realidade em que todos lamentam, todos reclaman, todos discursam e nada é feito para solucionar o problema. É triste, deprimente, frustrante e lamentável!

A EMENDA CONSITUCIONAL 45 DETERMINA QUE SEJA RE...

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

A EMENDA CONSITUCIONAL 45 DETERMINA QUE SEJA REVERTIDA TODAS AS CUSTAS E EMOLUMENTOS PARA O JUDICIÁRIO. EC 45 Art. 98. .................................................... § 2º As custas e emolumentos serão destinados exclusivamente ao custeio dos serviços afetos às atividades específicas da Justiça." (NR) SERÁ que estão cumprindo???? Aqui em SP era destinado um percentual baixíssimo. Carlos Rodrigues - Advogado berodriguess@ig.com.br

Comentar

Comentários encerrados em 19/06/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.