Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Discussão nacional

PF debate greve de servidor e atuação da imprensa em operações

A política do governo federal em relação aos servidores públicos e a cobertura da mídia sobre a recente atuação da Polícia Federal foram os dois temas abordados no segundo dia do 12º Congresso Nacional dos Policiais Federais, na terça-feira (5/6). O evento acontece em Fortaleza e é promovido pela Federação Nacional dos Policiais Federais, com apoio do Sindicato dos Policiais Federais do Ceará.

Na parte da manhã, a palestra ficou a cargo do secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Ferreira, e do assessor técnico da Câmara dos Deputados, Flávio Tonelli Vaz. A mediação foi do consultor parlamentar da Fenapef, Antônio Augusto Queirós. Eles discutiram “As relações de trabalho no serviço público”.

Duvanier Ferreira sustentou que o governo federal está aberto ao diálogo com os servidores públicos. "Temos que construir a cultura do entendimento e da negociação", disse. O secretário também afirmou que antes de enviar o projeto que regula a greve no serviço público para o Congresso Nacional, o governo irá debater o tema com os servidores. Ele defendeu, ainda, serenidade nas paralisações de funcionários."Precisamos de garantias de que durante uma greve a sociedade tenha os serviços mantidos", defendeu.

Flávio Tonelli Vaz destacou que o Projeto de Lei Complementar 1, que restringe o gasto com os servidores públicos, contraria a proposta de desenvolvimento econômico e social do governo. "Tanto o PAC quanto os programas sociais demandam mais serviços públicos, portanto restringir investimentos no setor público é um contra-senso", criticou.

Atuação da mídia

Os policiais federais debateram também o tema "Segurança, mídia e cidadania: a busca da paz social”. Os palestrantes foram os jornalistas Márcio Chaer, diretor do site Consultor Jurídico, e Nilson Lage, jornalista e professor titular da Universidade Federal de Santa Catarina desde 1992. Na mediação do debate estava o ex-presidente da Fenapef, Francisco Carlos Garisto.

Márcio Chaer ressaltou a importância das operações da Polícia Federal no Brasil e condenou a abordagem dada por alguns veículos de comunicação de forma equivocada ou mal intencionada. Ele criticou o comportamento de alguns jornalistas e veículos de comunicação do país.

Nilson Lage também teceu críticas ao comportamento da mídia. Segundo ele, o Brasil precisa de maior democratização no acesso à informação. "Temos que ter a garantia de informar e de sermos informados", disse.

Nesta quarta feita (6/6), último dia do evento, os temas serão: “A atuação conjunta da Corregedoria-Geral da União e da Polícia Federal no combate à corrupção”, “Análise e mapeamento criminal” e “Os reflexos da reforma da Previdência no serviço público”.

Revista Consultor Jurídico, 6 de junho de 2007, 17h10

Comentários de leitores

3 comentários

O delegado da PF Célio Jacinto dos Santos está ...

Tessele (Servidor)

O delegado da PF Célio Jacinto dos Santos está equivocado e desinformado ao afirmar que o CONAPEF, promovido pela FENAPEF, se refere a "uma parcela dos Policiais Federais, aí não estão incluídos os Delegados e suas entidades (...) e não representa e não exprime o pensamento dos policiais federais...". Quanto às entidades dos delegados não há o que retificar, porém a FENAPEF representa, SIM, os delegados também, haja vista que dentre os 12.000 filiados aos seus sindicatos, há servidores de todas as categorias: agentes, escrivães, delegados, peritos, papiloscopistas e administrativos. Há CENTENAS de delegados federais filiados aos sindicatos que compõem a FENAPEF, diga-se de passagem a maior entidade classista da Polícia Federal. Atenciosamente, Edison Tessele Diretor Parlamentar da FENAPEF Presidente da Comissão Executiva do XII CONAPEF

PARABÉNS ao site Consultor Jurídico por mais es...

futuka (Consultor)

PARABÉNS ao site Consultor Jurídico por mais esta participação "na busca da paz social". Sinto orgulho em participar e expressar minhas opiniões livremente neste "espaço" de maneira respeitosa e cordial, dentro do meu possível saber é claro!

A Federação Nacional dos Policiais Federais é u...

HERMAN (Outros)

A Federação Nacional dos Policiais Federais é uma entidade representativa de classe, tem portanto, legitimidade para representar servidores da polícia federal, tanto assim Dr. Jacinto que vários delegados foram beneficiados por atuação da citada entidade. Ademais, um movimento para ser legítimo da classe policial não necessita de apóio de delegados e suas entidades, se tiver, melhor. Afinal, todos têm curso universitário.

Comentários encerrados em 14/06/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.