Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Na sala de cirurgia

Juíza com casamento marcado morre em lipoaspiração

O advogado Antônio Carlos Machado registrou queixa em uma Delegacia de Recife após a morte da noiva, a juíza Roseane Lima Moura Padilha, 34 anos, durante uma lipoaspiração na madrugada de quarta-feira (25/7), no estado. A família aguarda o laudo do Instituto Médico Legal (IML) que vai determinar a causa da morte da juíza. A informação é do portal de notícias G1.

Segundo Machado, a família desistiu de cremar o corpo de Roseane ao saber da importância da necropsia em um caso como esse. “O desejo dela era ser cremada, mas para isso o corpo teria de ser levado a Fortaleza. A família desistiu porque a necropsia é necessária para se apurar a causa da morte”, afirma. “Depois do laudo do IML, os familiares e a equipe médica serão ouvidos no inquérito.”

Muito abalado com a morte da noiva, ele contou que chegou a acompanhar Roseane em algumas consultas antes da operação. “Foi um choque para mim e para todos da família. Cheguei a ir com ela ao médico e, antes da cirurgia, todos os exames estavam normais. Dentro do possível, ela tinha boas referências dele”, diz Machado. “Apesar da dor, estou disposto a ir até o fim. Quero constatar se houve negligência médica ou se a equipe não teve culpa, sabemos que não será fácil, mas estou decidido”, afirma.

O noivo de Roseane disse que ela estava chateada na semana passada, porque ninguém do hospital tinha confirmado a cirurgia até sexta-feira (20/7) “Ela achava que não conseguiria operar, mas no domingo o próprio médico ligou para o celular dela e falou que tinha um horário”, afirma. “Roseane ficou feliz, eufórica por ter conseguido marcar a cirurgia. Ela queria estar bem para nosso casamento.”

Ivestigações

Segundo o corregedor do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), Luiz Domingues, a instituição também vai investigar a morte da juíza. O médico responsável pela operação deve comparecer ao Cremepe na próxima quinta-feira (2/8) para contar sua versão sobre o que aconteceu.

“Já iniciamos a investigação e vamos analisar o prontuário da paciente, o laudo do IML e ouvir o relato do profissional”, afirma Domingues. “Só depois poderemos determinar se houve imperícia, imprudência ou negligência por parte do profissional.”

Domingues explicou que o médico vai continuar exercendo a profissão até que seja realmente provado que teve alguma culpa pela morte da juíza. Se for culpado, o médico pode até perder o direito de exercer a profissão, segundo Domingues. Ele afirma que não pode revelar se existem outras queixas contra o cirurgião plástico registradas no órgão.

O diretor do Boa Viagem Medical Center, da Rede Alfa de Hospitais, Sérgio Guedes, afirmou que a paciente ficou cinco horas na mesa de cirurgia e, por mais de duas horas, os médicos tentaram ressuscitá-la, mas não conseguiram.

“Tudo o que aconteceu com a paciente consta do prontuário, que é um documento confidencial e agora pertence à família. O que eu posso dizer é que houve uma intercorrência e, mesmo com tudo o que estava à disposição e com tudo o que foi feito para reanimar a paciente, isso não foi possível", disse Guedes.

Roseane e o advogado estavam com o casamento marcado para o dia 8 de setembro. Machado contou que ela resolveu tirar férias no mês de julho para cuidar dos preparativos para a cerimônia e também se submeter à operação.

“Estávamos na contagem regressiva. Eu disse para ela esquecer isso, esperar até depois do casamento, porque não estava gorda”, diz Machado.

Revista Consultor Jurídico, 27 de julho de 2007, 12h25

Comentários de leitores

3 comentários

Shhiii! eu ia fazer uma em setembro, agora desi...

Gini (Servidor)

Shhiii! eu ia fazer uma em setembro, agora desisti. Melhor continuar sofrendo na malhação do que na eternidade, quem sabe.

O problema não é do paciente que esconde sua re...

Augusto (Advogado Autônomo)

O problema não é do paciente que esconde sua real condição de saúde. O problema é dos médicos que, no anseio de ganhar cada vez mais dinheiro às custas da fraqueza de espírito do paciente que quer a todo custo ficar mais "bonito", não investiga a fundo a real condição de saúde de seu paciente. No caso dessa juíza, inclusive, que Deus a tenha, vi na tv que já foi a quarta vítima dele. Coincidência ou a culpa foi da própria juíza???

Deveria haver um Histórico Médico emitido pelo ...

Habib Tamer Badião (Professor Universitário)

Deveria haver um Histórico Médico emitido pelo mesmo cartório que emite a certidão de nascimento, cujos dados sobre o paciente fossem armazenados num site do Ministério da Saúde a cada procedimento medico ou farmacêutico, o que facilitaria ao profissional da saúde que viesse lidar com o paciente uma real noção do organismo e seu psiqué no ato de um procedimento médico ou farmacêutico. Tá faltando honestidade dos pacientes que na sua maioria escondem dos médicos sequelas ou situações que impediriam a feitura de uma lipoaspiração que a impediria de conseguir a tão almejada beleza! Com a Palavra o Senhor Ministro da Saúde ( que é tão insignificante na república que nem sei seu nome)!

Comentários encerrados em 04/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.