Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Dívidas para pagar

Família Mayrink Veiga leiloa seus bens nesta terça-feira

Telas de Di Cavalcanti, Cândido Portinari, Milton da Costa e Lasar Segall são alguns dos bens que serão leiloados, nesta terça-feira (24/7), às 21h, pela família Mayrink Veiga. A proposta é obter fundos para começar a pagar dívidas com o Banco Nacional e com o Banco do Brasil, que chegam a R$ 1,4 milhão e R$ 16 milhões, respectivamente.

Entre os quadros leiloados, está um retrato da socialite Carmen Mayrink Veiga, de 1959, pintado por Portinari. Há, também, porcelanas japonesas raras, duas esculturas de Agostinelli, entre outras preciosidades.

O leilão, que acontece no Rio de Janeiro, foi autorizado pelo juiz Oswaldo Henrique Freixinho, da 29ª Vara Cível do Rio, e será promovido pelos leiloeiros Soraia Cals e Evandro Carneiro. É resultado da reestruturação das dívidas da família com os bancos.

O casal Antônio Alfredo Mayrink Veiga e Carmen Terezinha Solbiati Mayrink Veiga fizeram parte da alta sociedade por décadas. Gastaram a fortuna obtida com a Casa Mayrink Veiga em viagens, obras de arte, roupas, entre outros luxos. A Casa Mayrink Veiga, dede a Guerra do Paraguai (1864), fornecia armamentos, munição e equipamentos para as Forças Armadas brasileiras.

Na década de 1990, a empresa da família começou a entrar em crise. Segundo Antônio Alfredo, o Tony, contou para a Veja Rio, os problemas começaram com o Plano Collor e o bloqueio de contas bancárias além da falência da empresa inglesa Ferranti, de um de seus sócios.

Hoje, os Mayrink Veiga tentam se livrar dos bens para pagar as dívidas que restaram dos anos de luxo. Têm, também, de conviver com limitações físicas que, dizem, a mudança do estilo de vida provocou. Tony teve um infarto e Carmen sofre de uma doença degenerativa semelhante à esclerose múltipla, que limita os seus movimentos.

Revista Consultor Jurídico, 24 de julho de 2007, 16h12

Comentários de leitores

4 comentários

O DESTINO ÀS VEZES É MUITO INGRATO. QUEM DIRIA...

juridico2000 (Advogado Autônomo)

O DESTINO ÀS VEZES É MUITO INGRATO. QUEM DIRIA!!! A CARMEM MAYRINK VEIGA FOI PARAR EM IRAJÁ. ALÉM DO MAIS TERÁ DE ANDAR DE BUZU VESTIDA DE VALENTINO. SORRY PERIFERIA.

A propósito do comentário do sr. Murassawa, ser...

Observador (Outros)

A propósito do comentário do sr. Murassawa, seria realmente adequado que alguém trouxesse a tona a verdadeira história da mencionada família. Quem sabe assim viria à tona informações sobre o quanto essa família se benefciou às custas do erário e do povo brasileiro, para realizar seus prazeres aristocráticos.

Para falar de Carmem Mayrink Veiga, a pessoa te...

Murassawa (Advogado Autônomo)

Para falar de Carmem Mayrink Veiga, a pessoa tem obrigação de conhecer a história da familia e o que representou essa familia p/ o brasil.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 01/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.