Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

De cara com o tribunal

Ator inglês é acusado de abusar sexualmente de enteada

O ator de comédia inglês Chris Langham admitiu que olhava imagens com pornografia infantil para se sentir um homem melhor. A confissão foi um das provas contra o ator em um caso de abuso sexual de menores que enfrenta na Corte de Maidstone Crown, na Inglaterra. O caso continua em julgamento e ganha contornos cada vez mais dramáticos.

Ele teria dito a frase em uma chorosa conversa de telefone com uma menor, que é sua enteada. No tribunal, Langham, de 58 anos, negou 10 acusações de conduta indecente e duas de abuso sexual que teriam acontecido entre 1996 e 2000. Ele negou, ainda, 15 acusações por pornografia infantil em 2005.

A enteada de Langham, que teria sido abusada por ele aos 14 anos e hoje tem 25, disse que no telefonema ele mostrou a sua apreensão pela suspeita de baixar na internet imagens de pornografia infantil. “Ele disse basicamente que não olhava as crianças, mas as pessoas que as feriam. Ele estava chorando”.

A mulher teria perdido a virgindade com ele, que é o seu padrasto. Segundo ela, Langham teria usado o seu poder de sedução de ator para confundi-la. Em um momento de intimidade, o ator disse romanticamente que ela “era como uma menina pequena para ele”.

Por outro lado, os advogados de Langhan afirmam que ela mente sobre as datas dos acontecimentos. A enteada admitiu que alterou algumas datas, mas que teria somente 15 anos quando tiveram a primeira relação sexual.

A defesa afirma que a mulher teria provocado o encontro. Nele, tentou seduzir o ator depois de um dia de filmagem para o programa People Like Us quando ela tinha 18 anos em janeiro de 2001. Ela teria friccionado seu corpo sobre o de Langhan.

Revista Consultor Jurídico, 19 de julho de 2007, 0h01

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 27/07/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.