Consultor Jurídico

Notícias

Provas do além

Justiça aceita cartas psicografadas para absolver réus

Comentários de leitores

  • Página:
  • 1
  • 2

21 comentários

Se a moda pega.... Papai Noel, Coelhinho da Pás...

Regis (Professor Universitário - Dano Moral)

Se a moda pega.... Papai Noel, Coelhinho da Páscoa, Saci, Mula-sem-cabeça (ou com) serão aceitos, nos tribunais brasileiros, como testemunhas, podendo absolver ou condenar réus. Isto é brincadeira!

Responder

Polêmica e complexa essa situação. Que o leitor...

neidsonei (Serventuário)

Polêmica e complexa essa situação. Que o leitor observe que a diversidade de crença implica não apenas em indiferença de alguns, mas também implica em constrangimento com a convicção contraria de outros ou influencia aqueles que são levados por qualquer tipo de misticismo. Creio, por exemplo, que ensina a Bíblia sagrada que os mortos nada sabem (Ec 9:6; e tb “porque na sepultura, para onde tu vais, não há... conhecimento” Ec 9.10 - “Pois, na morte, não há recordação...” Sl 6.5, além de outras passagens) e que os únicos espiritos de fato ativo são de anjos caídos por terem se rebelado contra o governo de Deus (Apocalipse 12:7-9 “Então houve guerra no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão. E o dragão e os seus anjos batalhavam, mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou no céu. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama o Diabo e Satanás, que engana todo o mundo; foi precipitado na terra, e os seus anjos foram precipitados com ele.”). Em outras palavras, com o devido respeito aos que pensam diferente - que são muitos - creio segundo o ensinamento bíblico que tais comunicações com os espirítos de fato acontecem, contudo, não são espiritos de pessoas que morreram (pois estas pessoas qd morrem não tem mais consciência, cf textos já citados) mas sim espirítos desses anjos (que se rebeleram contra Deus) que podem imitar quaisquer caractéristicas de qualquer um, inclusive de anjos, com objetivo de enganar os vivos (2Cor 11:14 - "E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz".) Diante disso, imagine a utilização de uma carta psicografada utilizado como meio de se provar algo. Deve se ressaltar também que o espiritismo, em suas diversas facetas, ainda que não explicitamente como religião espirita, faz parte das convicções de muitos, tendo a Rede Globo bons méritos nessa tarefa por propagar constantemente em suas telenovelas tal crença (vide matéria da folha http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u308771.shtml). A carta psicografada usada como "prova" diante de um juri terá algum tipo de influência; de outro lado, será que poderia ser utilizado um testemunho/depoimento de algum religioso afirmando ter tido uma visão de Deus, ou anjo, ou só ouvido a sua voz, sobre algum fato discutido em juízo?

Responder

E se comprovado o "falso testemunho" quem vai s...

Marcelo Lima (Professor Universitário)

E se comprovado o "falso testemunho" quem vai ser processado? o espírito mentiroso ou o medium? Aos defensores da idéia, é possível o "depoimento" da vítima para confirmar a autoria delitiva?

Responder

Embora já tenhamos precedentes em nossa justiça...

Hendersen Neumann (Advogado Sócio de Escritório - Propriedade Intelectual)

Embora já tenhamos precedentes em nossa justiça, pergunto: 1)qual a segurança jurídica de uma decisão como esta, fundamentada neste tipo de prova? 2) Quantos Estados Democráticos de Direito possuem decisões similares? Não há como questionar que o réu tem amplo direito a defesa, desde que pautada no mínimo de razoabilidade!

Responder

A propósito, isso tudo me remete a uma questão ...

Ana Só (Outros)

A propósito, isso tudo me remete a uma questão importante! Uma amiga muito chegada tem uma carta de um milionário americano para ela, morto, of course, dizendo que precisa corrigir um erro, mesmo na outra vida, pois que ele lhe deixou toda a fortuna. O problema é que a carta do falecido foi psicografada por um médio também americano e está toda em inglês. Pergunto: Nesse caso, a tradução juramentada também deve ser psicografada? Quanto à carta, é verídica, pois o falecido dá detalhes que só ele conhecia...

Responder

Vruzes, não dá mais. Voltem a estudar, nem que ...

allmirante (Advogado Autônomo)

Vruzes, não dá mais. Voltem a estudar, nem que seja wm nome das criancinhas.

Responder

O Estado brasileiro NÃO É LAICO,uma vez que as ...

Neli (Procurador do Município)

O Estado brasileiro NÃO É LAICO,uma vez que as Igrejas,sejam quais forem,têm,à revelia da sociedade, a imunidade tributária. Um absurdo a gente sustentar essas igrejas,pois,os tributos não cobrados delas recaem sobre todos nós. Quanto às provas psicografadas: uai,no Júri pode tudo! É o juiz de fato ,então não tem que causar perplexidade,aliás,como disse alguém acima : não é fundamentada a decisão do Júri,vai daí que...

Responder

Daqui uns dias vão querer amarrar o réu e jog...

Hwidger Lourenço (Professor Universitário - Eleitoral)

Daqui uns dias vão querer amarrar o réu e jogar em uma lagoa.....se afundar, é porque foi perdoado ou era inocente. Se boiar, é culpado. Fogueira nele..... O Judiciário reluta em aceitar o depoimento on-line, mas aceita depoimento do além..... coisa incrível......

Responder

Paranormalidade ser usada como ferramenta de in...

Rose Cervini (Advogado Autônomo)

Paranormalidade ser usada como ferramenta de investigação policial, guardando as suas devidas proporções, até concordo. Mas, apenas investigação, não como prova em juízo, pois não tem a isenção necessária para que um júri possa atuar sem parcialidade. É uma questão subjetiva, depende da crença de cada um, e essa, no Brasil ou em qualquer país, não é uniforme.

Responder

Essa é a mais contundente prova de que o tribun...

Jaderbal (Advogado Autônomo)

Essa é a mais contundente prova de que o tribunal do júri deveria acabar. Agora, um conselho para o MP e assistentes de acusação: em casos assim, consigam uma "carta psicografada" dizendo o contrário.

Responder

Tem "estudante" que, ainda, não "aprendeu", que...

A.G. Moreira (Consultor)

Tem "estudante" que, ainda, não "aprendeu", que ele não tem competência para imitar o seu "professor" e que, enquanto usa o seu tempo para "dar aulas" , não tem tempo para aprender , alguma, coisa !!!

Responder

Esse é o Brasil. Na hora de absolver, vale qu...

Luismar (Bacharel)

Esse é o Brasil. Na hora de absolver, vale qualquer absurdo.

Responder

Não queria entrar nesta questão, mas vamos lá. ...

Ramiro. (Advogado Autônomo - Criminal)

Não queria entrar nesta questão, mas vamos lá. Por que direito não seria ciência por um caso isolado? A medicina não deixa de ser ciência só por que um médico esquece uma pinça no interior da cavidade abdominal do paciente, ou indica, sem ler o prontuário, um remédio para o qual o paciente é alérgico e este morre de choque anafilático. Nem o fato das teorias de Lamarch e Darwin trazerem implausibilidades e inconsistências, e não preverem fatores como deriva genética, não tornou a biologia menos ciência. Nem a física de Newton não responder à fatos experimentais quando são fenômenos próximos a velocidade da luz tornou a física menos ciência, permitiu surgir os trabalhos de Einstein. Dos ordálios da idade média, "julgamento de Deus", para o Tribunal do Juri, onde 11 do povo, gente comum do povo julga a culpa ou inocência dos seus pares foi um longo caminho. Se fosse decisão monocrática do Magistrado, este estaria com representação na Corregedoria do Tribunal. Agora quem vai ter coragem de querer acabar com o Tribunal do Juri nos crimes de homicídio, o mais humano dos crimes? Se fossem tirar do povo o direito de julgar a culpa de seus iguais? Se o Juiz proibe a prova "paranormal", tecnicamente é cerceamento de defesa. O problema é quando os onze do Juri aceitam tal prova. Sai do Judiciário para o povo a responsabilidade. A ciência do direito se ocupa de metodologias que fizeram que evoluíssimos dos ordálios para uma teoria das provas científicas, dos pareceres técnicos substituindo a tortura. Como a medicina evoluiu das amputações aos reimplantes de membros.

Responder

A "verdade" me parece que é aquilo que é aceito...

luis (Outros)

A "verdade" me parece que é aquilo que é aceito pelo grupo (no caso, o júri). Sendo assim, OK ! Aliás, se somente a verdade da acusação existisse, todos os réus teriam sido condenados de forma justa, o que, convenhamos, não é o que acontece.

Responder

Só falta condenar o capeta! Que vergonha!!!

E. COELHO (Jornalista)

Só falta condenar o capeta! Que vergonha!!!

Responder

Ele deu um tiro na cabeça e ficou vivo, daí deu...

Band (Médico)

Ele deu um tiro na cabeça e ficou vivo, daí deu um segundo para ter certeza de que iria morrer. Pode?

Responder

Caro Professor Armando do Prado Eu diria só...

Band (Médico)

Caro Professor Armando do Prado Eu diria só se fosse ciencia oculta! Quem sabe colocar a depor cartomantes, videntes e prestigitadores.... Que vergonha para o país e para a justiça nacional!

Responder

O Juiz, jamais, poderia permitir a leitura de "...

A.G. Moreira (Consultor)

O Juiz, jamais, poderia permitir a leitura de "cartas do além" !!! Principalmente, porque o "correio" , nestes casos, é , sem sombra de dúvida, o SATANÁS , que, historicamente , é MENTIROSO !!! Os "médiuns" , de um modo geral, por percepção, escrevem o que lhe "businam" no ouvido. Entretanto, por IGNORÂNCIA ou MÁ FÉ, dizer que quem "mandou a mensagem" foi o falecido . Quando o cidadão está vivo, é necessário se identificar, por meio de documentos. Agora, que está morto, como os médiuns" fazem a identificação ??? Por "dedução" ou por "ouvir falar" ???

Responder

Cabe ao homem, nascer e morrer uma só vez. Cons...

Lins (Estudante de Direito - Criminal)

Cabe ao homem, nascer e morrer uma só vez. Constate no Livro da vida (Biblia Sagrada)

Responder

Claro, refiro-me ao fato de aceitarem o raio do...

Armando do Prado (Professor)

Claro, refiro-me ao fato de aceitarem o raio do depoimento do morto (sic). Por enquanto, haverá novo juri. Conjur a manchete faz jus ao "saudoso" notícia populares.

Responder



  • Página:
  • 1
  • 2

Comentar

Comentários encerrados em 22/07/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.