Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Terra nossa

CNJ manda juiz baiano julgar ações que tramitam desde 1979

O Conselho Nacional de Justiça fixou prazo de seis meses para que o juiz federal de Eunápolis (BA) julgue cerca de 20 ações movidas por pequenos proprietários de terras contra uma multinacional de extração de madeira, em Porto Seguro. Algumas das ações tramitam deste 1979.

As famílias alegam apropriação indevida de algumas áreas e enumeram supostas ilegalidades cometidas pela empresa nos últimos 30 anos. “Foi determinado que o juiz daquele município julgasse estes processos com absoluta prioridade, pois se trata de conflito fundiário muito antigo e que envolve pessoas humildes e idosas”, afirmou o conselheiro Eduardo Lorenzoni.

Segundo o CNJ, a Associação Rio da Barra dos Pequenos Proprietários de Terra da Região do Vale Verde apontou omissão e morosidade da Justiça local com relação a ações judiciais abertas pelas famílias.

Em seu voto, Lorenzoni exigiu que a Corregedoria-Geral do Tribunal de Justiça da Bahia e o Ministério Público façam um esforço para investigar o sumiço de alguns processos. “Das 28 ações, 12 estão desaparecidas.” Em 30 dias, o TJ baiano, a Corregedoria-Geral e o juiz federal de Eunápolis deverão informar ao CNJ quais ações foram adotadas.

Revista Consultor Jurídico, 27 de janeiro de 2007, 0h02

Comentários de leitores

6 comentários

Parabens a todos que contribuiram para a c...

Paulo Chaves de Araujo (Consultor)

Parabens a todos que contribuiram para a criação do Conselho Nacional de Justiça que deve trabalhar para um país mais justo e menos violento.

É vergonhoso tomar conhecimento desse tipo de n...

Murassawa (Advogado Autônomo)

É vergonhoso tomar conhecimento desse tipo de notícia, assim como, entendo que há outras praças que necessita desse tipo de fiscalização, senão vejamos o próprio tribunal de são paulo, que demora em torno de cinco anos p/ distribuir um recurso.

O CNJ que venha fiscalizar as comarcas do inter...

José Carlos Portella Jr (Advogado Autônomo - Criminal)

O CNJ que venha fiscalizar as comarcas do interior do Paraná. Vai encontrar casos que vão deixar os Conselheiros de cabelo em pé!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 04/02/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.