Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Tirando o atraso

Cem juízes se inscrevem para mutirão no TJ de São Paulo

Por 

O Tribunal de Justiça de São Paulo encerrou na última segunda-feira (15/1) a inscrição para o mutirão de 2ª instância. Foram inscritos 36 juízes para o Direito Privado, 11 para o Público e 54 para o Criminal. Juntos, eles julgarão cerca de 30 mil processos. Se inscreveram juízes de 1ª Instância, ocupantes de cargo de entrância final para integrar câmaras formadas para auxiliar no julgamento de processos de 2ª instância, sem prejuízo do cargo de titular, isto é, dos processos das varas de origem.

Serão montadas câmaras alternativas compostas por 5 juízes e um desembargador. Cada juiz receberá 25 processos por mês, num total de 300 ao ano. Esse é o segundo mutirão do TJ-SP para reduzir o acervo de ações da 2ª instância, que hoje gira em torno das 600 mil. O primeiro começou em 2005 com a distribuição de 110 mil processos entre as três seções e 415 juízes cadastrados. Desse volume, já foram decididos em torno de 105 mil.

A Seção de Direito Privado do tribunal foi dividida em 1, 2 e 3. No 1, ficaram as ações de indenização por danos morais em geral, plano de saúde e as de seguro saúde. No 2, os embargos à execução, embargos de terceiros e cobrança de títulos, monitória, consórcio e a de indenização decorrente de transporte. No 3, alienação fiduciária, acidente de veículo e a arrendamento mercantil.

Na câmara de Direito Público ficaram as ações de licença-prêmio, sexta-parte, contribuição sindical e os embargos à execução fiscal e, na Criminal, os de recursos em sentido estrito, recurso de ofício, apelações.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 21 de janeiro de 2007, 0h01

Comentários de leitores

4 comentários

raphael, de ilusão também se vive. Talvez seja ...

João Bosco Ferrara (Outros)

raphael, de ilusão também se vive. Talvez seja por isso que o senhor até hoje não é advogado, nem juiz, nem nada..., pois bacharel e nada no mundo jurídico é a mesma coisa. Por essa razão aconselho-o a estudar mais um pouco. Quem sabe, então, o senhor conseguirá desobstruir a mente e a vista para enxergar melhor e com mais acuidade a vida como ela é...

Dr. João Bosco, se a coisa é assim como o senho...

Michael Crichton (Médico)

Dr. João Bosco, se a coisa é assim como o senhor diz (mas não é...) mande as notícias para o CNJ para as providências cabíveis. Essa coisa de os juízes julgarem como lhes dá na cabeça, francamente. O senhor parece não saber do que fala. O jornalista Mauro Chaves escreveu que as juízas de comarca da Grande São Paulo não iam trabalhar, certamente confiando em colegas dele, e o Estadão teve que publicar direito de resposta no dia 06 de janeiro. É o que dá falar de coisas sem ter conhecimento real, efetivo.

Caro João Bosco Ferrara, a coisa tá tão feia qu...

Reginaldo (Advogado Autônomo)

Caro João Bosco Ferrara, a coisa tá tão feia que nem Deus quer meter a mão nesta cumbuca. Suas colocações são perfeitas.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 29/01/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.