Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Testamento de Saddam

Antes de sua execução, Saddam pediu para defesa não apelar

Por 

Poucas horas antes de sua morte, o ex-ditador iraquiano Saddam Hussein pediu a seus advogados que não ajuizassem apelação e acusou os Estados Unidos e o Irã de terem colaborado para sua execução. O pedido de Saddam consta de cópia de seu testamento, deixado a seus advogados, segundo o site Findlaw.

Os pedidos finais de Saddam foram dados ao advogado chefe de sua causa, Khalil al-Dulaimi, a quem era conferido o direito de “decidir o que fosse necessário, exceto apelar pela vida de Saddam para qualquer presidente, rei, árabe ou estrangeiro”.

Saddam ditou seu testamento ao advogado Khalil al-Dulaimi em encontro mantido com ele e com o também advogado de sua causa, Amin el-Deeb.

Segundo Amin el-Deeb, o encontro se deu 24 horas antes da execução de Saddam, no dia 30 de dezembro passado. Saddam foi condenado à morte a 5 de novembro de 2006 pela morte de 148 xiitas, que tentaram assassina-lo em Dujail, em 1982.

 é repórter especial da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 14 de janeiro de 2007, 16h37

Comentários de leitores

1 comentário

A história do julgamento e execução de Saddam...

Dijalma Lacerda (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

A história do julgamento e execução de Saddam em muito se assemelha à do cordeiro da fábula de La Fontaine. Pouco lhe importaria interpôr uma série de recursos, que no final seria mesmo executado. Se ele devia ou não devia, se havia mesmo praticado as atrocidades que dizem ter praticado ou não, não me atenho a tal análise. O que se sabe é que ele não teve um julgamento isento, que deveria ter sido levado a efeito por uma Corte Internacional, neutra. Temo que os reflexos disso respinguem por todo o nosso globo terrestre .

Comentários encerrados em 22/01/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.