Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Fatura atrasada

Cartão de crédito não pode cobrar encargos em caso de atraso

As empresas de cartão de crédito Credicard, Real, Itaucard, Fininvest, Ourocard, Bradesco, Banerj e Federal Card (Caixa) estão proibidas de cobrar encargos em caso de atraso ou inadimplência no pagamento das faturas.

A decisão é do desembargador Ricardo Regueira, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região. O recurso foi ajuizado pelo procurador da República Márcio Barra Lima contra a decisão da 30ª Vara Federal do Rio de Janeiro, que negou o pedido de liminar. Cabe recurso.

A Justiça declarou abusivas as cláusulas contratuais que estipulam taxas de garantia e de administração, a multa moratória superior a 2% do saldo devedor e a cobrança simultânea de dois encargos quando há inadimplência.

Para o MPF, os contratos dos cartões de crédito omitem informações como os limites dos encargos, as instituições financeiras contratadas pela administradora, os prazos e os juros da dívida. Essa ausência de dados viola o direito à informação previsto no Código de Defesa do Consumidor, segundo o MPF.

Processo: 2006.02.01.015062-4

Revista Consultor Jurídico, 11 de janeiro de 2007, 10h36

Comentários de leitores

3 comentários

As operadoras de cartões de crédito podem cobra...

servsp (Prestador de Serviço)

As operadoras de cartões de crédito podem cobrar o valor abusivo que vem cobrando ou cabe recurso segundo o código de defesa do consumidor, já ouvi de advogados que não cabe recurso pois ao assinar o contrato voce está concordando com as taxas de juros... quem pode me informar ao certo???

Isso vale para qual cidadão brasileiro? Acho qu...

ML (Estudante de Direito)

Isso vale para qual cidadão brasileiro? Acho que está faltando informações.

O "recurso foi ajuizado"??? Como assim? É inad...

Alexandre Barros (Advogado Sócio de Escritório)

O "recurso foi ajuizado"??? Como assim? É inadmissível que um site que se presta a divulgar informações do mundo jurídico cometa tamanha gafe!

Comentários encerrados em 19/01/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.