Consultor Jurídico

Artigos

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Princípio de continuidade

Serviço público não pode entrar em greve geral

Por 

O princípio da continuidade, também chamado de Principio da Permanência, consiste na proibição da interrupção total do desempenho de atividades do serviço público prestadas a população e seus usuários. Entende-se que, o serviço público consiste na forma pelo qual o poder público executa suas atribuições essenciais ou necessárias aos administrados.

Diante disso, entende-se que o serviço público, como atividade de interesse coletivo, visando a sua aplicação diretamente a população, não pode parar, deve-o ser sempre continuo, pois sua paralisação total, ou até mesmo parcial, poderá acarretar prejuízos aos seus usuários, e não somente a eles, tendo em vista que destes prejuízos poderão ser exigidos ressarcimentos e até mesmo indenizações, recairá estes prejuízos aos próprios servidores públicos.

Sabe-se que o serviço público é fundamental e indispensável para a população, tendo em vista que várias áreas e atividades dos órgãos públicos, além de ligadas diretamente a população, hoje em dia podemos considerá-las como obrigatória sua utilização pelos que dela dependem.

Um exemplo de serviço público de “caráter obrigatório”, que podemos citar, consiste no exercido pelo INSS, em relação ao seguro-desemprego. Para que se postule tal direito, direito este garantido pela própria Carta Magna, faz-se necessário que ingresse seu pedido junto ao INSS para que este órgão, mediante seus serviços públicos, lhe atribuía o recebimento de determinada quantia a pessoa de direito.

Sabe-se também que inúmeras vezes escuta-se que determinado órgão público entrou em greve, no entanto devemos salientar que o direito de greve consiste em um direito assegurado pela Constituição Federal em seu artigo 37, VII, porém devemos fazer uma ressalta quanto a isso, pois o direito de greve deve ser exercido nos limites definidos na lei.

Desta forma, possui os órgãos direito de greve, mas seu direito não pode ser exercido por todos os servidores públicos ao mesmo tempo, deve uma parte do determinado órgão, que entrou em greve, continuar funcionando tendo em vista a obrigatoriedade de respeitar o princípio da continuidade do serviço público, pois a população, que utiliza de seus serviços não podem ser prejudicadas e caso isto ocorra devemos destacar o artigo 37, § 6º da Constituição Federal que garante aos usuários do serviço público o direito de indenização ou ressarcimento dos eventuais prejuízos obtidos por causa da greve.

Possuímos outros exemplos de serviços públicos que devem respeitar o princípio da continuidade, como o serviço de distribuição de água tratada e esgoto, transporte coletivo, saúde e etc. Vale ressaltar que tais interrupções poderão ocorrer em curtos períodos de tempo, interrupções estas que deverão ser antecipadamente notificadas aos seus usuários, não de um dia para outro, mas em tempo hábil para que os dependentes de determinado serviço possam se programar. Esta situação compete a sua exceção.

Diante do exposto, vemos a importância de que o serviço público possui perante seus usuários e como deve ser respeitado o principio da continuidade ou permanência. Entendemos que caso ocorra a paralisação, desta poderá ocorrer inúmeros transtornos, não somente aos usuários como também aos que dispõe de tal atividade. Desta forma, devemos nos ater a tal princípio e respeite-lo.

 é advogado do escritório Gaia, Silva, Rolim & Associados.

Revista Consultor Jurídico, 26 de fevereiro de 2007, 18h59

Comentários de leitores

4 comentários

Lamentável que a formação em medicina não abarq...

luis (Outros)

Lamentável que a formação em medicina não abarque outras matérias, inclusive o sistema de previdência, direito, ética, política etc. Talvez os operadores da ciência médica tivessem mais informações e atualizações sobre tais temas.

Só o joãozinho mesmo! A constituição é de 1988 ...

Band (Médico)

Só o joãozinho mesmo! A constituição é de 1988 e as perdas foram depois pelo tamanho da conta! Queria ainda mais Fundo de Garantia para quem não perde emprego nunca?

Senhores, senhores.. ..primeiramente concordo ...

joãozinho (Outros)

Senhores, senhores.. ..primeiramente concordo com a questão de paralisação TOTAL de serviços essenciais não pode ocorrer.... ...agora INSS pagar seguro-desemprego?? não entendi... ...ao comentarista "band":foi citado, erroneamente INSS..."INPS" acabou em 1990. De resto, teu comentário parece coisa de lugar-comum, senso comum....clichês....."INPS" fechado? onde? licença prêmio, em nível federal, acabou em 1997...aposentadoria integral acabou a partir da emenda constitucional 40...estabilidade é para compensar a falta do depósito de fundo de garantia...se um servidor sair ou for mandado embora, vai com mão a frente e outra atrás...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 06/03/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.