Consultor Jurídico

Comentários de leitores

10 comentários

Somo 18 processos movidos contra mim, a partir ...

Lúcio (Jornalista)

Somo 18 processos movidos contra mim, a partir de 1992, pelos irmãos Maiorana, donos do grupo Liberal, que integra, no Pará, a Rede Globo de Televisão e domina o mercado de jornal. Na primeira leva, de Rosângela Maiorana Kzan, foram cinco ações, quatro criminais e uma cível (para me impedir de me referir a ela, ad aeternum). Na segunda leva, são 13, em andamento: 9 criminais e 4 cíveis, de indenização. Todas propostas por Ronaldo Maiorana e Romulo Maiorana Júnior. E somente a partir da agressão que Ronaldo, diretor-editor corporativo de O Liberal (além de presidente da Comissão Pela Liberdade de Imprensa da OAB do Pará - pasmem), praticou contra mim, pelas costas, em um restaurante, em uma área de propriedade do Governo do Estado (na qual tem sua sede a Secretaria de Cultura), com a ajuda de dois capangas, um sargento e um subtenente da Polícia Militar (da ativa!). Diz que me agrediu porque eu ofendi a família num artigo no meu Jornal Pessoal. Em várias das ações, sou acusado de caluniar, injuriar e difamar os Maiorana porque disse que fui espancado, quando não fui espancado: fui "apenas" agredido. E até pedem indenização por dano moral (e material!) por essa "confusão". Nenhum Maiorana me mandou uma única carta, no exercício do direito de resposta. Nenhum Maiorana desmentiu o que publiquei. Nenhum Maiorana publicou qualquer coisa em seu jornal ou veiculou em sua TV a respeito das minhas supostas ofensas. Simplesmente foram mandando uma ação depois da outra para a justiça, apesar de fundada num absurdo depois do outro, esperando que a justiça faça por eles o que seus capangas fazem. E esperando que, até a sentença, eu me deixe abater por todas as restrições e danos que esses sucessivos processos me causam. Todos foram recebidos e estão em instrução, em primeiro grau ou em recurso. Felizmente dois deles, de indenização, não foram acolhidos pela juíza da 4ª vara cível. Os Maiorana recorreram. Outros três, criminais, estão em fase final para sentença. Todos esses Maiorana se dizem jornalistas. Estão registrados como tal. Ah: fui condenado em 1º grau porque chamei o maior grileiro de terras do mundo, o empreiteiro Cecílio do Rego Almeida, de grileiro. A sentença foi confirmada pela 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Pará. E só subiu para o STJ e o STF através do recurso do agravo, de curso obrigatório. Se dependesse do TJE não teria subido e eu estaria condenado de pronto a indenizar um homem que quer se apropriar de CINCO MILHÕES DE HECTARES de terras do Estado do Pará e da União. Só isso. Ah: a justiça federal local determinou o desalojamento do grileiro da área.

É triste saber, Pryscila, que "o bate-boca edit...

Luciano (Jornalista)

É triste saber, Pryscila, que "o bate-boca editorial" não só "ganhou as páginas de jornais e as linhas dos blogs" mas também os punhos enfurecidos dos próprios jornalsitas. Refiro-me ao caso do jornalista Lúcio Flávio Pinto que há dois anos foi espancado num restaurante público por um dos donos de um dos maiores grupos de comunicação do norte do país, as Organizações Rômulo Maiorana. Tudo por causa de uma matéria publicada por Lúcio Flávio em seu Jornal Pessoal que mencionava a história da família Maiorana. Eu, como estudante de jornalismo, sofro de extrema indignação diante de tais brutalidades contra a liberdade de expressão.

Parabéns ao Diogo Mainardi! Vamos exemplific...

Baudelaire (Advogado Autônomo)

Parabéns ao Diogo Mainardi! Vamos exemplificar: todo mundo sabe que a maioria dos políticos, principalmente os ligados ao Poder Executivo, depois de alguns anos de "atuação", ficam muito ricos e essa riqueza não é compatível com seus rendimentos. E a Receita e demais entidades que deveriam investigar essa riqueza rápida e brutal, não fazem nada. Aí, aparece um Mainardi corajoso, fala as verdades e sofre processos. NÃO SE CALE, MAINARDI!

Tirando a classe média - essa criação do Diabo ...

Pedro Afonso Gomes (Economista)

Tirando a classe média - essa criação do Diabo - quem é que presta atenção ao que dizem os jornalistas? Com honrosas exceções, viraram assessores de imprensa de grupos econômicos. Antigamente se dizia que o jornalista transformava o fato em notícia, mas hoje esse pessoal gosta mesmo é de lançar a notícia para que ela se transforme em fato e contribua para beneficiar o seu contratante.

Como comenta sempre MIlton Neves, delinquente v...

Murassawa (Advogado Autônomo)

Como comenta sempre MIlton Neves, delinquente verbal está cheio, porém, jornalista na acepção da palavra hoje não mais existe, pois, está cheio de "jornalista" copiometro.

Penso o seguinte,sem entrar no mérito da matéri...

Neli (Procurador do Município)

Penso o seguinte,sem entrar no mérito da matéria ou de quem tem razão ou não: já não se fazem mais jornalistas com J maiúsculo,exemplo:Barbosa Lima Sobrinho, Samuel Warner,etc O jornalista de hoje é o retrato do Brasil de hoje,nada mais,aliás,em todas as profissões o retrato é o Brasil de hic et nunc...Infelizmente!

Mainardi é de uma safra que tem produzido vaníl...

Armando do Prado (Professor)

Mainardi é de uma safra que tem produzido vaníloquos com espaço para achincalhar a torto e a direito (melhor seria dizer à esquerda). Veja e esse "jornalista" se merecem. Aliás, as 4 famiglias, mesquita, civita, frias e marinho, perderam o norte depois da reeleição de Lula, eles que quiseram tungar o povo brasileiro, querendo impor o voto a cabresto midiático.

Pimenta no dos outros sempre foi refresco. Libe...

Band (Médico)

Pimenta no dos outros sempre foi refresco. Liberdade para si e não para os outros! E isto que era a justificativa para a reserva de mercado. A ética ao tratar com os outros. Não sobrou nem a proficiencia nos assuntos, nem a ética com que se esbofeteiam verbalmente!

É, A LIBERDADE DE EMPRESA há de ser preservada....

Rubão o semeador de Justiça (Advogado Autônomo)

É, A LIBERDADE DE EMPRESA há de ser preservada... Pô, falar que o merchan Milton Neves e esse menino Mainard jão jornalistas... O Barbosa Sobrinho se revirou no jazigo!

Errado. O Milton Neves processa colegas. O ...

Luismar (Bacharel)

Errado. O Milton Neves processa colegas. O Mainardi não processa ninguém. É muito perigoso que por trás desses processos esteja uma ação coordenada de asseclas governistas e petistas para calar vozes que se oponham ao PT e ao governo. O judiciário deve abrir os olhos para não servir de instrumento da luta política.

Comentar

Comentários encerrados em 25/02/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.