Consultor Jurídico

Comentários de leitores

24 comentários

Caro Dr Milton Córdova Eu não concordo que t...

Band (Médico)

Caro Dr Milton Córdova Eu não concordo que tenha feito o trabalho necessário! Acho que ele fez a burrice desnecessária! Meteu os pés pelas mãos e tornou o mundo mais perigoso e os EUA mais desacreditados usando de mentira deslavada para cometer o seu erro. Defendi o enforcamento dele, mas sem dúvida Saddam sem armas de destruição em massa era mais seguro e estável para a região! O Iraque não virou uma democracia, a violência sectária aumentou, e ele deverá expandir o conflito para fora das fronteiras, mas sem resultado. Os Chiitas, mais atrasados no poder não os amam, e o Sunitas continuarão os odiando! Não sei a opinião dos americanistas, mas acho que foi um dos piores presidentes americanos dos últimos 100 anos. Foi um desastre para a política externa do EUA. As suas burradas durarão por décadas ainda. O consolo, para quem acredita na democracia, é que ele tem dia e hora para sair da casa branca. Dificilmente elegerá seu sucessor republicano!

Independente de qualquer coisa, qualquer tese, ...

Milton Córdova (Advogado Autônomo)

Independente de qualquer coisa, qualquer tese, qualquer estudo, sempre é bom lembrar que Sadam Hussein (e seus filhos) não eram santos. Ao contrário, é de sabença geral que eles eram assassinos cruéis, verdadeiros fascínoras, completamente desequilibrados, que desprezavam a vida de seus próprios semelhantes. Alguém tinha que fazer o "trabalho sujo". Bush fez - bem ou mal, ilegal ou não, mas fez.

Dr. Band, A mentira sobre o Iraque e a farsa...

Saulo Henrique S Caldas (Advogado Sócio de Escritório)

Dr. Band, A mentira sobre o Iraque e a farsa no julgamento de Saddam "pelo Iraque" podem não resultar, fisicamente, "nada" contra o então "Heil Bush", mas desgastou os argumentos spostamente "democráticos" e "civilizados" dos EUA perante as nações de primeiro mundo. Antes, o primeiro mundo era enganado sozinho, agora o primeiro mundo se vê "recuado" ante a pretensão de imperialismo (que segundo o cientista político Noam Chomsky, em seu clássico "O Império Americano"). Uma coisa é empurrar na parede Cuba, Bolívia, Brasil, Argentina... outra é empurrar China, Alemanha, França etc. A inglaterra é uma putana dos EUA, vou deixá-la de fora desse rol. OS EUA violaram as Leis Internacionais que regulam a matéria sobre invasão de países soberanos. Foi ilegítima a invasão. A conexão entre Iraque e Al Qaeda nunca foi "levada para os autos", mas Michale Monrooe - no documentário Fahrenheit 11 de Setembro - e Ray Bradbury, na obra Fahrenheit 451, mostraram ao mundo como os EUA lidam com a "informação" para massificar e fazer suas posições e pretensões descerem goela abaixo pelas demais nações. Ora, esse "modo" de coerção ideológica que os EUA usa hoje quando quer travar "guerra" em "nome da paz mundial". me lembra a "Der Triumph des Willens" (O triunfo da vontade), documentário político alemão prozudido e encenada pela na época famosa cineasta Leni Riefenstah, durante a campanha nazista em 1934, ou do patético mas eficiente doutor Joseph Goebbels, diretor do Ministério da Propaganda Nazista. Comparando-se, assim, o "modus operandi" de "Heil Bush" com o do "Heil Hitler", em termos de pretensão imperialista e de tática de convencimento das massas (hoje, o mundo civilizado), vemos que NADA LEGITIMA o que os EUA fizeram no Iraque e agora, já de olhos voltados para o Irã, e idos dos anos anteriores voltou contra a Coréia. Esses caras querem transformar o mundo num BIG BROTHER, onde eles dizem as regras da "casa". E detalhe: a única vida não investigada no mundo hoje é a deles próprios, em termos armamentistas. Eles apresentam a versão deles, e ponto final. GUANTÁNAMO é a prova de que Bush e Fidel são farinha do mesmo saco. Fidel se assume ditador, e Bush um fidalco com discurso democrático e que usa poder bélico para impor suas ideológias. Enquanto GUÁNTANAMO existir, e a mídia paralela para mostrar a versão que a CNN e a White House nunca mostrará, eu continuarei acreditando que chegaremos a incriminar os verdadeiros criminosos, e que estes serão punidos senão pela justiça terrena, pela providência divina (ou do tempo, para quem não crê em anda disso). Memorando a história das nações, Naucodonossor, déspota, se achava o dono do mundo. Mas Dário, o medo, com os persas arrasous eu sonho. Alexandre o Grande fez o mesmo com Ciro e a érsia, levando a Grécia à egemonia do Mundo , mas só até os Césares esmagarem com "pernas de ferro" a Grécia e tornar Roma o maior Império da História... e mesmo o que se erigiu como "o maior", em 476 dC ruiu políticamente... No mesmo sentido a França de Naopleão, os Reichs da Alemanha.. e assims erá com os EUA, por que assim correm as águas dos rios da história - os déspostas do mundo cairão. Pode apostar nisso! Quem julagr impossível, ou não vislumbrar como, reveja a história mundial... é um caminho para entender. O Direito sorbeviveu a essas crises sociais, enquanto ciência. Não o reputo em crise, mas em crise está a sociedade que o aplica, que formula conceitos dóspares de uma a outra época, que com subterfúgios procuram acampar no erro alheio para dar legitimidade aos erros próprios ao invés de impulsionar a correção do que é errado segundo "o costume internacional". Detalhe, Dr. Band. Você aduziu, em seu argumento, que por não ser uma "lei natural" o direito está longe de ser efeitivo na solução dos dissídios sociais. Mas a Lei Natural tem essa função? Eu te digo que são funções distintas. Social e Natural são coisas distintas, sem esquecer do DIREITO NATURAL (que não é igual a "Lei Natural"), aquele que trazemos conosco por nascimento, e independe da Lei Positivada: "Ex: Direito de respirar." O aborto quebra essa norma, não? []´s

Caro Dr Saulo Henrique Perdoe-me se não me f...

Band (Médico)

Caro Dr Saulo Henrique Perdoe-me se não me fiz entender Acompanhe comigo. Não existe direito. Você cria uma série de regras conforme as “ciências jurídicas”. Elas só valerão se alguém puder impor a sua obediência! Ela não é uma lei natural. O que para mim seria justo, para o senhor pode ser uma barbaridade. Elevar isto ao nível de sociedade, em que as pessoas são dispares em poderes e honestidade, é complexo. Em estados então é praticamente impossível. Podemos dizer que justiça é um ideal humano a ser perseguido e nunca atingido, tal como democracia! Mas veja que temos grandes inimigos da democracia e da justiça na esquerda, pois nestes sistemas mencionados não conseguem manipular o povo por muito tempo! Eu também não apoio a invasão de países. Mas também não apóio atirarem aviões e explodirem metrôs matando inocentes. Assim como homens bombas explodindo-se entre adversários para impor a sua fé! Mas nada disto consegue ser resolvido pela justiça, apenas pela força. Bush mentiu descaradamente sobre o Iraque! Quem vai prendê-lo e processá-lo? Não é uma idéia infantil alguém pensar que se vai conseguir isto? Se não se conseguiu com Hitler, Stalin, Mao, Salazar, Franco, etc... Quem quiser fazer isto, algemá-lo e ler os seus direitos conta com a minha simpatia! Mas acho, repito, infantil pensar nesta possibilidade! Iria se colocar quem no seu lugar? O coronel Hugo Chaves?

Dr Band, O problema invocado por Rezek exced...

Saulo Henrique S Caldas (Advogado Sócio de Escritório)

Dr Band, O problema invocado por Rezek excede capitalismo x comunismo. Tem que ver com a gênese do problema social humano. Facistas de direita e de esquerda? Qual a diferença, Dr. Band? Bu´sh é um facista com mascara de democracia. Comunistas e Nacional-Socialismo, mostraram ao mundo que só existem dois grandes blocos, de fato: UM que rouba e OUTRO querendo roubar. Não percamos tempo querendo defender nenhum deles, pois os fins são os mesmos. Passado esse ponto "político" da discussão, volvamos ao que interessa. O direito é infantil? Creio que o Dr. Band está confuso, não conseguindo distinguir entre o direito (ciência jurídica) e seus operadores - estes sim IRRESPONSÁVEIS em macular a imagem do Direito. Outra distinção é entre Direito e Justiça. A segunda é "a virtude de dar a cada um aquilo que é seu." (Ulpiano). Nem senre acontece quando se analisa a Lei. Mas Lei e Direito também não se confundem. Logo, Direito, Justiça e Lei são distintos. Direito seria, em síntese,"conjunto de regras jurídicas." È muito simplório de sua parte alegar que o Direito é infantil. Para não dizer argumento "leigo", porque o que a sociedade está cansada é de ver a INÉRCIA do Judiciário em aplicar a Lei quando os envlovidos são "gigantes sociais", ou, no âmbito internacional, de ver a ONU não punir quando o transgressor é um membro de sua cúpula (detalhe: sempre encabeça a malandragem os USA, do "Heil Bush"). A irresignação pode ser legítima, desde que se baseio no fato de ter o aplicador como seu alvo, e não o Direito enquanto ciência. []´s

Roland Freisler: no meu comentário, minha atenç...

Saulo Henrique S Caldas (Advogado Sócio de Escritório)

Roland Freisler: no meu comentário, minha atenção é GUANTÁNAMO. O assunto aqui não é CUBA, mas GUANTÁNAMO. Não sou partidario de Fidel, mas não apoio invasões em países soberanos como vem fazendo os EUA, inclusive recentente. []´s

São tão pouco lineares que o 11 de setembro nem...

Band (Médico)

São tão pouco lineares que o 11 de setembro nem mais precisamos lembrar. Naquela época se culpou Bush filho por ter abandonado a política naquela parte do mundo ao deus dará, ao contrário da escalada que fazia Clinton. Quem o chamou de volta foi o Bin Laden, o herói dos Talibans que derrotou a Aliança do Norte que derrotara o exército comunista no Afeganistão! Assim como os muçulmanos destroçaram a ex-Iugoslávia comunista sofrendo o genocídio por parte dos Sérvios. Armamentos empregados nestas tragédias sem importância: soviético comprado antes da queda! Como é fácil a esquerda ser simplório!

Dr. Band, a história não é linear como o senhor...

Armando do Prado (Professor)

Dr. Band, a história não é linear como o senhor quer fazer parecer. Estudá-la, ajuda a entender as contradições. Quando cito os EUA, refiro-me ao hoje, século XXI, 2007 e não ao passado. A tragédia acontece hoje, e tem nome e sobrenome: USA ou se quiser, EUA.

Sr. Saulo Henrique, as outras prisões da ilha n...

Roland Freisler (Advogado Autônomo)

Sr. Saulo Henrique, as outras prisões da ilha não são currais humanos? ou será que são hotéis de 5 estrelas?

Certo... e as prisões do resto da ilha, não são...

Roland Freisler (Advogado Autônomo)

Certo... e as prisões do resto da ilha, não são uma "falta de pudor em cometer arbitrariedades e barbáries"? muito blá blá blá

Caro Dr Saulo Henrique Não existe paralelo e...

Band (Médico)

Caro Dr Saulo Henrique Não existe paralelo entre ciência e cientistas e direito e justiça. Cientista não aplica uma invenção, apenas pode descobrir as relações naturais que independem da vontade do homem. Já o direito, por não existir de fato, não é suficiente à vontade ou o ideal particular da mesma. Antes, é preciso o poder para aplicá-la! Você não precisa da autorização das autoridades para contar com o valor da força da gravidade ou a ação de um antibiótico, mas precisará de poder para fazer exercer “justiça” inventada pelos homens. Independente da filosofia maravilhosa em que ela se baseie. O problema de falta de justiça ou injustiças está muito longe do problema de Bush! Aqui dentro do país, alvo da minha primeira intervenção, já se vê que a mesma é uma piada dia após dias. Um exercício para defender o crime apenas. E o resultado se assiste a olhos vistos! Aqui se eliminou a pena de morte e a prisão maior de seis anos para a maioria (um sexto da pena), e no máximo de trinta. Nos países sonhados pelo professor tal benesse jamais foi cogitada, e na China, que o mesmo sonha como a salvação, ainda cobra a bala da família! O que nos colocar em rumo de colisão o seu ataque ao capitalismo como sendo o fundamentalista Bush o seu paradigma. Então devemos perguntar onde no mundo do nacional socialismo ou do seu irmão de esquerda e revolucionário, o internacional socialismo, a justiça foi livre e justamente aplicada? Quanto ao professor, pobre professor, acha que as guerras foram inventadas pelos EUA, e se esquece totalmente das guerras travadas pela URSS contra seu próprio povo e os países satélites. O Tibet, o Afeganistão, a Tchetchênia, a Servia. O maior exportador de armas do mundo! Agora mais do que nunca! Até submarinos está aprontando para colocar na vitrine de exportação além dos seus tanques de última geração, T90, Kalashnikov, MIG 29, Katiuchas, lança foguetes antitanque RPG7. Quem tiver dinheiro leva a última tecnologia de guerra das prateleiras do império russo. E a China não fica atrás! Civis Pacem Parabellum era já pregada há mais de dois mil anos antes de Bush nascer! E a esquerda esta ai para nos lembrar que o preço da liberdade é a eterna vigilância! A democracia é apenas um meio para tomarem o poder e acabarem com ela! Vide Venezuela!

Pois é. Natural que o ilustre Rezek insista sob...

Ampueiro Potiguar (Advogado Sócio de Escritório)

Pois é. Natural que o ilustre Rezek insista sobre a pureza metafísica do Direito Internacional. Ora, o Direito, seja qual for, só existe como dado ontológico quando não há conflitos exacerbados. Existindo, haverá a prevalência do mais forte. Ou melhor, a imposição do Poder. Norberto Bobbio sempre pregou o uso da razão, principalmente quanto ao Direito Constitucional.Seria um direito para ser "petreamente" observado. Quando um conhecido dirigente bêbado mandou atacar o Parlamento Russo à bala, N.Bobbio curvou-se: a força põe o Direito em retirada. Estranho que se fale em colapso do Direito Internacional como resultado do encontro tardio de nações com a democracia. Na verdade, com tantos títulos, o que honra o Direito Brasileiro, FR faz, também, uma observação tardia. A História está aí.Mostra diuturnamente que a queestão é outra.As nações, como cada uma delas, reflete as classes que as compõem.Poderosos e deserdados. Veja-se o G7 sob o comando do Império Norte-Americano. Fazem o que querem na ordem internacional. As demais nações que se "virem". Apenas para manter um equilíbrio precaríssimo.Uma análise mesmo superficial demonstrará ou formas sutis de dominaçãonação ou a força bruta pura. Vide, como exemplo desta última, a invasão e desmantelamento da ordem "constitucional",há pouco tempo, muito cara a Bobbio, de um pequeno país, Granada.O Direito Internacional mostrando que é uma ficção.

Direito é uma fantasia infantil? Discordo do ...

Saulo Henrique S Caldas (Advogado Sócio de Escritório)

Direito é uma fantasia infantil? Discordo do Dr. Band. Está precisando estudá-lo mais um pouco. Se um sistema não funciona por INOPERÂNCIA dos aplicadores da Lei, a culpa não está no Direito enquanto ciência jurídica. É como dizer que a ciência é uma aberraçã se considerarmos o que fizeram cientistas e médicos nazistas durante a segunda guerra mundial. Quanto GUANTÁNAMO, aquele curral humano ali se tornou até título de música (a partir de março/2007, Humberto gessinger grava GUANTÁNAMO no novo album ao vivo dos Engenheiros do Hawaii). Os EUA são os nazistas dos tempos modernos. Os campos de concentração são as nações invadidas em sua soberania. Ao invés de arianismo, agora é o CAPITALISMO mesmo. O "Heil Bush" é tão repugnável quanto o Heil Hitler de 1935-1945. A entrevista do ex-ministro está excelente, exceto num tocante: Conquantos seja pro mérito que se ingresse no judiciário brasileiro, o STF - a mais alta corte, ainda é por critéri político, o que torna o STF uma casa política. COmo exemplo, basta lembrar a decisão sobre a contribuição dos inativos. Aquilo ali foi a maior aberração constitucional da história do Brasil, no período pós CF/88. E a questão da progressão de regime em crimes hediondo? de um ano para outro, modificou decisões, um assunto tão claro a menos doutos em direito constitucional, mas que o STF insitia em dizer (em nome da política criminal) que era constitucional a vedação da progressão de regime nos crimes hediondos. Quer dizer, sendo o STF a mais alta corte do judiciário nacional, logo seus membros chegam lá segundo critério de indicação do chefe do executivo? Estranho, não. Respeito o STF, mas essa indicação dos Ministros através do Executivo é política, e isso, admitámos ou não, cria um mal estar an separação dos poderes e na liberdade do STF em julgar causas abertas contra o Governo Federal. []´s

Pois é. As guerras são os insumos da máquina de...

Armando do Prado (Professor)

Pois é. As guerras são os insumos da máquina de domínio do "irmão" do norte. Daí as tragédias e barbáries de norte a sul e de leste a oeste. A única barreira, ainda incipiente é a República Popular da China que futuramente poderá substituir a extinta URSS, com a vantagem da superioridade econômica, restabelecendo o equilíbrio da época da guerra fria (independente, de ser bom ou não, mas impedia o hegemonia do império do norte). Guantánamo é apenas parte do iceberg do jeito gringo de resolver suas diferenças culturais e religiosas com outros povos, para fazer prevalecer seus interesses geopolíticos. Quanto ao direito resta razão ao entrevistado: está abalado e desmoralizado, por um motivo mais forte que é o de representar a vontade dos que dominam o mercado, seja aqui ou alhures. É simples assim mesmo. Representando um só lado, é evidente que acaba desagradando os demais envolvidos, ainda que apenas como sofredores das conseqüências.

Pois é eduardo hammer, direito é apenas uma fan...

Band (Médico)

Pois é eduardo hammer, direito é apenas uma fantasia infantil! Você pensou mesmo que ele existia de verdade? Acredita que ela detenha a bala de um bandido, solte o cinto de uma criança presa, detenha um avião jogado num edifício para matar todo mundo?

Guantanamo talvez hoje seja um dos in...

hammer eduardo (Consultor)

Guantanamo talvez hoje seja um dos indicios mais visiveis de que o dito "mundo moderno" vive na realidade sob uma perigosa e pouco discreta ditadura de direita entregue sem formalidade nas mãos do estados unidos. O gozado é que se metem literalmente em tudo que se passa em outros Paises sem a menor cerimonia mas nunca podem ser contestados. Que le as entrelinhas agora percebe que ja preparam algum tipo de intervenção ou ataque puro e simples ao Ira ja que procuram mostrar a Imprensa pretensos elos de ligação entre aquele Pais e a insurgencia anti-americana que campeia sem controle no Iraque, enquanto isso continuam a "regar" suas areias quentes com "sangue fresco" , preferencialmente de negros ou latinos , tudo para que as disformes adolescentes americanas possam continuar a passear de pickup pelas ruas enquanto tomam seus milk-shakes de meio litro, afinal o importante é que a gasolina esteja barata para que se possa manter o dito "american way of life". Bush é o mais espetacular desastre da politica americana em decadas , dificil de acreditar que trocaram um cara afavel como o Clinton que , se defendia interesses americanos , ao menos era sutil e nunca arrogante , e colocaram no lugar dele este verdadeiro JUMENTO belicista que fugiu do serviço militar durante a guerra do Vietnã. Por comparação , o "noçu lider" chega a parecer um estadista de primeira grandeza. Guantanamo realmente talvez seja mesmo o maior escandalo a ceu aberto , e de preferencia na casa dos outros, imaginem como vai ficar Cuba na hora em que o "quasi" morto Fidel passar para o outro lado?

Em qualquer circunstância o Ser Humano, individ...

Jose Antonio Schitini (Advogado Autônomo - Civil)

Em qualquer circunstância o Ser Humano, individualmente, tem se revelado preponderante em relação a qualquer organização internacional ou mesmo Estado. E isso para o bem ou para o mal. Basta retornar um século na HISTÓRIA para constatar, que felizmente o homem foi mais importante que as organizações, tantos estatais, quanto às pretensamente reguladoras e mediadoras como a ONU e Tribunais como Haia e outros. Positiva ou negativamente, determinadas personagens foram mais vitais que os Estados que representaram. Como a História se repete.......... Vladímir Ilitch Lenin e Josef Stalin foram mais importantes que a União Soviética, a ponto de se confundirem com ela e a suplantarem no imagético dos povos. Para uns foi para o mal para alguns foi para o bem. Hitler preponderou sua nação e em unanimidade dizem para o mal. Numa certa etapa da História, Wiston Churchil foi mais substancial que a própria Inglaterra ou Grã-Bretanha. Sempre foi ouvido que foi para o bem, para muito poucos para o mal. O mesmo fenômeno aconteceu com Frank Delano Roosevelt e os EUA. Dizem que foi para o bem, evidentemente opinião não compartilhada pelo povo alemão da época da guerra. Existe o caso de quem nunca foi dirigente de nação, assumir proporção maior que o país a que estava ligado, independentemente de controvérsias, como Che Guevara.-Não dá para saber se foi para o mal o para o bem, mas o homem virou mito. Por mais paradoxal que possa parecer um homem, um filósofo nonagenário foi mais importante para resolver a hecatombe mundial que parecia prestes a ocorrer em mil novecentos e sessenta e dois, a crise dos mísseis, que qualquer organização ou tribunal internacional. Mais importante que a tal ONU. Esse filósofo era Bertrand Russel. Basta compulsar os jornais da época e verificar a real importância desse intelectual completo. Evidentemente foi para o bem, mas fora dos círculos intelectuais, poucos se lembram dele. E, olha que a ONU tinha recente o seu maior líder: Dag Hammarskjöld (Suécia), Abril de 1953 até à sua morte na queda do avião onde seguia no norte da Rodésia (agora Zâmbia), Setembro de 1961. Nessa época, estava no controle outro grande líder, como secretário U Thant (Burma), Novembro de 1961 – Dezembro de 1971. Mesmo assim o pensandor se destacou. Caso se siga a lição da História, quem acabará resolvendo as questões cruciais da humanidade ou destruindo definitivamente o mundo, será o próprio homem e não organização nenhuma. Na dependência de soluções de ONU, Tribunais de Haia, de Direitos Humanos , etc, prisões como Guantánamo continuarão a existir e outras piores serão criadas. Existe doutrinas para sustentar o estado de perigo dos Estados. No estado de perigo vale tudo.

Direito é uma das fantasias criadas pelos homen...

Band (Médico)

Direito é uma das fantasias criadas pelos homens para aplacar as suas consciências mas está longe de atingir a realidade. Uma preocupação com os 400 terroristas presos na prisão de Guantânamo. Mas milhões de prisioneiros do resto da ilha não tem vez neste direito fictício. Tomar uma ilha força e se manter no poder por 48 anos, repassando a propriedade para o irmão parece normal para a justiça internacional! É uma piada!

A ONU, Bruxelas,os Tribunais Internacionais, O ...

A.G. Moreira (Consultor)

A ONU, Bruxelas,os Tribunais Internacionais, O Mundo "civilizado" , tolera e admite a DITADURA, o TERRORISMO, ASSASSINATOS de povos, INVASÕES de países e SEQUESTRO de Soberanias Nacionais, de acordo com o PODER BÉLICO e/ou ECONÔMICO do criminoso !!!!! Assim, Israel pode invadir, assassinar mulheres e crianças inocentes,( todos os dias ), sem que a ONU e os "defensores" dos direitos humanos reajam ou manifestem indignação !!! Do mesmo modo, os assassinos americanos, tudo podem,... desde lançar bombas atômicas no Japão para matar o povo inocente ( porque não conseguir ganhar , dignamente, dos militares japoneses ... , até assassinar, diariamente, centenas de pessoas inocentes, com a comemoração do governo "perturbado" da "casa branca" !!! Está na hora , dos países, humilhados, fazerem frente aos invasores e exploradores assassinos. Não com armas, porque a desigualdade é clamorosa, mas com o silencioso e eficaz, boicote a empresas e produtos americanos e proibir o ensino e uso da língua inglesa em seus países !!!

Pensando em exceções, elas já estão atualmente ...

Jose Antonio Schitini (Advogado Autônomo - Civil)

Pensando em exceções, elas já estão atualmente sendo empregada no Brasil na aplicação até do processo ao direito e logo no Direito Civil. Como exemplo o acatamento legal ao Tema vinculante que se está transformando em Súmula, porque caso se siga a receita prevista na Lei, só teríamos as súmulas vinculantes, no mínimo em uma década e não se pode esperar. -Daí apanha-se o Tema dentro de uma razoabilidade jurídica e o transmuda em súmula a forcéps, para se poder julgar no atacadão. Com dez audiências da Corte Suprema nacional e no máximo vinte laudas, liquida-se todos os processos, diziam em torno de 100.000 há poucos meses. Idem, quanto a repercussão de matéria, e pior essa perspectiva já contaminou os tribunais estaduais, escala abaixo, tendo em vista ataques de julgadores ao exercício do devido processo legal. Em tudo isso, parece que não houve ainda a virose nos julgadores de primeira instância. Quando lá chegar vai ser o final do fim que se avizinha. Ainda bem que ainda não ousaram alterar as leis materiais. Imagine-se alterações desastradas nas leis substânciais do País. No entando estão tentando aprisionar a lei civil com a lei processual. O direito civil está algemado pelo direito processual.

Comentar

Comentários encerrados em 19/02/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.