Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Fim de festa

Juiz suspende carnaval de Tenerife por causa do barulho

O Tribunal Superior de Justiça das Ilhas Canárias, na Espanha, suspendeu os festejos e bailes do carnaval de Santa Cruz de Tenerife, um dos mais conhecidos do mundo. O juiz atendeu ao pedido de um grupo de moradores que reclamam do barulho da festa, informa o site do jornal El País.

O prefeito da cidade, Miguel Zerolo, ficou indignado com a decisão judicial. Expressou ainda sua confiança de que na próxima segunda-feira (12/2), quando as partes se reúnem, o tema será solucionado. O despacho do tribunal acatou o argumento do advogado dos moradores, Felipe Campos, de que as festas violam seus direitos fundamentais ao gerar um ruído superior a 55 decibéis.

A Organização Mundial da Saúde alerta que a “contaminação acústica”, que causa doenças físicas e mentais, não deve ultrapassar dos 55 decibéis de dia e 45 decibéis de noite. Um em cada cinco espanhóis sofre de problemas por excesso de ruído, segundo Instituto Nacional de Estatística da Espanha.

O prefeito anunciou nesta quinta-feira (8/2) que irá publicar em breve um informe municipal dando a versão da prefeitura. Zerolo recordou a importância que o carnaval tem na historia de Santa Cruz de Tenerife. “A festa de carnaval tem sido mutilada, uma festa que tem mais de 200 anos de história e nunca foi interrompida nem pela fome, nem pela emigração, nem pela guerra civil e nem pela ditadura. Sentimos indignação porque é maior o mal que se causa do que o bem que se protege”, disse.

O carnaval de Santa Cruz de Tenerife acontece entre os dias 16 e 25 de fevereiro. Este ano, se for realizado, homenageará o mundo da moda. O carnavalesco Rafael Amargo, uma espécie de mestre de cerimônias da eleição de gala (o evento mais importante do carnaval), causou polêmica ao dizer que não quer mulheres “mais gordas que a conta” no baile.

Revista Consultor Jurídico, 9 de fevereiro de 2007, 9h12

Comentários de leitores

2 comentários

A justiça, pelo menos em tese, tem de ser igual...

Carlos Alfredo Gomes da Fonseca (Outros)

A justiça, pelo menos em tese, tem de ser igual para topos. Se as igrejas evangélicas são punidas devido ao alegado barulho que produzem, por quais motivos os sons elevadíssimos de festas raves, festas de carnaval e sinos não deveriam ser punidos? Mesmo que seja em Salvador. Lei é Lei para todos, não somente para as minorias.......

Como seria se o distinto Prefeito fos...

hammer eduardo (Consultor)

Como seria se o distinto Prefeito fosse democraticamente para um periodo na prefeitura de Salvador???????

Comentários encerrados em 17/02/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.