Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mutirão da celeridade

TRF-3 vai julgar mais de mil ações contra o INSS em dois meses

Mil e quinhentos processos contra o INSS, com pedidos de concessão ou revisão de benefício, devem ser julgados em dois meses pela recém-criada Turma Suplementar do Tribunal Regional Federal da 3ª Região. Cinco juízes com experiência em julgamentos de ações previdenciárias compõem a turma. A análise das ações começa nesta quarta-feira (8/2). As informações são do Diário de S. Paulo.

A comissão será presidida pelo desembargador Castro Guerra. Segundo ele, cada juiz deve julgar 300 ações. Ele conta que alguns dos processos tramitam nas varas federais desde 1989 e que o INSS não deve recorrer das sentenças.

“Queremos encerrar esses processos antigos. O número de processos que entram diariamente nos gabinetes é bastante alto. Só eu recebo de 400 a 500 processos previdenciário por mês”, declarou o desembargador.

Notícia alterada em 8/2/2007, às 16h24.

Revista Consultor Jurídico, 8 de fevereiro de 2007, 0h01

Comentários de leitores

4 comentários

Parabéns ao TRF3 pela ação de priorização!!! N...

Sandro Lira (Estagiário)

Parabéns ao TRF3 pela ação de priorização!!! Nota zero ao MPF!!!!! Até quando iremos conviver com as irregularidades, arbitrariedades e descaso do INSS!!!

Nossa!!! Será que agora vai dar pra ver a cor d...

Helena Fausta (Bacharel - Civil)

Nossa!!! Será que agora vai dar pra ver a cor do dinheiro que o Estado nos deve? Ou isso é só no TRF3?

Até que enfim uma boa notícia. Todavia, é bom ...

joca (Servidor)

Até que enfim uma boa notícia. Todavia, é bom ressaltar, que se todos os orgãos públicos cumprissem a lei, não haveriam tantos processos nos tribunais.É quase certo que 80% de todos os processos existentes nos tribunais brasileiros, são decorrentes do discumprimento da lei por parte dos próprios orgãos públicos.Principalmente o INSS.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 16/02/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.