Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Canal de comunicação

OAB cria ouvidoria para receber reclamações e sugestões

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Cezar Britto, criou nesta quinta-feira (1º/2) a Ouvidoria Geral do Conselho Federal da OAB. O órgão funcionará como canal de comunicação para receber reclamações, críticas e sugestões de advogados, estagiários e cidadãos.

De acordo com o provimento, caberá ainda a ouvidoria esclarecer dúvidas de advogados e determinar o encaminhamento de seus requerimentos para os setores competentes do Conselho Federal, seccionais e subseções da entidade.

Leia o provimento:

PROVIMENTO Nº de __ de março de 2007.

Cria a Ouvidoria Geral do Conselho Federal da OAB, cujo serviço estará à disposição dos advogados, estagiários e estudantes de direito, bem como de todos os cidadãos.

O CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 54, I, III, V e VI, da Lei 8.906, de 04 de julho de 1994, e do parágrafo único do art. 64 do Regulamento Geral,

CONSIDERANDO a necessidade de dotar a OAB de um mecanismo adicional para aprimorar e estreitar seu relacionamento com o advogado, estagiário, estudante de direito e com o cidadão em geral, defendendo seus legítimos interesses e fomentando o desejado e esperado sentimento de participação;

CONSIDERANDO a necessidade de dotar o Conselho Federal da OAB de um canal de comunicação para receber reclamações, denúncias, críticas, sugestões e elogios dos advogados e estagiários inscritos na Entidade, inclusive de seus Conselheiros, Diretores, em todas as esferas, bem como dos seus órgãos, serviços e atividades;

CONSIDERANDO a necessidade de qualquer interessado opinar sobre atos considerados arbitrários, vindos de membros dos Conselhos Federal, Estadual e de Subseções, Diretores, Comissões, Departamentos e funcionários da Ordem;

CONSIDERANDO a necessidade de que haja um Órgão independente que possa promover estudos e elaborar propostas, objetivando o aprimoramento organizacional do Conselho Federal, das Seccionais e Subseções, mediante gestão flexível, colaboradora e pró-ativa, a fim de viabilizar o cumprimento de suas finalidades enquanto órgão representante da classe profissional;

CONSIDERANDO que o Ouvidor encontra-se hoje presente em diversas instituições e organizações públicas e privadas.

RESOLVE:

Art. 1º — Criar a Ouvidoria Geral do Conselho Federal da OAB, cujo serviço estará à disposição do advogado, estagiário e estudante de direito, bem como de todos e quaisquer cidadãos.

Art. 2º — A Ouvidoria Geral tem como finalidade ampliar os canais de participação dos profissionais do Direito e, em defesa de seus direitos e interesses, melhorar a qualidade dos serviços prestados pelo Conselho Federal, bem como pelas Seccionais e Subseções, bem como por quaisquer órgãos e departamentos integrantes da estrutura organizacional da OAB, em quaisquer de suas esferas, pelo Judiciário e pelos Órgãos Públicos, colaborando para o aperfeiçoamento das atividades e serviços prestados, visando proporcionar uma gestão cada vez mais transparente e eficaz na assistência, defesa e prestação de serviços aos advogados e à comunidade em geral.

Parágrafo único — A Ouvidoria Geral gozará de independência no desempenho de suas atribuições, cabendo à Diretoria promover as condições para o seu inteiro funcionamento.

Art. 3º — Competirá também à Ouvidoria ajudar o cidadão comum a esclarecer seus problemas com advogados, determinando o encaminhamento de seus requerimentos para os setores competentes do Conselho Federal, Seccionais e Subseções ou para o órgão competente.

Art. 4º — A Ouvidoria receberá as denúncias, opiniões, reclamações, sugestões e críticas e interagirá com os setores responsáveis visando a solução do problema e acompanhando o desenvolvimento das providências, soluções e alternativas propostas e adotadas, garantindo ao requerente informação e resposta.

Art. 5º — A Ouvidoria do Conselho Federal da OAB atuará segundo princípios éticos, pautando seu trabalho pela legalidade, legitimidade, imparcialidade, moralidade e probidade.

Art. 6º — O Ouvidor não possui poder coercitivo ou de reformulação de decisões, sendo sua atuação de persuasão e recomendação.

Art. 7º — O Ouvidor Geral será escolhido pelo Presidente do Conselho Federal, entre os advogados com mais de 10 (dez) anos de exercício profissional e reputação ilibada, com preferência para os que sejam Conselheiros Federais, para um mandato coincidente com o mandato do Conselho em que for escolhido.

§ 1º — O Ouvidor Geral somente poderá ser removido por decisão da Diretoria do Conselho Federal.

§ 2º — Poderá a Diretoria do Conselho Federal, mediante solicitação do Ouvidor Geral, nomear até 04 advogados para integrar o órgão, os quais serão denominados ouvidores-adjuntos, observados os mesmos requisitos exigidos para o Ouvidor-Geral.

Art. 8º — A Ouvidoria Geral funcionará na sede do Conselho Federal, cabendo à Diretoria da entidade proporcionar as instalações e condições para o seu funcionamento.

Art. 9º — São atribuições da Ouvidoria Geral:

I — receber dos advogados, estagiários e de qualquer cidadão críticas, reclamações, opiniões e denúncias sobre os serviços dos órgãos do Conselho Federal, das Seccionais e Subseções e sobre as atividades profissionais de relevância social, nas quais a instituição deva atuar em cumprimento às suas finalidades estatutárias;

II — prestar esclarecimentos aos reclamantes, encaminhar sugestões aos órgãos reclamados para a solução de questões, e, se for o caso, requerer junto ao competente Conselho Federal, Seccionais e Subseções a instauração dos procedimentos administrativos próprios para a apuração dos fatos.

III — exercer também um papel ético-crítico, consistente em zelar para que se mantenha um caráter de discrição e fidedignidade com relação às questões que lhe são colocadas, promovendo um constante retorno ao interessado sobre as providências adotadas pelo órgão.

IV — divulgar, anualmente, os avanços e objetivos alcançados através do exercício de suas atribuições, em relatório próprio, que será divulgado através dos meios existentes.

Art. 10 — Constituem poderes da Ouvidoria Geral:

I — requisitar informações e cópias de documentos de todos os órgãos, serviços e comissões do Conselho Federal, ressalvada a questão do sigilo nos processos relativos à ética profissional;

II — reportar-se à Diretoria ou ao Conselho Federal, por escrito ou verbalmente, em audiência previamente solicitada, para expor críticas, sugestões, opiniões ou reclamações recebidas de advogados, estagiários e da população em geral.

Art. 11 — O contato com a Ouvidoria pode ser feito através dos telefones disponibilizados, pessoalmente, por correspondência convencional, e-mail, fax ou outra forma de comunicação já existente ou que venha a existir.

Parágrafo único — As manifestações deverão, necessariamente, serem identificadas (Constituição Federal de 1988, cap. I, art. 5º, inciso IV), com os seguintes dados:

I - Identificação do manifestante;

II - Endereço completo;

III - Informações sobre o fato e a sua autoria;

IV - Indicação das provas que tenha conhecimento;

V - Data e assinatura do manifestante.

Art. 12 — Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria do Conselho Federal.

Art. 13 — Este provimento entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Revista Consultor Jurídico, 1 de fevereiro de 2007, 14h46

Comentários de leitores

4 comentários

Senhores meu assunto e sobre os cursos de Direi...

Dantas  (Estudante de Direito)

Senhores meu assunto e sobre os cursos de Direito. Sera que as autoridades e as entidades não sabem mesmo o por que do nível tão baixo ? Pergunto: Por que tanta grade diferente ? Por que cada universidade ensina o que quer? Por que a Uninove mudou sua grade em 14 materias em 2 anos? Quem regula a alteração da grade ? qual o parametro para essa mudança? Se todos vão para a mesma prova da ordem pq o ensino e diferente e a critério de cada universidade ? Se não é bom para o aluno/ Consumidor e e so bom p a universidade então estamos ferindo o código do consumidor não estamos ? Estudei por 3 anos na Uninove quando voltei depois de 2 fui informado que deveria fazer de novo 14 materias para dar continuidade de onde parei! Então o que estudei não vale mais nada ? Quem terminou o estudo depois de anos não vale mais nada ! Quem regula o acesso as universidades particulares ? Faça um teste e tire 0 no vestibular e ainda assim vc podera ser aprovado. Querem saber mais ainda do por que tanta reprovação ? Silvio Dantas SP 31 de outubro de 2007

Enviei email solicitando informações e recebi c...

SULI (Outros)

Enviei email solicitando informações e recebi como resposta que minha mensagem não foi lida e em seguida deletada.Hoje reenviei . Gostaria muito de ter um retorno. Obrigada

Este Luiz pereira não o que fazer na vida e enc...

boca (Advogado Autônomo - Empresarial)

Este Luiz pereira não o que fazer na vida e enche o saco...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 09/02/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.