Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Volta para casa

Brasileiro acusado de assassinato é preso em Portugal

Um brasileiro acusado de homicídio que estava foragido foi preso em Portugal. Samuel Rodrigues de Jesus teve prisão preventiva decretada pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 1ª Vara Criminal de Goiânia, em 15 de maio de 2006.

Um documento informando a prisão do acusado foi enviado, via fax, pelo chefe substituto da Divisão de Medidas Compulsórias do Ministério da Justiça, Humberto Alves de Mendonça, no dia 20 de dezembro

Rodrigues é acusado de assassinar Reginaldo Teixeira Guerra, em fevereiro de 1999. O processo tramita na 1ª Vara Criminal de Goiânia.

Decretada a prisão, o réu fugiu. Em 5 de outubro de 2006, o juiz pediu à Interpol, com sede na Superintendência da Polícia Federal, que o acusado fosse localizado em Portugal e incluído na Difusão Vermelha — lista internacional de procurados — caso fosse necessário.

A Justiça solicitou ainda que o Ministério das Relações Exteriores encaminhasse o pedido de prisão e extradição de Rodrigues junto às autoridades judiciária e diplomática portuguesas.

Em 9 de novembro de 2006, o juiz encaminhou mandado de prisão, requerimento para passaporte e cópia do decreto de prisão do acusado à Divisão de Medidas Compulsórias, do ministério da Justiça, solicitando a prisão e extradição do réu junto à autoridade judiciária portuguesa.

De acordo com denúncia formulada pelo Ministério Público de Goiás, o técnico em iluminação Samuel Rodrigues de Jesus, de 31 anos, e o músico Ermantino Barbosa de Souza Júnior, conhecido como Xexéu, assassinaram, de forma cruel, Reginaldo Teixeira Guerra.


Revista Consultor Jurídico, 27 de dezembro de 2007, 17h35

Comentários de leitores

1 comentário

Belo trabalho! Gostaria que o mesmo ocorresse c...

lu (Estudante de Direito)

Belo trabalho! Gostaria que o mesmo ocorresse com tantos outros foragidos brasileiros que vivem no exterior, e que tiveram prisão decretada e até hoje ninguém sabe e ninguém viu. Na minha cidade houve uma situação semelhante: marido de boa reputação matou a esposa, excelente pessoa, foi condenado, teve prisão decretada, mas conseguiu sumir e até hoje ninguém sabe e ninguém viu, mesmo com a cara estampada nos jornais...

Comentários encerrados em 04/01/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.