Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Pela segurança

Bancários contestam na Justiça fim das portas giratórias

O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região está contestando na Justiça a retirada das portas giratórias e dos detectores de metal das agências bancárias da cidade. O sindicato entrou com uma ação no Tribunal de Justiça de São Paulo pedindo a inconstitucionalidade da Lei Municipal 14.642/07 que institui a mudança nas agências. As informações são da Agência Brasil.

A ação, proposta nesta sexta-feira (21/12) destaca a existência da Lei Federal 7.102/83, que dispõe sobre as regras de segurança bancária no país. Segundo os bancários, a lei municipal não poderia se sobrepor à federal.

A justificativa da lei que determinou a proibição das portas e dos detectores de metais em bancos cita o constrangimento da população como motivo para a retirada dos equipamentos.

No dia 18 deste mês, o vereador Francisco Chagas, líder do PT na Câmara Municipal de São Paulo, apresentou projeto de lei para que portas giratórias e detectores de metais voltem a ser obrigatórios em bancos da capital paulista.

Revista Consultor Jurídico, 25 de dezembro de 2007, 16h33

Comentários de leitores

3 comentários

Todo o obstáculo é um obstáculo! Não entendo o...

futuka (Consultor)

Todo o obstáculo é um obstáculo! Não entendo o que leva ao constrangimento o usuário de uma agencia bancária que na tentativa de obstaculizar a ação marginal faz com que o cidadão(ã)tenha a paciencia por alguns segundos para adentrar ao banco. Sinceramente não entendo o que querem?!..alguns

Portas giratórias com detectores de metal inexi...

omartini (Outros - Civil)

Portas giratórias com detectores de metal inexistente constituem constrangimento SIM! Principalmente a usuário eventual de agência de Banco, campeão em lesar direitos de consumidores, visto volume de processos judiciais pertinentes. Pseudo-tecnologia é tão “eficaz” que referida agência bancária já foi assaltada... não intimidando assaltantes. Comprovadamente, lei não substitui pessoal treinado e atitudes inteligentes e seguras.

É certo que os funcionários dos estabelecimento...

Cícero José da Silva (Advogado Autônomo - Criminal)

É certo que os funcionários dos estabelecimentos bancários devem ter sua integridade preservada. Contudo, as denominadas portas de segurança são utilizadas não como mecanismo de defesa, mas sim, para discriminarem, pois são incontáveis os casos de pessoas simples e humildes que são barradas e submetidas a toda sorte de constrangimentos, enquanto os clientes preferências e bem vestidos são paparicados pelos mesmos funcionários que hoje reclamam e exigem as portas de segurança. Os bancários precisam cobrar segurança, mas também devem dispensar tratamento humano e digno a todos sem exceção, e não criarem todos os tipos de obstáculos aos menos favorecidos, que são impedidos de efetuarem pagamentos quando não são correntistas, e ficam retidos nas portas de segurança. Finalizando, chega a ser uma agressão fazer referência aos estabelecimentos bancários como sendo instituições, o que presume seriedade e não ilegalidade como as praticadas diariamente pelos bancos.

Comentários encerrados em 02/01/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.