Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Em família

STF abre inquérito para investigar senador Romero Jucá

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, autorizou a abertura de Inquérito contra o senador Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Senado. Ele será investigado sobre a suspeita de compra de votos na campanha que o elegeu, em 2002, informa a agência O Globo.

Segundo a denúncia, uma cooperativa contratada pela então prefeita de Boa Vista e ex-mulher do senador, Teresa Jucá, teria usado seus funcionários para convencer eleitores a votarem em Jucá e em Ottomar Pinto, candidato a governador. Em troca, receberiam R$ 50 e a promessa de benefícios sociais, como a inclusão no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti).

A denúncia foi investigada pelo Ministério Público de Roraima, mas, diante das suspeitas contra Jucá, que tem foro privilegiado, foi remetida à Procuradoria-Geral da República. No dia 19 de novembro, a procuradoria entendeu que havia indícios suficientes para abertura de investigação criminal e enviou pedido ao STF. No último dia 7, o ministro Celso de Mello, relator de outros inquéritos contra Jucá, aceitou o pedido e determinou a realização de diligências.

O Inquérito também investiga a participação de Tereza no suposto esquema, que teria beneficiado ainda a campanha de Ottomar Pinto ao governo de Roraima. Ottomar morreu semana passada, vítima de problemas cardíacos.

O parecer da procuradoria diz que o esquema foi denunciado por três ex-funcionárias da Cooperativa Roraimense de Serviços (Cooserv).

Segundo as ex-funcionárias da cooperativa, "os eleitores recebiam R$ 50 no início do dia das eleições com a promessa de receber outros R$ 50 ao término da votação". Os militantes a serviço da campanha, dizem os depoimentos, também negociavam votos "com eleitores que participavam ou gostariam de ter acesso aos programas sociais da prefeitura".

A procuradoria pediu a realização de perícia nas urnas entregues pelas ex-funcionárias da Cooserv, que deverão prestar novos depoimentos. O MP de Roraima também ofereceu denúncia à Justiça contra Tereza Jucá.

Revista Consultor Jurídico, 18 de dezembro de 2007, 18h59

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 26/12/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.