Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Combate à pirataria

Polícia apreende produtos em shopping de Law Kin Chong

Oficiais de Justiça com apoio de cerca de 80 policiais militares cumpriram nesta sexta-feira (14/12) mandados de busca e apreensão de produtos falsificados no Shopping 25 de Março, na região central de São Paulo, pertencente a Law Kin Chong. De acordo com reportagem da Folha Online, foram apreendidos produtos piratas das marcas Nike, Levi's, Chanel, Dior e Louis Vuitton.

Segundo o advogado Newton Vieira Junior, que representa as marcas, quatro caminhões com as mercadorias foram retirados do shopping. “Ficamos surpresos com a quantidade de mercadoria. Não esperávamos encontrar tantos produtos”, diz o advogado.

A apreensão do material foi determinada pela 42ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, a pedido das marcas. “Monitoramos as lojas constantemente para detectar fraudes", diz Vieira.

O advogado Alexandre da Silva Sartori, que representa os lojistas, afirmou que a pirataria nos produtos apreendidos não está comprovada. “Você sabe dizer apenas olhando se um produto é pirata? Eu não. Apenas a perícia poderá comprovar.”

O empresário chinês naturalizado brasileiro Law Kin Chong foi preso pela Polícia Federal no dia 14 de novembro, suspeito de contrabando e descaminho. Ele e a mulher, Miriam Law, são apontados pela Polícia Federal como ex-chefes de uma organização criminosa que praticaria crimes como contrabando, descaminho, falsificação de mercadorias e lavagem de dinheiro por meio da administração de shoppings populares, como o Shopping 25 de Março, no centro de São Paulo.

Revista Consultor Jurídico, 15 de dezembro de 2007, 9h32

Comentários de leitores

1 comentário

atenção eu juro, juro pelo LULA e pelo companhe...

advogado curioso (Advogado Autônomo)

atenção eu juro, juro pelo LULA e pelo companheiro do PT Medeiros, que os produtos vendido pelo Law, eram sem nota, falsificados, contrabandeados : 1- eu não sabia 2- minha familia e meus amigos não sabiam 3- a radio Globo e todos os jornais não sabiam. 4- os fiscais municipais, estaduais, federais não sabiam 5- os delegados, os investigadores não sabiam 6- os promotores, os juizes, os desembargadores não sabiam 7 oos vereadores, os deputados estaduais, federais e os senadores não sabiam 8- os ministros e o presidente não sabiam. enfim, enfim, ninguém sabe que na Galeria Pajé e vizinhança vendem tudo sem nota, sem origem (roubados) contrabandeadoos, falsificados, modificados, ora, ora , ninguem sabia de nada, especialmente o Medeiros ? alguem dúvida, ainda pergunto, vc. que está lendo esse comentário, SABIA DO LAW COM TUDO ISTO ? resonda para vc mesmo, se sabia ?

Comentários encerrados em 23/12/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.