Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Corte de gastos

Sem CPMF, Judiciário deve perder verba para obras

O fim da receita da CPMF provocará cortes nas obras previstas para o Poder Judiciário em 2008. Essa era uma das alternativas em discussão pelos técnicos do governo que estudam o reequilíbrio orçamentário depois da perda de R$ 40 bilhões com o tributo. O relator geral do Orçamento, deputado José Pimentel (PT-CE), e o presidente da Comissão Mista do Orçamento, senador José Maranhão (PMDB-PB), solicitaram nesta sexta-feira (14/12) audiências com representantes do Poder Judiciário para discutir esses cortes. A reportagem é do jornal O Globo.

A intenção é que ocorra na próxima segunda-feira (17/12) um encontro com a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Ellen Gracie, e com os presidentes dos tribunais superiores para expor o problema e ouvir sugestões para reduzir as verbas.

A proposta orçamentária para 2008 prevê R$ 800 milhões para investimentos no poder. Para a construção do edifício sede do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília, estão previstos R$ 15 milhões, e para a nova sede do Tribunal Superior Eleitoral, R$ 80 milhões. Outro exemplo de obra é o edifício sede da Justiça do Trabalho da 17ª Região, em Vitória, orçada em R$ 14,9 milhões. Para a Justiça Federal de primeira instância estão previstos R$ 152 milhões, a grande maioria para construção de sedes de tribunais.

Pimentel advertiu que os cortes ocorrerão nos três poderes e no Ministério Público. O Judiciário planeja gastar, só em Brasília, mais de R$ 1,2 bilhão nos próximos cinco anos.

Para o presidente do TSE, ministro Marco Aurélio, os cortes são uma contingência inescapável com o fim da CPMF. Mas ele não acredita que a medida leve à interrupção das obras mais importantes, como a nova sede do TSE, de R$ 330 milhões. “Não acredito que haja cortes que levem à paralisação das obras. Seria uma solução extrema, que teria conseqüências para o próprio governo”, disse.

Revista Consultor Jurídico, 15 de dezembro de 2007, 8h44

Comentários de leitores

4 comentários

Essa não !!! E eu que pensava que CPMF era prov...

JA Advogado (Advogado Autônomo)

Essa não !!! E eu que pensava que CPMF era provisória e era só para a saúde pública ! O judiciário construindo tantos prédios suntuosos com dinheiro da saúde ??? Como diria o falecido Montesquieu, onde estamos ? - No Brasil, claro, responderia Chaplin.

Por essas e outras é que a "oposição" tupiniqui...

Comentarista (Outros)

Por essas e outras é que a "oposição" tupiniquim, insana e obtusa por natureza, cometeu suicídio político coletivo ao derrubar a CPMF no Senado (a começar pelo "líder" Arthur Virgílio, cuja cabeça está a prêmio dentro do seu próprio partido, restando apenas definir quem será o seu "carrasco", se Aécio ou Serra - ou os dois)!

Foi só a CPMF não ser aprovada e agora tuuuuuuu...

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

Foi só a CPMF não ser aprovada e agora tuuuuuuuuuuuuuuudo que não tem e nunca teve no país, o Lula jogará a culpa na CPMF. Claro os eleitores do PT em sua maioria não tem cultura suficiente para saber o que é e o que não é. A área da saúde recebia muita pouco na arrecadação do CPMF. Dizem que abaixo de 10%. O Brasil deixa de arrecadar 40 BILHÕES. Ontem vi o Lula dizer que sem a CPMF a área da saúde vai deixe ter 20 BILHÕES em verbas, Ué, a conta não bate. Não recebia 10% de 40 bilhões?????????????? Alguém consegue me explicar? Tudo ia mal no Brasil. Judiciário, Segurança, Saúde, Educação. E agora o PT arrumou um bode espiatório, a CPMF. Acredite se puderem. Carlos Rodrigues berodriguess@yahoo.com.br

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 23/12/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.