Consultor Jurídico

TV Justiça ganha prêmio por atuar contra trabalho escravo

14 de dezembro de 2007, 9h03

Por Redação ConJur

imprimir

A TV Justiça, o Grupo Móvel de Fiscalização e a coordenadora nacional do Projeto de Combate ao Trabalho Escravo no Brasil, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Patrícia Audi, receberão na segunda-feira (17/12), o Prêmio Combate ao Trabalho Escravo 2007. Eles foram escolhidos como melhor veículo de imprensa, instituição e personalidade do ano pelos integrantes da Comissão Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae) devido a sua atuação contra o trabalho escravo. Cada um dos vencedores receberá uma estatueta trabalhada pelo artista plástico Elifas Andreato, além de R$ 5 mil.

A solenidade de entrega será feita no auditório do Ministério Público do Trabalho, em Brasília. O evento será aberto ao público e à imprensa. Representantes da ONG Movimento Humanos Direitos, também estarão presentes na solenidade.

A evento é promovida pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) e Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe). O objetivo é estimular as ações e iniciativas desenvolvidas para combater a exploração dos trabalhadores.

Serviço:

Data: 17 de dezembro de 2007

Horário: 18h

Local: Setor de Autarquias Sul – Quadra 4 bloco L