Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Vara criminal

Polícia prende servidores da Justiça acusados de receber propina

Por 

A Polícia de Mato Grosso prendeu, nesta terça-feira (4/12), quatro servidores da 2ª Vara Criminal de Cuiabá, acusados de privilegiar o andamento dos processos de quem os pagava ou oferecia vantagens. Depois da prisão, a juíza Selma Rosane Arruda, titular da 2ª Vara, decidiu suspender o expediente.

As prisões foram determinadas pela juíza Maria Rosi de Meira Borba, da 8ª Vara Criminal de Cuiabá. O corregedor-geral da Justiça de Mato Grosso, Orlando de Almeida Perri, afirmou que o expediente pode ter sido suspenso pelo desfalque causado com a prisão dos servidores.

As investigações começaram em setembro por determinação do corregedor-geral. Na ocasião, foi instaurado o inquérito policial que resultou nas prisões dos suspeitos e na busca e apreensão de documentos e objetos de prova.

Foram presas as escrivãs Vera Lúcia da Anunciação e Maria Dias da Conceição e os estagiários de Direito Rafael Peres de Pinho e Paulo Henrique da Silva Gahyva. Foi determinada a prisão também da ex-escrevente Beatriz Àrias, que já está presa cumprindo pena por crime de homicídio. Segundo a juíza Selma Rosane Santos Arruda, a ex-servidora servia como elo entre os presos e os servidores.

“Além de agenciar a corrupção, Beatriz enganava os presos, afirmando a incompetência dos advogados para soltá-los e dizendo que através do prestígio que ela tinha eles poderiam ser soltos mais rapidamente", afirmou a juíza.

Para o corregedor-geral da Justiça, situações como essas devem ser apuradas com rigor e punidas exemplarmente. “Não há como ressocializar sem que o estado dê o exemplo de probidade e respeito aos direitos humanos. Por isso, se há culpados, eles devem ser punidos. A Corregedoria está aberta a receber denúncias sobre qualquer irregularidade e empenhada em melhorar a prestação jurisdicional.”

O corregedor-geral afirmou também que enquanto o processo criminal tramita, será instaurado processo administrativo para apurar a falta funcional dos servidores.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 4 de dezembro de 2007, 19h38

Comentários de leitores

4 comentários

Meu Brasil brasileiro, Vivem sempre em grandes...

morja (Advogado Autônomo)

Meu Brasil brasileiro, Vivem sempre em grandes pânicos. Com um povo ordeiro Diante dos corruptos satânicos. Esse ensinamento vem de cima, se o grande pode viver com corrupção o pequeno também quer a sua fatia, tudo é um espelho de nossas casas legislativas que lentamente vai chegando a todos os cantos do país. Até o governo paga para não condenar, mesmo que seja o maior corrupto. Certa vez li essa frase "o Brasil ainda não teve o governo que merece" desconheço o autor, sem uma educação de primeira qualidade em que todo o povo seja realmente politizado e tenha uma cultura para decidir os destinos desse grande e rico país, seremos um badalo de sino, que faz ruído e nem acorda esse gigante adormecido. São José/SC, 5 de dezembro de 2.007. morja@intergate.com.br www.poetasadvogados.com.br

aqui em natal tá do mesmo jeito se fizer uma in...

delinge (Outros)

aqui em natal tá do mesmo jeito se fizer uma investigação no judiciario comun 1ª vara da fazenda 2º vara da fazenda publica e 3ª vara, fraude da pm policia militar da turma de 1997, foi uma fraude escandalosa varios canditatos entraran na justiça nada foi ressouvido. tem uma mafia na gorvernadoria

Será que este país está mudando? Açoes como est...

Rogerio (Advogado Sócio de Escritório)

Será que este país está mudando? Açoes como esta me animam um pouco.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 12/12/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.