Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Passe livre

Justiça libera atacante Nilmar para deixar Corinthians

O juiz Marco Antônio dos Santos, da 81ª Vara do Trabalho de São Paulo liberou o atacante Nilmar para deixar o Corinthians e acertar com outro clube. Cabe recurso da decisão.

A informação foi divulgada por André Ribeiro, advogado do jogador, que ainda cobra do clube do Parque São Jorge a quantia de US$ 3 milhões (cerca de R$ 6 milhões) por atrasos em direitos de imagem, salários e bônus prometidos pela diretoria corintiana. A reportagem do da Agência Estado.

O juiz se baseou na tese de que havia solidariedade entre Corinthians e MSI e que a contratação de Nilmar junto ao Lyon (FRA) só se deu pelas promessas de pagamento da parceria, que não foi efetuado. “O juiz [Marco Antônio dos Santos] acatou os nossos pedidos na sexta-feira (17/8), mas a decisão só foi divulgada no site oficial do Tribunal nesta segunda. Agora só falta ser divulgado no Diário Oficial para que o Corinthians recorra, se achar necessário”, disse Ribeiro.

A decisão deve ser publicada no Diário Oficial nessa semana e depois disso será enviado um ofício à Confederação Brasileira de Futebol para que o contrato de Nilmar com o Corinthians seja anulado.

O clube alvinegro tinha a seu favor uma liminar que assegurava a permanência do artilheiro até o dia 28 de dezembro, mas o juiz anulou a decisão ao comprovar que o time descumpriu algumas cláusulas contratuais.

Revista Consultor Jurídico, 20 de agosto de 2007, 18h37

Comentários de leitores

5 comentários

O Poder Judiciário perde seu precioso tempo com...

Giovannetti (Advogado Autônomo)

O Poder Judiciário perde seu precioso tempo com quem nada produz. O certo é que estamos num País que pensa com os pés e com as mãos. O País do esporte. Qual a vantagem? Vantagem para os espertalhões que auferem milhões sem nada produzir. Coloquem esses caras para viverem de bilheteria e pronto. Arranque os patrocínios e os direitos de imagens, que por sinal só dão prejuízo para a nação. Confundem os tontos diversão com produção. Esporte é diversão, não é uma atividade produtiva para ser visto com vínculo empregatício. Só no Brasil mesmo...

Ora, lá vem a Justiça do Mussolini de novo. Des...

allmirante (Advogado Autônomo)

Ora, lá vem a Justiça do Mussolini de novo. Desta feita se metendo em Futebol! Evidentemente que entre seus abnegados, cultos, e eruditos magistrados, não se encontra corintianos. Desconfie. Nenhum tem credencial para elencar a Fiel.

Cara Neli, o Nilmar não iria para o Santos porq...

Embira (Advogado Autônomo - Civil)

Cara Neli, o Nilmar não iria para o Santos porque ele está muito novo para jogar no Brasil. Para o Santos já foram os veteranos Pedrinho e Petkovic (34) e poderá ir o também veterano Kleberson (28). No futebol brasileiro atual só jogam os que ainda não são craques, como o garoto Amaral, do Palmeiras, ou os que já foram, como alguns dos citados. Os craques mais jovens vão jogar no exterior, onde existe uma estrutura empresarial no futebol. Aqui, nossos clubes sociais estão descapitalizados e não podem manter bons jogadores no plantel. E não há uma luz no fim do túnel: parece que nenhum empresário arriscaria montar um time de futebol com a organização que temos: CBF, federações, bancada da bola, etc. Com os clubes sem dinheiro e até com grandes dívidas acumuladas, as quais não serão quitadas com o dinheiro da “timemania”, que deverá ser insuficiente, resta-nos ficarmos com garotos e veteranos. Nessas condições, é até ridículo um país que não tem futebol querer sediar uma copa do mundo. A solução parece ser o que disse Paulo Henrique Amorim: se você não está satisfeito com um canal de televisão, faça como eu: mude de canal. O negócio é mudarmos de esporte. Que tal os rodeios, que contam com uma organização exemplar?

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 28/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.