Consultor Jurídico

Notícias

Estado policial

OAB pede investigação para suspeita de grampo no Supremo

Comentários de leitores

18 comentários

Parabéns a Oab, acho que assim agora que resol...

futuka (Consultor)

Parabéns a Oab, acho que assim agora que resolveram abrir os olhos, tão cedo, oxalá dê tempo e vá resolver tudo,né! ..afinal..chega do "grampo" ilegal, "pôxavida!

corrigir: divulgar notas..

Amigo da Justiça (Advogado Autônomo)

corrigir: divulgar notas..

Quando que o Judiciário vai parar de notas por ...

Amigo da Justiça (Advogado Autônomo)

Quando que o Judiciário vai parar de notas por meio de associações e partir para algo que resolva realmente o problema? Hoje o Judiciário se enforca com a mesma corda que deu para a PF e o MP. Se ficar com essa inércia a tendência é só piorar, a solução é utilizar as mesmas armas que a PF usa.

Há pouco tempo, em consulta profissional, tomei...

Orlando Maluf (Advogado Sócio de Escritório)

Há pouco tempo, em consulta profissional, tomei conhecimento de fatos estarrecedores envolvendo odioso e indiscriminado "grampo" levado a efeito contra magistrado da Justiça Federal, sem que, ao cabo de 6 meses de repugnante invasão de seu direito à intimidade, tenham apurado nada. Pensei que era, talvez um caso pontual e isolado, mas à vista da principal reportagem de Veja nesta semana, constato que o povo brasileiro está à mercê de perigosos elementos autoritários que não respeitam sequer a Corte Suprema. Enquanto devemos parabenizar a OAB pela iniciativa de cobrar competente apuração dos fatos, ficamos aguardando as manifestações das diversas entidades dos magistrados e membros do M.P. para que adiram ao justo inconformismo.

Errado, Srs.Ministros! Nada adianta ficar "jog...

jabuti (Advogado Autônomo)

Errado, Srs.Ministros! Nada adianta ficar "jogando" culpa no quintal da PF, quando o "podre" cheira mal em sua casa! Se o Judiciário fosse mais prudente e agisse em conformidade com a Lei das interceptações,não haveria essa "farra" de "grampos". O que se vê atualmente é que qualquer delegado postula o "grampo" embasado em "denuncia anonima" ou qualquer outro subterfugio inconsistente e o Magistrado (inexperiente, para não dizer outra coisa) dá de pronto. A PF age com a inteligencia (nos dois sentidos)e o Judiciário se curva como "marionete". A culpa é de quem? O Judiciário (STF)precisa urgentemente fazer uma "reunião" com seus inferiores hierárquicos para restabelecer a ordem, pois caso contrário, logo logo teremos novos Ministros aportando no STF, e não se surpreendam se forem "indicados" pela inteligencia policial. Em suma, não existe "banda podre" na PF,existe um judiciário ...!

do Blog do Rizzolo http://rizzolot.wordpress.c...

Fernando Rizzolo (Advogado Autônomo)

do Blog do Rizzolo http://rizzolot.wordpress.com Não há dúvida que as acusações são totalmente desprovidas de provas, a revista como sempre acusa, coleta depoimentos, que indicam ” recebimentos de emails “, enfim tudo na subjetividade, a matéria é conduzida para gerar e passar uma impressão que existe uma conspiração marginal que vem com uma ” suposta conivência ” do governo. Ora, são acusações graves, se existe a tal da ” banda podre “, há que se provar que ela existe, agora, da forma que a Revista da Famiglia Civita colocou, insinuou, difamou, e desqualificou a Polícia Federal, não é possível; temos uma Polícia Federal respeitada inclusive no exterior onde foi alvo de elogios da Revista Inglesa Economist com o título: “A maior estrela do Brasil hoje não é uma estrela do futebol nem uma heroina de novela. É a Policia Federal”. (THE biggest celebrity in Brazil these days is not a football star or a telenovela heroine but the federal police force).Agora a OAB Federal faz o seu papel, há que se investigar. Sinceramente, a possibilidade de pessoas serem investigadas existe,com base num mandado judicial, fora disso, mesmo que o cidadão tenha sido alvo de uma gravação clandestina feita por um detetive qualquer fajuto contratado pela espôsa para incriminá-lo, se ele não tiver amante, não acontece nada. Não é ? Porque tanto medo, hein?

Estava assistindo uma reportagem no Fantástico ...

Fftr (Funcionário público)

Estava assistindo uma reportagem no Fantástico sobre indenizações às famílias das vítimas dos acidentes aéreos. Do acidente da TAM de 1996 ainda há processos pendentes. Mais incrível é um caso de 1962, os dois primeiros advogados morreram sem ver o fim do processo e o atual estima em mais quatro anos o fim do caso. Enquanto isso, outros que ingressaram na justiça americana já receberam suas indenizações e em valores muitos superiores aos fixados pela justiça brasileira. Depois alguns acham que ao citarmos a justiça americana estamos fazendo apologia ao sistema americano. Sinceramente, dá para falar com orgulho e satisfação das leis e da justiça brasileira. Depois os membros dos tribunais superiores não querem ser investigados! Talvez estejam assustados com o caso do Medina, e outros tantos que se achavam intocáveis. Quando a água começa a bater na bunda, dá para começar a se preocupar. Que tal mudar o STJ e o STF para o complexo do "Alemão", talvez eles acordem para a realidade!

Quem não deve não teme. É errado o grampo de te...

pietro (Outros - Criminal)

Quem não deve não teme. É errado o grampo de telefone de quem quer que seja, principalmente, membros do STF, mas se trabalharem corretamente não há o que escutar. Gostaria que os bandidos infiltrados no Poder Público não usem estes fatos como meio para dificultar os grampos telefônicos e facilitar ainda mais a vida dos bandidos de colarinho branco. Já não chega o sigilo bancário e mesmo as restrições já existentes no sigilo telefônico que fazem com que uma informação demore seis meses para chegar na mão dos investigadores. Restrições criadas para defender o cidadão, hoje são usadas apenas pelos bandidos, principalmente, bandidos de colarinho branco (foro privilegiado, sigilo telefonico, sigilo bancário, sigilo fiscal...)

Para quem acha que deve acabar o foro privilegi...

Luiz Guilherme Marques (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Para quem acha que deve acabar o foro privilegiado - passando os processos de pessoas que ocupam cargos destacados nos 3 Poderes a ser julgados inclusive por juízes principantes e sem nenhuma garantia - fica esta pergunta: - Se até Ministros do STF, homens de grande experiência jurídica e de vida e que vivem quase que dentro de uma fortaleza de garantias, ficam cercados por todo tipo de pressões, imagine-se o que aconteceria a um juiz do interior, que nenhuma garantia tem a não ser sua própria defesa pessoal, caso seja encarregado de julgar esses elementos do alto escalão do Estado? É ingênuo achar que o juiz do interior basta a si próprio. Por isso, é necessária a criação do Tribunal Superior da Probidade Administrativa. Ele se encarregará de julgar as pessoas de grande prestígio na estrutura estatal, sendo composto por juristas dispostos a sacrificar-se pelo ideal de fazer Justiça nesse nível. Mas esse não é um mandato que pode ser delegado a qualquer um. A vida de um Ministro do STF não é realmente um "mar de rosas"... A vida dos juízes também não o é. Só quem vive essa realidade sabe disso...

É simples, em uma "medida cautelar criminal div...

HERMAN (Outros)

É simples, em uma "medida cautelar criminal diversa" - em grande parte iniciadas com denúncia anônima ou ditas fontes confiáveis -, das centenas propostas pelo auto-denominado serviço de inteligência da PF, insere-se um número telefônico usado por um Ministro ou de um seu parente próximo, ou ainda, de um amigo que se comunica periodicamente. Inicialmente, omite-se tais diálogos. Após 6 meses, ou até mesmo anos de grampo, se estoura a pseudo investigação em curso e diz ter “descoberto” o envolvimento de uma autoridade detentora de foro privilegiado, requerendo ao juízo monocrático que se remeta parte das interceptações ao tribunal competente. Assim foram feitas inúmeras operações iniciadas com a Operação Diamante em 2001. Tenho alertado tais fatos em HC´s no próprio STF e tb no STJ desde 2003. Tudo isso é acompanhado pelo MPF que nada faz, ao contrário, incentiva para atingir seus próprios desígnios.

Aliás, todo funcionário público ou detentor de ...

Fftr (Funcionário público)

Aliás, todo funcionário público ou detentor de cargo público deveria ser monitorado 24 horas por dia, e suas contas pessoais deveriam ser abertas para auditorias frequentes. Os meus sigilos estão a disposição dos órgãos oficiais!

a culpa é do próprio Judiciário que encheu a bo...

ilton (Defensor Público Estadual)

a culpa é do próprio Judiciário que encheu a bola dessa polícia, acolhendo pedidos de quebra de sigilo, mandado de prisão coletivo etc, agora está sentido na própria pele!!!!

A presunção de inocência só vale mesmo para ban...

Fftr (Funcionário público)

A presunção de inocência só vale mesmo para bandido! Isso é Brasil! Já investigaram e sentenciaram que a Polícia Federal é corrupta e tem até banda podre, só não dizem os nomes dos culpados! Bem, vindo o comentário de quem vem, gilmar mendes, não se podia esperar outra coisa, talvez o maior soltador de bandidos de todos os tempos no STF, só não se explica a velocidade da concessão das medidas asseguradoras dos direitos e garantias constitucionais dos ricos e famosos enquanto os demais mortais aguardam décadas por uma decisão. Outro fator relevante para desejarem calar a PF, esta atrelada ao número espantoso de pessoas acima de qualquer suspeita envolvidos em inúmeras falcatruas. Quanto aos suspostos grampos, alguém deveria dizer aos ministros que é só oficiar as empresas para conseguirem a relação dos números acompanhados pela PF, ou indicarem os números suspeitos para as cias. Se os grampos forem ilegais há equipamentos capazes de identificar o monitoramento clandestino. Os ministros também deveriam possuir uma melhor assessoria técnica, visto que no mercado há inúmeros equipamentos que impossibilitam o grampo clandestino. De qualquer forma, esta parecendo que tem muita gente com medo e com o rabo preso. Aquele velho ditado "quem não deve não teme". Trancredo já dizia, "telefone é só para marcar encontro, e em lugar errado". Prefiro um estado policial, o que não dá para aguentar é um estado corrupto!

A primeira vítima dessa banda podre foi o juiz ...

Lu (Advogado Autônomo - Dano Moral)

A primeira vítima dessa banda podre foi o juiz Mazloun, no início desse governo, em 2003. Ninguém fez nada na época, a juizada se acovardou e o bicho cresceu. O autoritarismo avançou e já roça a barba do STF. O caso Mazloum é um caso emblemático e devia ser estudado se querem entender o que se passa nesse país da hipocrisia.

Deram asa à cobra e agora que ela ganhou corpo ...

João Bosco Ferrara (Outros)

Deram asa à cobra e agora que ela ganhou corpo e começou a voar, se volta contra tudo e todos. Só há um jeito de acabar com isso: cortar as asas da cobra, sufocar seu vôo. Entenderam, ó brilhantes autoridades?!

Pedir para o MPF e PF investigarem os seus atos...

A.G. Moreira (Consultor)

Pedir para o MPF e PF investigarem os seus atos, é "brincadeira" . É ruim de encontrar "grampo" !!!

Foi interessante ler este outro trecho na entre...

Ramiro. (Advogado Autônomo - Criminal)

Foi interessante ler este outro trecho na entrevista. "No Superior Tribunal de Justiça, que também fica em Brasília, o ministro Felix Fischer não autorizou a prisão de alguns investigados. Em seguida, começaram a aparecer notas na imprensa de que seu filho, um advogado, estaria sendo investigado sob suspeita de venda de sentenças. Felix Fischer chamou o delegado do caso, acusou a PF de tentar intimidá-lo e só não lhe deu uns sopapos porque foi contido pelos presentes. " E olha que temos a Lei 8.429/92 e várias outras para o Judiciário se valer, mas a questão é a tal da inércia da atuação jurisdicional, o Judiciário precisaria de ação do MPF, e aí que a coisa pega...

É simples, em uma "medida cautelar criminal div...

HERMAN (Outros)

É simples, em uma "medida cautelar criminal diversa" - em grande parte iniciadas com denúncia anônima ou ditas fontes confiáveis -, das centenas propostas pelo auto-denominado serviço de inteligência da PF, insere-se um número telefônico usado por um Ministro ou de um seu parente próximo, ou ainda, de um amigo que se comunica periodicamente. Inicialmente, omite-se tais diálogos. Após 6 meses, ou até mesmo anos de grampo, se estoura a pseudo investigação em curso e diz ter “descoberto” o envolvimento de uma autoridade detentora de foro privilegiado, requerendo ao juízo monocrático que se remeta parte das interceptações ao tribunal competente. Assim foram feitas inúmeras operações iniciadas com a Operação Diamante em 2001. Tenho alertado tais fatos em HC´s no próprio STF e tb no STJ desde 2003. Tudo isso é acompanhado pelo MPF que nada faz, ao contrário, incentiva para atingir seus próprios desígnios.

Comentar

Comentários encerrados em 26/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.