Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

É asustador como temos uma justiça sem sintonia...

Loreno Paraiba (Advogado Autônomo - Consumidor)

É asustador como temos uma justiça sem sintonia, para não dizer "de rabo preso", quando leio isso, vejo o quanto este pais está necessariamente precisando "fechar para balanço", temos descaso generalizado que vai do executivo passando pelo legislativo e chegando ao judiciario, homens que não estão ali apenas por convicção do que é solidariedade muito menos justiça comum, estamos em um pais coorporativista com uma democracia subversiva e de poder corronpido, o que me leva a pensar que não muito distante, talvez, um novo 1964 possa estar perto, ou quem sabe 1930.

Não debitar um cheque com fundos é algo realmen...

EduardoMartins (Outros)

Não debitar um cheque com fundos é algo realmente injustificável. Uma indenização de 2 mil era brincadeira, isso não representa absolutamente nada pro Banco e com certeza só a revolta e o constrangimento pela devolução vale mais do que isso. Pq quando as ações são contra pessoas físicas ou Micro empresas as condenações são altas enquanto as ações contra Bancos tem sempre condenações econômicas ? Não deveria ser o inverso ? Principalmente pela reincidência constante dos Bancos ?

As intituições financeiras tem no Judiciário o ...

gilberto prado (Consultor)

As intituições financeiras tem no Judiciário o maior incentivo para continuar lesando os consumidores e seus cliente. Os valores estipulados em sentença são insignificantes para as instituições financeiras, comparando-se aos valores ganhos com procedimentos ilicitos.Alem do poder Judiciario, contam com a omissao do BANCO CENTRAL, o qual deveria fiscalizar as instituições financeiras.Cumpre salientar que alem de tudo, o poder judiciário esta a serviço dos grandes grupos financeiros,com a omissão do governo, os orgãos recebem desde equipamentos de informatica até patrocinio de congressos aos membros do judiciário. O poder judiciario deveria passar a cada 5 anos por uma reciclagem.

O que se tem notado que a Justiça e o segundo g...

morja (Advogado Autônomo)

O que se tem notado que a Justiça e o segundo grau sempre protegem o mais forte nos casos de danos morais, o que os mesmo entendem por danos morais? Será que no pensamento deles isso é coisa irrelevante? E ainda muitas e quase sempre decretam que só a partir da sentença esses valores são corrigidos até o dia do pagamento. O que o mesmo deveria ser corrigido do momento da citação, como acontece na maioria das ações que são impetradas, ou o que está previsto em nossa lei.

Comentar

Comentários encerrados em 25/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.