Consultor Jurídico

Comentários de leitores

13 comentários

Caro Dr.Freire, as desculpas estão aceitas e ta...

Karla sinova (Advogado da União)

Caro Dr.Freire, as desculpas estão aceitas e também me escuso pelo excesso. Agradeço também as suas pelavras elogiosas sobre a AGU ( Algo raro!!!, rsrsrrs). Por fim, sobre a razão da polêmica, o senhor tem evidetemente todo o direito de defender a manutenção dos 60 dias de férias dos magistrados, só acho que os que pensam diferente , em nada estão denegrindo a Instituição da magistratura, até o contrário, pois tendo fim as férias em dobro, a magistratura e seus membros serão engrandecidos perante a sociedade. Atenciosamente

Cara Dra. Karla Simões Nogueira Vasconcelos. Qu...

Freire (Advogado Autônomo)

Cara Dra. Karla Simões Nogueira Vasconcelos. Quero apresentar minhas desculpas se lhe irritei ou aborreci, na verdade não era a minha intenção. Quero lhe dizer que muito admiro sua nobre função de Advogada da União. Tenho admiração e respeito pelo Ministro Tofolli e por essa conceituada instituição que, com apenas 14 anos de existência, já tem mostrado a sua importância e necessidade dentro do Estado Democrático de Direito. Acompanhei com interesse o Congresso de voces, inclusive com a presença do Presidente da República, Ministros de Estado e etc. Minha opinião foi posta talvez por excesso de zelo ou idealismo. Meu saudoso pai e amigo foi Diretor Geral do MPDFT e da Justiça Federal, e por força da convivência com essas instituições me reservo de fazer comentários que possam denegri-las. Respeitosamente. Dr. Eduardo Freire.

Fico perplexo com a falta de lógica de alguns q...

Freire (Advogado Autônomo)

Fico perplexo com a falta de lógica de alguns que condenam as férias dos Magistrados. Comparam o trabalho do pedreiro (que é muito honrado, sem dúvidas), ex-funcionárias da justiça que acham que "os assessores também levam trabalho para casa, não raro, trabalhos que em tese, deveriam ser feitos pelos juízes" (duvido que reclamassem de seu DAS e de seus salários), e outros que dizem, que "férias são para descanso, se é para continuar trabalhando nas férias, é melhor acabar com elas mesmo", que simplório. Eu pergunto: Estão dispostos a assumir a responsabilidade de julgar os seus semelhantes? Lembro de experiências que tinhamos em Brasília, quando, em alguns finais de semana saíamos para a fazenda de um amigo Desembargador (agora aposentado), e quando nos encontrávamos com ele carregando um carrinho com 05 ou mais processos, alguns com mais de 05 volumes, e indagávamos: "O senhor vai descansar ou trabalhar? Ele respondia: "Se não levar não consigo manter o gabinete atualizado, são mais de 3000 processos sobre minha responsabilidade". Vamos ver se o pedreiro, o assessor e etc estão dispostos a ter uma vida assim, em que a família pouco priva da convivência de seus pais, mães, irmãos etc. Francamente!!! Eduardo Freire. PS: NÃO SOU MAGISTRADO.

Dr. Eduardo Freire, não qualificarei as suas pa...

Karla sinova (Advogado da União)

Dr. Eduardo Freire, não qualificarei as suas palavras de "simplórias" ,nem as de ninguém ,pois até por dever de ofício, como advogada que sou , costumo respeitar as opiniões alheis, o que infelizmente não parecer ser o seu caso. Mas já que o senhor se referiu a afirmaçoes minhas, permita-me responder a sua inteligentíssima e nada simplória pergunta: "Estão dispostos a assumir a responsabilidade de julgar os seus semelhantes?" Não estou disposta a tal, simplesmente porque escolhi outro caminho, que muitas vezes me obriga a levar trabalho para casa, o que faço naturalmente mesmo tendo tão-somente 30 dias de férias. Quanto ao meu salário na justiça federal , de fato, era muito bom, e olha que eu nem assessora de juiz era. Por outro lado, acho bonito quem toma as dores dos amigos, especialmente quando se é advogado e o amigo é desembargador, nesse ponto , o senhor está de parabéns.

Conheço um pedreiro que trabalha para uma const...

ruialex (Advogado Autônomo - Administrativa)

Conheço um pedreiro que trabalha para uma construtora como empregado de uma empresa terceirizada. Tirou 20 dias de férias, pois vendeu 10 dias, mas como sua renda é pequena, arrumou nesse período de férias uns bicos para fazer de pedreiro, aliás na residência de um promotor de justiça, que vai lhe pagar R$ 20,00 por dia, que resolveu fazer a reforma porque estava usufruindo suas férias de 60 dias, sendo que na primeira semana, por estar muito estressado, passou uns dias em Búzios (Rio de Janeiro). O pedreiro não entendia nada, pois como o promotor vivia reclamando de seu trabalho que lhe proporcionava férias de 60 dias? E pensou o que o promotor achava de seu trabalho de pedreiro, onde circulava por andaimes carregando latas de concreto, sendo que em suas férias de 20 dias, ainda teve que fazer bicos e mesmo assim, vivia sempre com dificuldades financeiras. Disse-me que o promotor era até uma pessoa legal, mas confessou-me que gostaria de ser convencido de que suas férias de 60 dias eram realmente merecidas. Por qual motivo juízes e promotores são contra igualar as férias com os demais trabalhadores?

Acho interessante o argumento de que os 60 dias...

Karla sinova (Advogado da União)

Acho interessante o argumento de que os 60 dias são justos em razaão de juízes levarem trabalho para casa. Ora, inúmeros profissionais também o fazem, não só no meio jurídico mas em qualquer área. Aliás , os assessores dos juízes, pelo menos na justiça federal onde trabalhei, também levam trabalho para casa, não raro, trabalhos que em tese, deveriam ser feitos pelos juízes. Abstraindo o vício de iniciativa do projeto, o senador está certíssimo ao trazer o assunto a baila, a sociedade precisa se posicionar se concorda com a continuação desse privilégio, absolutamente desarrazoado. E não esqueçamos que membros do Ministério Público e dos Tribunais de Contas também usufruem dessa maravilha.

Vejo uma grande incoerência naqueles que defend...

Kunzler (Professor)

Vejo uma grande incoerência naqueles que defendem as férias de 60 dias: todos dizem que os beneficiários trabalham muito, e usam as férias para continuar trabalhando. Ora, férias são para descanso, se é para continuar trabalhando nas férias, é melhor acabar com elas mesmo.

A juíza com quem trabalho acabou de sair de fér...

M.P. (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

A juíza com quem trabalho acabou de sair de férias. Tá levando 90 processos para sentenciar. Outros nem saem de férias por preocupação com a comarca. A carga de 2000 processos dita pelo comentarista abaixo é um PARAÍSO, pois nas duas varas que trabalho há 6000 em cada uma. A OAB está se batendo pela solução hipócrita, pois a maioria esmagadora do juízes não tira nem um mês de férias; tira 15 dias somados ao recesso forense. Fácil provar pelos relatórios dos tribunais. Então, fica a pergunrta: reduzindo as férias, acelera o Judiciário? JAMAIS!! A morosidade do Judiciário está centrada nas leis arcaicas, na falta de fóruns adequados, de funcionários e assessores capacitados etc; no caso do crime, tudoi começa nas polícias, sem estrutura física, sem viaturas, sem armamento, sem escutas telefônicas, sem peritos (importantíssimos!), e, claro, com maravilhosos salários de soldados e invetigadores de 1.300 reais... A OAB é hipócrita. Sabe de tudo mas joga pros tontos. Acredita quem quiser.

A juíza com quem trabalho acabou de sair de fér...

M.P. (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

A juíza com quem trabalho acabou de sair de férias. Tá levando 90 processos para sentenciar. Outros nem saem de férias por preocupação com a comarca. A carga de 2000 processos dita pelo comentarista abaixo é um PARAÍSO, pois nas duas varas que trabalho há 6000 em cada uma. A OAB está se batendo pela solução hipócrita, pois a maioria esmagadora do juízes não tira nem um mês de férias; tira 15 dias somados ao recesso forense. Fácil provar pelos relatórios dos tribunais. Então, fica a pergunrta: reduzindo as férias, acelera o Judiciário? JAMAIS!! A morosidade do Judiciário está centrada nas leis arcaicas, na falta de fóruns adequados, de funcionários e assessores capacitados etc; no caso do crime, tudoi começa nas polícias, sem estrutura física, sem viaturas, sem armamento, sem escutas telefônicas, sem peritos (importantíssimos!), e, claro, com maravilhosos salários de soldados e invetigadores de 1.300 reais... A OAB é hipócrita. Sabe de tudo mas joga pros tontos. Acredita quem quiser.

Como é fácil sair em defesa de teses mal compre...

Freire (Advogado Autônomo)

Como é fácil sair em defesa de teses mal compreendidas. Não sou Juiz, sou advogado e conheço dezena deles há pelo menos 20 anos. Posso afirmar com consciência, eles merecem as férias e os feriados. A grande maioria dos juizes têm sob sua responsabilidade mais de 2000 processos. Não sei por que um Presidente de Seccional da nossa honrada instituição (OAB), quer a aprovação do projeto do Suplicy, que, como Senador da República, trabalha 03 dias por semana e tira férias duas vezes por ano. Francamente. Dr. Eduardo Freire

Será que o Sr. promotor não quer, também, a red...

 (Advogado Autônomo - Civil)

Será que o Sr. promotor não quer, também, a redução do salário para ficar mais condizente com os salários do povo brasileiro? A retirada das vagas de estacionamento marcadas para as autoridades nos melhores locais do centro das grandes cidades? O motorista e carro particular para juízes? O meio expediente?

Junto com os 30 dias de férias, queremos relógi...

José Cláudio (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Junto com os 30 dias de férias, queremos relógio ponto. Queremos bater ponto para entrar e para sair do Fórum. Não levaremos mais serviços para casa. Ao final do expediente estaremos livres para a família e para o lazer. Inclusive nos finais de semana. Oba!

Nenhum juiz de "plantão" pra comentar?

Sergio Battilani (Advogado Autônomo)

Nenhum juiz de "plantão" pra comentar?

Comentar

Comentários encerrados em 25/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.