Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Nova prorrogação

Prazo para aderir ao SuperSimples termina segunda

As micro e pequenas empresas ganharam mais cinco dias para aderir ao SuperSimples. O Comitê Gestor do Simples Nacional aprovou nova prorrogação para a adesão, que agora termina dia 20 de agosto.

O prazo foi ampliado depois que o Congresso Nacional aprovou Projeto de Lei que autoriza empresas do setor de fabricação e distribuição de sorvetes, cosméticos e fogos de artifício a aderir ao Supersimples. A prorrogação passa a valer depois que a lei for promulgada, o que pode demorar 15 dias e invalidar a prorrogação para adesão até dia 20.

O SuperSimples integra o pagamento de tributos federais, estaduais e municipais. São eles: IRPJ, CSLL, IPI, Cofins, PIS, ICMS, ISS, INSS e a contribuição do Sistema S. Para o INSS, no entanto, a lei prevê algumas atividades em que o imposto tem de ser cobrado à parte.

Revista Consultor Jurídico, 14 de agosto de 2007, 15h52

Comentários de leitores

1 comentário

Outro dia um conhecido me disse que ao adotar o...

EduardoMartins (Outros)

Outro dia um conhecido me disse que ao adotar o simples ele teve um pequeno aumento no pagamento do imposto, mas que ele preferia pagar pelo inferno que era o cálculo de tantos impostos separados. Mas com o tal do super simples a coisa foi ainda pior. Segundo informado pelo seu contador, pagando por esse sistema ele teria uma despesa MUITO maior, além disso, a fórmula de cálculo não tem nada de simples. (ele não trabalha com serviços, mas com vendas de um determinado tipo de produto) O governo dá prazo pra adesão e diz que possíveis falhas serão corrigidas através de um projeto de lei. Pergunto: Vc sendo Micro empresário que deveria ser favorecido, mas que na prática, se aderir, será prejudicado imediatamente com aumento de impostos, iria aderir confiando em uma futura correção por parte do governo ? Só louco pra confiar no governo, vide a "eterna provisória" CPMF que teve sua taxa aumentada, desviada, e deixou os hospitais na mesma até hoje. A conclusão que eu chego é que o governo Lula continua apostando alto na propaganda, pq na prática eu vejo aumento de impostos em cima da já sufocada, e cada dia mais ameaçada de extinção, classe média brasileira. Não é a toa o descontentamento e o surgimento de movimentos organizados como "a grande vaia". Se o povo ainda se ilude, a classe média está despertando. Se não fosse composta por um grande número de pessoas que trabalham de segunda a sábado, quando não o fazem por todos os 7 dias da semana daria 100 vezes mais gente no protesto organizado e muito pouco divulgado no orkut. Não são os micro empresário que lucram nesse governo, mas os exportadores e o setor financeiro. Micro empresário no Brasil hoje vive com a corda no pescoço, precisa ser mágico pra sobreviver.

Comentários encerrados em 22/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.