Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Programação livre

TV Justiça poderá ser vista em canal aberto no Distrito Federal

Após cinco anos no ar como canal por assinatura, o Supremo Tribunal Federal inaugura, na próxima quarta-feira (15/8), o primeiro canal da TV Justiça com sinal aberto. É o canal 53/UHF, que vai transmitir sua programação para todo o Distrito Federal.

A portaria de consignação do primeiro canal em sinal aberto da TV Justiça foi assinada pelo ministro Hélio Costa, das Comunicações, no dia 8 de junho do ano passado, durante audiência concedida à presidente do STF, ministra Ellen Gracie.

De lá para cá, as equipes de engenharia e técnica da TV Justiça vêm se empenhando para a entrada no ar do canal 53. Os canais UHF são de baixa freqüência, possibilitando transmissões de alcance regional.

O transmissor e a antena do canal foram instalados no Centro de Transmissão do Posto Colorado, em área cedida pelo governo do Distrito Federal para construção de uma torre que já abriga equipamentos semelhantes das TVs Câmara e Senado. Para permitir a utilização dessa área, o STF fez obras de reforma na sala dos transmissores por meio de um convênio assinado com as duas casas legislativas.

Na primeira fase de funcionamento do canal 53, a programação será praticamente a mesma que já é veiculada no canal por assinatura e captada também por antena parabólica e receptor digital. De um total de 52 programas exibidos atualmente pela TV Justiça, 32 terão exibição assegurada no Canal 53. Uma exclusividade do canal será a apresentação das duas edições do Jornal da Justiça — edição local, uma ao meio-dia e outra às 20 horas, além de dois boletins locais, às 20h30 e às 16h30. O jornal terá duração de 20 minutos, cada edição e os boletins, cinco minutos.

O noticiário local será produzido pela equipe da TV Justiça, com colaboração dos parceiros, como o Tribunal de Justiça do Distrito Federal, o Superior Tribunal de Justiça, o Tribunal Regional do Trabalho, o Tribunal Regional Federal, o Tribunal Regional Eleitoral, o Ministério Público, a OAB e outras entidades do Judiciário no Distrito Federal.

Revista Consultor Jurídico, 12 de agosto de 2007, 0h00

Comentários de leitores

1 comentário

Nada impede a retransmissão em outras regionais...

Jesiel Nascimento (Advogado Autônomo - Criminal)

Nada impede a retransmissão em outras regionais. Mas as outras emissoras negam interesse porque preferem comercializar o sinal. E pior, muito pior, impedem que suas afiliadas retransmitam o sinal, sob pena de inviabiliarem sua grade de progamação. è o poder do capital aniquilando o interesse social. Solução simples: Se não querem ter compromisso com o social abandonem as benesses obtidas com o dinheiro público e tratem de seus interesses com uma visão apenas comercial. O que não podem é exatamente sugar as tetas do governo, alimentar seus amados e defecar no povo.

Comentários encerrados em 20/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.