Consultor Jurídico

Notícias

Infidelidade partidária

PSDB não consegue liminar para cassar mandato de infiéis

Comentários de leitores

9 comentários

O Judiciário não está legislando, está interpre...

AntonioLNFernandes (Estudante de Direito)

O Judiciário não está legislando, está interpretando quais as consequências da infidelidade partidária segundo contexto jurídico eleitoral brasileiro. O problema é que o STF, apesar de ser o Supremo, deveria respeitar as decisões do TSE, que é Tribunal específico para resolver questões eleitorais, e se ele disse que o mandato pertence às legendas então é dado para o STF refletir nessa decisão.

Sugiro emenda constitucional que "acabe" com o ...

Ruberval, de Apiacás, MT (Engenheiro)

Sugiro emenda constitucional que "acabe" com o TSE, pois suas decisões não vinculam e é mais um ralo de dinheiro público que se desperdiça.

Fidelidade, não só a partidária, é algo difícil...

Embira (Advogado Autônomo - Civil)

Fidelidade, não só a partidária, é algo difícil de comprovar. O atual governo tem despertado ferrenhas contestações, inclusive essa contra a mudança de partido por parlamentares que foram reforçar a base governista. No governo anterior também houve mudanças de partido, mas, não houve tanta contestação por parte da oposição, nem discurso de magistrados contra essas mudanças. Querem implantar, por lei, a fidelidade partidária, mas cuidam esses projetos, apenas, da fidelidade formal ao partido. Não mudando de legenda, o parlamentar já estaria sendo fiel ao partido. Não é bem assim, porém. Há um aspecto material a ser considerado. Se observarmos bem, há parlamentares que não mudam de legenda, mas, permanecendo em um partido governista, por exemplo, votam sempre com a oposição, ou, ao revés, sendo formalmente “fiéis” a um partido de oposição, votam sempre com o governo. São as noviças rebeldes da política, ou os adesistas contumazes. Em geral, são identificados por nomes mais elogiosos, como ala ética, autênticos, etc. São velhas mazelas da nossa política que nenhuma lei instituindo a fidelidade irá resolver. Melhor deixar como está.

O Poder Judiciário não pode legislar. A infidel...

LUÍS  (Advogado Sócio de Escritório)

O Poder Judiciário não pode legislar. A infidelidade partidária está destruindo o País, mas não é o Judiciário quem deve resolver isso.

É por estas e por outras que a tal de Reforma P...

Zerlottini (Outros)

É por estas e por outras que a tal de Reforma Partidária não vai sair nunca. Os calhordas mudam de partido mais do que eu troco de camisa. Ainda me lembro, na última eleição, o pessoal trocando de partido na mesma semana em que foram empossados. Acontece, porém, uma coisa: nesta pátria amada, abandonada e sacaneada, salve, salve, se a gente ler um manifesto de um partido, não precisa ler os outros - é só mudar a sigla. Dizem que a "mesma coisa" é caminhão cheio de japonês. Nada... Mesma coisa são os "pedaços" políticos brasileiros - é "pedaço" mesmo, de tão "partidos" que são. Na minha opinião, o mandato deveria ser do partido. Mudou de partido, vai-se o mandato também. Mas, como estamos no Brasil, é como diz o toca: tem mais é que rir. É uma verdadeira vergonha. A cada dia que passa, chego mais à conclusão que falar "político safado" é pleonasmo vicioso (ou viciado). Francisco Alexandre Zerlottini. BH / MG

O colega abaixo foi certeiro: o Ministro não di...

LHS (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

O colega abaixo foi certeiro: o Ministro não disse coisa alguma sobre o mérito do MS, ao contrário do que a "chamada" da notícia dá a entender.

Na verdade, o Ministro, não quiz assumir uma re...

A.G. Moreira (Consultor)

Na verdade, o Ministro, não quiz assumir uma responsabilidade, inédita (para o STF), e , pela importância e, possível, confronto com outro Poder, preferindo, que o mérito seja julgado, com decisão coletiva .

Não consigo parar de rir, mas o caso é mesmo pa...

toca (Professor)

Não consigo parar de rir, mas o caso é mesmo para chorar... Mas, como sou brasileiro(brasileiro não desiste nunca) estou rindo, apesar da paulada na moleira e da profunda dor no bolso...

Pela disparidade de decisões que vemos (vide qu...

toca (Professor)

Pela disparidade de decisões que vemos (vide quadro LEIA TAMBÉM) podemos concluir que este é o país da segurança jurídica.KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Comentar

Comentários encerrados em 17/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.