Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Divisão interna

Conselho Federal da OAB diz não ao Movimento Cansei

Por 

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil decidiu na manhã desta segunda-feira (6/8) pela não adesão da entidade ao chamado Movimento Cívico pelo Direito dos Brasileiros, vulgo Cansei. O protesto é encabeçado pela seccional paulista e seu presidente Luiz Flávio Borges D'Urso.

A questão foi levada ao conselho em reunião extraordinária depois de manifesta divergência entre as seccionais paulista e fluminense sobre a adesão ao movimento lançado por empresários e entidades empresariais de São Paulo. O dirigente da OAB do Rio, Wadih Damous, chamou o movimento de “golpismo paulista”.

A decisão do Conselho Federal revela que a OAB-SP está isolada politicamente dentro do quadro de apoios da entidade. Somente a secional do Distrito Federal aderiu ao movimento. A decisão desta segunda pode ser um golpe nas pretensões de D'Urso de ocupar no futuro a presidência nacional da OAB.

Semana passada, o presidente da OAB paulista classificou como grosseira e indelicada a afirmação do dirigente da OAB do Rio. Para D’Urso, a crítica é uma tentativa do grupo fluminense de adiantar o processo interno de eleições. “Um advogado não deve prejulgar”, disse D'Urso.

O dirigente paulista reagiu à declaração feita por Damous na terça-feira, segundo a qual “o Cansei é um movimento de fundo golpista, estreito e que só conta com a participação de setores e personalidades das classes sociais mais abastadas do estado de São Paulo”.

Com a decisão desta segunda, o presidente nacional da OAB Cezar Britto não participará do ato convocado por dirigentes do movimento no próximo dia 17, quando completa um mês o acidente do vôo da TAM.

Segundo Britto, a decisão dos conselheiros federais da entidade “não fez nenhum juízo de valor sobre o movimento, tendo expressado que ele é legítimo e que toda a sociedade brasileira deve se manifestar como bem entender, pois isso faz parte da democracia”.

Movimento polêmico

O movimento tem a assinatura da OAB paulista, mas é articulado pelo empresário e apresentador televisivo João Dória Júnior, conhecido pelas boas relações com a elite do PIB nacional. Também estão à frente do movimento Sérgio Gordilho, presidente da agência de publicidade África e representantes da Fiesp, como Paulo Zottolo, presidente da Philips.

Segundo os organizadores, a intenção do movimento é “sensibilizar” os brasileiros a pararem durante um minuto, às 13 horas de 17 de agosto, dia em que o acidente com o Airbus da TAM que matou 199 pessoas completa 30 dias, em protesto.

O movimento se diz apartidário, mas o governo arregimentou sua base não partidária para fazer frente a ele. MST, UNE e CUT, que dão apoio incondicional ao governo Lula, já manifestaram sua oposição ao Cansei. A central sindical lançou um contra-movimento: é o “Cansamos”. À exceção dos paulistas, os advogados, por suas representações seccionais, não vão tomar parte no movimento.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 6 de agosto de 2007, 15h14

Comentários de leitores

22 comentários

Cansei...de ver pseudo-intelectuóides-democrata...

Comentarista (Outros)

Cansei...de ver pseudo-intelectuóides-democratas querendo aplicar o golpe do "tapetão" contra um governo democraticamente eleito; Cansei...de ver quem votou no higienista Serrinha - ou no Geraldinho - esbravejar contra o Sapo Barbudo; Cansei...de ouvir que um "anarfabeto" não pode governar um país como o Brasi, quando um falastrão velho e gagá - poliglota por necessidade de prestar contas aos seus verdadeiros patrões yankees - deixou esse mesmo país de joelhos após oito desastrosos anos de (des) governo; Cansei...de ver meia-dúzia de pessoas defendendo a "moralidade e a ética" na política, quando passaram a maior parte de suas vidinhas apoiando os coronéis de seus currais eleitoriais; Cansei...de ver gente falando em "honestidade do homem público", quando, nos inícios de anos, já se preocupem em procurar seus contadores para "dar um jeitinho" de se livrar das garras do "leão" do imposto de renda; Cansei...de ouvir defensores ferrenhos da "ética e da moral", quando, em suas viagens de férias, acham que "molhar a mão" do guardinha de trânsito (para não serem multados) é algo absolutamente "normal"; Cansei...de ver madame que frequenta a Daslu (de propriedade de uma honestíssima e correta senhora da sociedade paulistana), na companhia de suas cadelinhas de estimação, desfilando pelo centro de SP e dizendo...cansei! Eu cansei...de verdade mesmo... Hehehe!

Cansei de pagar CPMF para fomentar a corrupção....

Bira (Industrial)

Cansei de pagar CPMF para fomentar a corrupção. Cansei de ver criminosos do erário livres. Cansei de pagar IPVA e abastecer gasolina adulterada e perder pneus em buracos. Cansei de ver as filas do INSS e falarem que aos 65 anos sua saude é de ferro para que aposentar! Cansei de ver pais de familia assassinados no semaforo. Cansei de gastar duas vezes o preço de um imovel financiado. Cansei de ver entra governo sai governo e nada melhora. Cansei de ouvir "nunca antes neste pais...e não sei de nada". Cansei dos projetos de censura a midia. Cansei p _ _ _ _!

(Eduardo ELias, advogado e professor universitá...

Eduardo Elias (Advogado Associado a Escritório - Criminal)

(Eduardo ELias, advogado e professor universitário): Golpista são os omissos, ou, no mínimo, coniventes, com o absurdo estado letárgico que a Nação foi tomada, perdendo poder de reação e indignação. Golpista é o adesismo de instituições como o MST e, principalmente, a UNE, que não representa mais do que 10% do número de alunos do Brasil. No mais das vezes a presidência da UNE e de instituições omissas e adesistas, são ocupadas por oportunistas, que, no futuro, se tornam políticos bem remunerados para compor o grupo que estigmatiza de lama putrefata as instituições nacionais. Estou com a presidência da OAB/SP, que, no mínimo, não é omissa.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 14/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.