Consultor Jurídico

Artigos

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Demissão em massa

País sairá perdendo se proibir importação de pneus remoldados

Por 

Será impossível para o Brasil conter as importações de pneus remoldados. A afirmação é de Roberto Carvalho de Azevedo, do Ministério das Relações Exteriores. Ele admitiu finalmente, em audiência pública na Comissão de Meio Ambiente da Câmara Federal, que o Brasil perdeu na OMC e que será impossível conter as importações.

De fato, ele confirmou no Congresso que é irrecorrível a decisão da Câmara Arbitral do Mercosul que obriga o Brasil a receber pneus remoldados fabricados no Uruguai, Paraguai e Argentina, sem qualquer limite de quantidade.

Assim, caso o presidente Lula ceda às pressões das multinacionais e proíba por medida provisória a importação de pneus usados para uso exclusivo como matéria-prima nas indústrias de pneus remoldados, na mesma hora fecharemos a BS Colway, para nos instalar no Paraguai e de lá exportar para o Brasil, a exemplo de outras fábricas que para lá já foram.

As condições oferecidas pelo Paraguai são muito atraentes e sem dúvida causarão uma debandada geral das fábricas brasileiras de pneus remoldados, que substituirão por trabalhadores paraguaios mais de 10 mil brasileiros empregados aqui.

Com a isenção de tributos na importação de matérias-primas e sem o equivalente ao “custo Brasil”, crescerá acima de 30% a atual participação dos remoldados no mercado brasileiro, ampliando-se muito mais do que isso os recauchutados de caminhões e ônibus, já que custarão muito menos. E ainda teremos no Brasil os importados da Europa, conforme admite agora o ministro do Itamaraty.

Na mesma audiência pública, Vilien Soares, representante da Goodyear, Pirelli, Bridgestone / Firestone e Michelin, tergiversou diante de igual pergunta feita por vários deputados que o questionavam sobre as importações de pneus usados do Japão e da Europa que são reformados nos EUA e na França por aquelas multinacionais. Sim, por que no Brasil elas querem proibir a atividade, se também com pneus usados importados a praticam em seus próprios países?

O representante das multis ficou em “saia justa” quando reafirmou que elas não coletam mais que 20% dos pneus inservíveis de sua obrigação ambiental, porque não existiriam aqui. Isso porque, em seguida, disse que existem de sobra no Brasil pneus usados passíveis de reforma. Os deputados o questionaram então se as multis apenas coletam pneus usados inservíveis enquanto deixam no meio ambiente os pneus usados reformáveis.

Indagado se a ação das multis não se prende a interesses econômicos, Vilien Soares respondeu que além da preocupação ambiental (sic), havia sim o interesse econômico legítimo, uma vez que os pneus usados de boa qualidade importados custam muito pouco quando comparados aos disponíveis no território brasileiro. Disse que essas importações da indústria de remoldados constituem concorrência desleal.

Ficou evidente que, para as multinacionais, não existe concorrência desleal quando as importações de pneus usados são feitas por elas, nos Estados Unidos e na França. O trágico é que, pela força das multis junto ao Executivo Federal, fábricas com capital genuinamente nacional estão sendo obrigadas a fechar as portas no Brasil e transferir para o Paraguai os empregos dos que serão demitidos aqui.

Francisco Simeão é presidente da Abip — Associação Brasileira da Indústria de Pneus Remoldados e da BS Colway.

Revista Consultor Jurídico, 1 de agosto de 2007, 15h12

Comentários de leitores

4 comentários

EXPORTAR LIXO... é isso que fazem os paíse...

RAFAEL ADV (Procurador do Município)

EXPORTAR LIXO... é isso que fazem os países que exportam para o Brasil os pneus remoldados, recauchutados ou qualquer outro nome bonito que possam dar para pneus velhos recapados. Todas sabemos que pneus velhos são um grande poluidor da natureza, ficam anos acumulando água e cultivando mosquitos da dengue... etc etc etc... Então o que fazer com os pneus velhos ? gastar dinheiro com a destinação deste lixo ?? Resposta: NÃO, exportar para alguma nação trouxa que compre pneus usados e remoldados... Resumindo... os outros países exportam para o Brasil pneus deste tipo, pois não querem poluir sua nação com pneus velhos... Abraço www.axiologico.blogspot.com

Meu Caro Simeão, "IBAMA" , só existe no Bras...

A.G. Moreira (Consultor)

Meu Caro Simeão, "IBAMA" , só existe no Brasil !!! O governo criou um "MONSTRO" e , agora, não sabe com se defender dele ! Haja visto, o , vigente, caso das Usinas Hidro-Elétricas do Rio Madeira !!! Quem pensa que, este, é um assunto que está resolvido, está, redondamente, equivocado ! Quanto aos pneus usados, não adiantam, todas as garantias e destino que você oferece, comprovadamente !!! Por outro lado, agora, já, existem "tecnologias de transformação e reciclagem" dos "pneus irrecuperáveis", em matérias primas, na sua totalidade, ( sem resíduos ) , que podem ser utilizadas na fabricação de novos pneus !!! A sua decisão, acerca da instalação de indústria no Paraguay, comprova que o seu projeto é correto, viável e que você tem todo o direito (e mérito) , de lutar por ele !!!

Que coisa mais marota! O Brasil tem é que fabri...

 (Advogado Autônomo - Civil)

Que coisa mais marota! O Brasil tem é que fabricar pneus à importar usados. Que história é essa. É chegada a hora de o povo brasileiro não se contentar com o que sobra. Sejamos mais altaneiros! Não vamos consumir o que os paises de 1º mundo jogam fora, enquanto eles compram a nossa matéria prima por bagatelas. Esse pneus são fabricados para rodar no frio, em condições de neve e não nos serve nem a sua carcaça. Até por essas condições de clima. Sai fora amigo! Deve haver aí interesses particulares que a nós não interessa citar aqui. Jamais concordarei com tal medida.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 09/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.