Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Teologia da Libertação

Papa chega ao Brasil sob peso de condenação a Jon Sobrino

Por 

O papa Bento XVI reza nesta Sexta-Feira Santa (6/4) com um gostinho de vitória na boca. Preparando-se para a sua primeira viagem ao Brasil em maio, o filósofo e teólogo Joseph Ratzinger acumula forças para arrasar de vez a Teologia da Libertação, inimigo que combateu durante os mais de 20 anos em que foi prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé (ex-Santa Inquisição).

A recente condenação da obra do teólogo salvadorenho de origem espanhola, Jon Sobrino, foi mais um sinal de que no pontificado de Bento XVI não haverá espaço para a esquerda defensora dos mais pobres.

No dia 14 de março, a Congregação para Doutrina da Fé publicou uma Notificação alertando para os erros contidos na obra de Sobrino. “Suas proposições não estão em conformidade com a doutrina da Igreja”, justifica a nota. A Notificação é a primeira medida desse tipo tomada por Ratzinger desde que foi eleito papa em abril de 2005.

No Direito Canônico, a Notificação significa que o teólogo poderá ser impedido de dar aulas ou publicar livros. As sanções são dadas pelos bispos locais ou pelas instituições, nas quais o notificado está ligado. A pena não é tão dura como ser queimado na fogueira, mas, para quem professou o catolicismo durante toda a vida, o silêncio é um golpe quase de morte.

A Notificação foi assinada em “procedimento urgente” pelo cardeal William Levada, prefeito da Doutrina da Fé, que substituiu Ratzinger no cargo. Como cardeal, o papa perseguiu teólogos críticos e aplicou sanções aos padres da Teologia da Libertação, entre eles o brasileiro Leonardo Boff e o suíço-alemão Hans Kung.

Duas obras de Jon Sobrino, Jesus Cristo libertador, Leitura histórica-teólogica de Jesus de Nazaré e A fé em Jesus Cristo. Ensaio desde as vítimas (A fé), foram examinadas pela Congregação "por causa dos erros e imprecisões neles encontrados”.

“A relação de Jesus com Deus não se expressa corretamente dizendo que era um fiel como nós. Pelo contrário, é precisamente a intimidade e o conhecimento direto e imediato que ele tem do Pai o que lhe permite revelar aos homens o mistério do amor divino”, sentenciou a Congregação, que em 2001 decidiu estudar com mais profundidade os textos do teólogo.

Teologia da Libertação

Sobrino, de 68 anos, mora desde 1957 em El Salvador, onde participou da fundação da Universidade Centro-Americana. Nascido em Barcelona (Espanha) em 1938, sobreviveu ao massacre cometido pelo Exército salvadorenho em 1980 na UCA, que matou vários religiosos. Ele estava estudando na Tailândia.

O teólogo era amigo do monsenhor Oscar Romero, arcebispo de San Salvador, assassinado por militares na ocasião. Ele é um dos grandes expoentes da Teologia da Libertação, o movimento de origem latino-americana que uniu a defesa dos valores cristãos à luta pelos direitos dos desfavorecidos.

A condenação ao famoso teólogo acontece dois meses antes da primeira visita do papa à América Latina para inaugurar a assembléia geral da 5ª Conferência Episcopal Latino-Americana, que acontecerá no Brasil de 13 a 30 de maio. Para o jornal El País, o castigo ensombrece a visita do papa. Ratzinger, quando foi bispo de Munique, financiou a tradução da tese de doutorado de Sobrino para o alemão.

Segundo o teólogo Leonardo Boff, a Notificação é uma reação de grupos do Vaticano que guardam rancor à Teologia da Libertação. Por trás do grupo estariam os poderosos cardeais colombianos Alfonso Lopez Trujillo e Dario Castrillon Hoyos, o cardeal mexicano Barragan e o bispo brasileiro Dom Karl Josef Romer, que montou o processo judicial contra Boff.

Já o mítico bispo espanhol Pere Casaldàliga i Pla, em nota de desagravo, afirma que a Notificação é sintomática “porque um cardeal da Cúria romana já tinha declarado que antes de Aparecida estaria liquidada a Teologia da Libertação”. O bispo São Félix do Araguaia (MT) pergunta ao Vaticano o que é verdade religiosa. "A verdade, Pilatos, é estar do lado dos pobres", responde lembrando a frase que Jesus Cristo diz no momento em que Poncio Pilato lava as mãos.

Para o vaticanista Ignazio Ingrao, a punição tem como objetivo mandar uma mensagem de advertência a todos integrantes da teologia na América Latina. Ele lembrou que o processo começou em 2001 e foi assinada pelo papa no final de 2006. Ingrao afirma que a punição pode influenciar decisões da Conferência Episcopal.

Veja a notificação

CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ

NOTIFICAÇÃO sobre as obras do P. Jon SOBRINO S.I.:

Jesucristo liberador. Lectura histórico-teológica de Jesús de Nazaret (Madrid, 1991) e La fe en Jesucristo. Ensayo desde las víctimas (San Salvador, 1999).

Introdução

1. Após um primeiro exame dos volumes Jesucristo liberador. Lectura histórico-teológica de Jesús de Nazaret (Jesucristo) e La fe en Jesucristo. Ensayo desde las víctimas (La fe), do Rev.do P. Jon Sobrino S.I., a Congregação para a Doutrina da Fé, dadas as inexactidões e erros neles encontrados, decidiu, em Outubro de 2001, proceder a um ulterior e mais aprofundado estudo das ditas obras. Dada a ampla divulgação desses escritos e a utilização dos mesmos em Seminários e outros centros de estudo, sobretudo da América Latina, a Congregação achou por bem aplicar a esse estudo o “procedimento urgente” previsto nos artigos 23-27 da Agendi Ratio in Doctrinarum Examine.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 6 de abril de 2007, 9h55

Comentários de leitores

31 comentários

Cara srta. Cláudia, se este é o seu único e "...

Richard Smith (Consultor)

Cara srta. Cláudia, se este é o seu único e "PeTralhístico" argumento, realmente, não há nada mais a conversar. Tenha uma boa tarde também! p.s.Não me acho "donode nenhuma verdade, mas apenas defensor do que eu acho verdadeiro e correto. Mas a srta. apesar de esgrimir os seus pobres e vazios "chavões" e pensamentos-feitos, com extema virulência (disfarçada de "educação") não dve ser capaz de reconhecer isto. Paciência!

Prezados Senhores Richard e A.G. Moreira: In...

Cláudia (Advogado Sócio de Escritório)

Prezados Senhores Richard e A.G. Moreira: Infelizmente continuam a serem desrespeitosos e ofensivos, não conseguem aceitar opiniões contrárias e se acham os donos da razão. Não há como desenvolver nenhuma conversa educada com Vossas Senhorias, fanáticos e intolerantes. Atenciosamente, Tenham uma boa tarde.

Cara srta. Cláudia: A srta disse: "Ver...

Richard Smith (Consultor)

Cara srta. Cláudia: A srta disse: "Vergonhoso ver pessoas que se dizem educadas e dotadas de boa cultura, por terem tido oportunidades diversas, travarem discussões VAZIAS e desrespeitosas que nada acrescentam, FUGINDO COMPLETAMENTE do assunto." (grifos meus). E apenas em um parágrafo, três erros de sua parte: 1) Eu não me digo, nem educado e nem culto. As pessoas não devem se dizer, mas devem demonstrar serem educadas, ou não. 2) E "educação", "polidez", não significam, num debate, deixar de nomear adequadamente as coisas e as pessoas e nem, muito menos, deixar de defender com denôdo e virilidade, posições que se tenha como corretas. Já bastam os relativistas que campeiam por aí, às mancheias. 3) "Discussões vazias"? Acho que não! Ao contrário; infelizmente muito cheias de conteúdo, posto que representativas de duas visões de mundo e de valores que são absolutamente excludentes. Mais adiante a srta. continua: "A igreja católica, como instituição, cometeu diversas atrociadades (sic) e muitas violências (...). Condenar um padre por suas opiniões e pretender condenar a Teologia da Libertação com obrigatoriedade de silêncio é mais uma destas violências medievais. Novamente, duas confusões de sua parte: 1) O tal Padre, é um professor e se pretende CATÓLICO, mas ensina "verdades" que contrariam a Doutrina Católica, a verdade histórica acerca de Jesus e com isso, difunde uma visão MENTIROSA e herética, que afeta gravemente o depósito da Fé que ao Papa e aos Bispos a ele ligados, cabe defender. 2) A chamada "Teologia da Libertação" já foi CONDENADA pela Santa Sé, desde 1983. Novamente ressaltando: por quem tem AUTORIDADE para fazê-lo. E também um erro, ("atroacidades e violencias") muito comum a pessoas que se dizem "católicas" mas desconhecem absolutamente a sua história e doutrina e, pior, acham que podem julgá-la e condená-la, e continuarem a ser "católicos"! Pura soberba adolescente. O engraçado é que a notícia acima, transcereve, quase na íntegra, as objeções da Santa Sé às absurdidades heréticas do Jon Sobrino. E aparentemente a srta. como todos os demais comentadores, siquer se deram ao trablho de lê-las ("ah, que preguiça, que coisa chata!"). Depois ainda: "Jesus veio enviado por Deus para nos ensinar a sermos tolerantes, humanos, termos compaixão e amor ao próximo, e, o primeiro passo para tudo isso é o respeito e a paciência um com os outros". É mesmo?! Quer dizer que o respeito ao próximo significa não abusar de sua "paciência", concordando com as suas imbecilidades e deixando de exercer a chamada "correção fraterna", ainda que em termos ásperos? Uau, que "catolicismo" esse, o seu, hein? Quanto a Jesus, e quando Ele disse: "Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir do castigo..", ou "Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo do inferno, preparado para Satanás e os seus seguidores"? Ou ainda: "Vocês pensam que eu vim trazer a paz. Mas eu vim trazer a espada...", etc. A srta. engana-se redondamente: Jesus, Deus verdadeiro e Criador de todas as coisas, veio a este mundo, rebaixando-se à nossa nautreza humana, para REMIR os nossos pecados através do sofrimento e morte na Cruz e pregar a SALVAÇÃO a todo o genero humano, mediante a nossa adesão ao seu plano de salvação. Não veio nos propor palavras adocicadas e nem "educadas". Aliás, Ele mesmo disse: "Somente os violentos arrebatam os céus" (os que violentam a sua própria carne e que fazem opções "violentas" por Deus e pelo Seu Reino, claro!) Por último, se a srta., "intoxicada culturalmente" pelas Vejas e outras publicações anti-clericais da vida, não acaha que a Igreja, Una, Santa, Católica e Apostólica seja a "verdadeira igreja de cristo", lamento informar-lhe, a srta pode ser qualquer coisa, menos CATÓLICA. E, apesar de a Igreja ser uma Monarquia Absoluta, portanto uma instituição não formalmente "democrática" nos moldes do pensamento moderno, a srta. já viu maior democracia do que no interior dela? (não confundir falta de democracia ou autoritarismo, com desobediência, por favor) Já viu a quantidade de pessoas negras, pobres, simples, tidas como santas, como modelos de virtudes? E até ciganos (São Zeferino Jimenez Mala, por exemplo), judeus (Santa Edith Stein), etc. Ou a solicitude com que sempre acolheu todos os povos e todas as gentes (e por eles também foi acolhida)? Realmente, a srta. não sabe absolutamente do que fala. E pior, pensa que sabe! O que é lastimável, em se tratando da coisa mais importante dessa vida e fundamental para o destino último e eterno de nossa alma. Realmente, não concebo coisa de maior importância, razão pela dou-me a essas discussões "vazias" e "desrespeitosas". Fui claro? Passar bem.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 14/04/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.