Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Cola à vista

CNJ apura se houve fraudes em prova para juiz do Rio de Janeiro

A OAB nacional e a seccional fluminense levaram ao Conselho Nacional de Justiça pedido de providências para que seja investigado o último concurso para magistratura no Rio de Janeiro, aplicado pelo Tribunal de Justiça fluminense. A Ordem alega que houve fraudes nas provas.

O pedido foi apresentado com base em suspeitas de vazamento de gabaritos da prova, da qual participaram 1,8 mil candidatos. Para o presidente da OAB-RJ, Wadih Damous, se for comprovada, a fraude é bastante grave, já que o Judiciário é justamente o órgão que julga os atos ilícitos em todos os exames.

A OAB cita como exemplo de ilegalidade o teste feito pela candidata Denise Pieri Nunes que, ao responder a uma questão da prova, teria reproduzido integralmente o gabarito elaborado pela banca examinadora do concurso. Também foram apontadas suspeitas de beneficiamento de parentes de juízes do TJ. Dos 24 aprovados para o cargo, pelo menos sete possuem parentesco com atuais desembargadores do tribunal, segundo a OAB.

A Ordem relata que, na Ata de Reunião da Diretoria-Geral de Tecnologia da Informação do TJ-RJ, “consta que o sistema de fiscalização não foi utilizado nas provas escritas específicas, onde teria ocorrido o vazamento de gabarito, nem nas provas orais, mas apenas na prova preliminar”.

O CNJ deve ouvir 12 pessoas sobre o exame. Nesta terça-feira (3/4), devem depor os examinadores Ricardo Aziz Cretton — que afirma ter identificado a resposta que reproduzia integralmente o gabarito, Leonardo Pietro Antonelli e Paulo Targa.

Além dos examinadores e pessoas ligadas à organização e aplicação dos exames, prestarão depoimentos os desembargadores do TJ fluminense Ivan Cury, Raul Celso Lins e Silva, Walter Felippe D’Agostinho, Roberto Luis Felinto de Oliveira e Henrique Carlos de Andrade Figueira.

A OAB pede a suspensão do concurso e a aplicação de sanções cabíveis a todos os responsáveis ou coniventes, caso se confirme o vazamento de informações relativas às provas.

O conselheiro Alexandre de Moraes, relator do caso no CNJ, pediu o envio ao conselho de todas as provas escritas dos candidatos que prestaram o concurso, os respectivos gabaritos e as notas conferidas aos 24 aprovados. O pacote de provas foi encaminhado para a Polícia Federal, em Brasília, e deve ser periciado nos próximos dias. O relator ainda determinou à presidência do TJ-RJ que informe a existência de candidatos com grau de parentesco ou afinidade com membros titulares ou suplentes da banca. O presidente da banca examinadora deverá informar se houve alteração nas regras previstas no edital do concurso durante sua realização.

Alexandre de Moraes afirma que vai aguardar a chegada de todas as informações pedidas ao TJ-RJ para uma decisão sobre o pedido de suspensão dos efeitos do concurso, assim que houver uma detalhada instrução, com uma investigação mais ampla sobre as denúncias.

Revista Consultor Jurídico, 3 de abril de 2007, 18h05

Comentários de leitores

10 comentários

Muito interessante à coincidência: Há algum te...

Luiz P. Carlos (((ô''ô))) (Comerciante)

Muito interessante à coincidência: Há algum tempo fiz uma denuncia sobre o esquema do Pedágio Linha Amarela ao MPRJ, foi arquivada sorrateiramente, uma Promotora na época Dra. Dalva Pieri Nunes, confirma a legitimidade do arquivamento. O nome dessa promotora parece tanto com o nome da moça, Denise Pieri Nunes, supostamente envolvida nas denuncias da OAB-RJ; - Que coisa! Para que o comentário fique bem esclarecido, segue os dados: Denuncia No. CAODCNo. 118/02 OFICIO GCGMP No. 47/03 Ref: Proc.225/03 Expediente interno No. 24 Proc. MP. 39624/02ª http://conjur.estadao.com.br/static/comment/53696 http://odia.terra.com.br/rio/htm/geral_87563.asp http://oglobo.globo.com/rio/mat/2007/03/15/294938734.asp http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2007/03/375904.shtml

Magistrados na Justiça contra CPI da Varig - 28...

veritas (Outros)

Magistrados na Justiça contra CPI da Varig - 28/03/2007 14:06:00 A Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro entrou com mandado de segurança no Tribunal de Justiça-RJ contra a CPI da Assembléia Legislativa Estadual que apura a venda da Varig www.claudiohumberto.com.br/Colunasanteriores/tabid/297//tabid/297/articleType/ArchiveView/month/3/year/2007/day/28/Default.aspx/Default.aspx

Processo No 2007.004.00672 TJ/RJ Segunda...

veritas (Outros)

Processo No 2007.004.00672 TJ/RJ Segunda Instância - TJ Tipo : MANDADO DE SEGURANCA Órgão Julgador : TRIBUNAL PLENO E ORGAO ESPECIAL Relator : DES. GAMALIEL Q. DE SOUZA Impdo : PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Impdo : PRESIDENTE DA COMISSAO PARLAMENTAR DE INQUERITO - VARIG Impte : ASSOCIACAO DOS MAGISTRADOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO AMAERJ Origem : TRIBUNAL DE JUSTICA DO RIO DE JANEIRO Fase atual : CONCLUSAO AO RELATOR Número do Movimento : 6 Data da Remessa : 28/03/2007 Data da Devolucao : 29/03/2007 Data da Publicacao : 10/04/2007 Despacho : "RETIFIQUE-SE NA AUTUACAO EM RELACAO AOS IMPETRADOS."

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 11/04/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.