Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Imprensa na eleição

Jornais dão todo espaço para falar mal de Lula

Por 

O candidato Luiz Inácio Lula da Silva é o principal assunto na cobertura da eleição principal feita pelos cinco jornais de circulação nacional. De acordo com levantamento feito pelo site Observatório Brasileiro de Mídia entre 28 de agosto e 15 de setembro quase metade (41%) do material dedicado à eleição de presidente é ocupado a falar do candidato.

Outros 31% são ocupados pelo noticiário sobre o presidente Lula. O candidato-presidente só não tem mais motivos para aplaudir a imprensa porque tanto num caso como no outro 52% do espaço reservado a ele é ocupado com noticias consideradas negativas para seus interesses.

O Observatório faz levantamentos semanais do noticiário sobre os quatro principais candidatos à presidência (Lula, Alckmin, Helois Helena e Cristovam Buarque) mais o presidente da República, nos jornais O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, O Globo, Jornal do Brasil e Correio Braziliense. Além do levantamento quantitativo é feito também uma avaliação qualitativa do noticiário com um inventário de notícias negativas, positivas ou neutras para cada candidato.

O candidato tucano Geraldo Alckmin, que aparece em terceiro lugar ocupando 20% do espaço analisado, tem um tratamento bem mais equilibrado por parte dos jornalistas, com 39% de notícias a favor e 38% contra.

Os dois outros candidatos avaliados – Heloísa Helena e Cristovam Buarque – merecem bem menos atenção mas são tratados com muito mais boa vontade pela imprensa. HH mereceu 6% das notícias da campanha presidencial. Mais da metade (53%) das notícias que saíram eram a favor dela.

No caso de Cristovam, a medição só passou a ser feita a partir da segunda semana (9/9) e por isso ele ficou com apenas 2% do noticiário total. Mas o percentual de notícias positivas (43%) supera em muito o de negativas (25%).

Veja os números


Candidato

Espaço no noticiário

Noticias positivas

Notícias negativas

Lula

40,6%

28,4%

52,1%

Alckmin

20,5%

39,1%

38,4%

HH

5,9%

53,3%

19,5%

Cristovam

2,1%

42,8%

25,0%

Presidente

30,8%

24,2%

51,9%



 é diretor de redação da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 21 de setembro de 2006, 16h33

Comentários de leitores

80 comentários

Impressionante como há quem forceja alterar a e...

Haroldo (Professor Universitário)

Impressionante como há quem forceja alterar a evidência que ressai da tabela acima - golpe da mídia, golpe da direita pra garantir o Gerente Alcafmi, digo, Geraldo Alckimin. Ai, ai... gostaria de dormir e acordar em vinte anos, quando a mídia não poderá contaminar os livros de história e comentários como o de um rapaz que só ofende e ironiza sejam apenas uma referência para uma pesquisa sobre o conservadorismo de 2006.

que saudades da época que existia a INQUISIÇÃO,...

advogado curioso (Advogado Autônomo)

que saudades da época que existia a INQUISIÇÃO, só para fazer contra o boçal do Lula e sua quadrilha, alias todos companheiros e por sinal foram exumados (mortos já estavam) do governo atual e ainda alguns continuam no cargo, com o Lula beijando a mão em público (Jader Babalho) essa turma do Ali Baba (Lula) e os 400 ladrões(Dirceu, Genoino, irmão do Genoino ( o da cueca que não tem penis (pinto) tem no lugar Dolar,Delubio, etc. etc. etc)

Porque você não visita o site da Opus Dei (www....

Richard Smith (Consultor)

Porque você não visita o site da Opus Dei (www.opusdei.org.br) e dá uma "sapeada"? p.s. Eu não pertenço nem jamais pertenci ao Opus Dei, embora também não tenha nada contra. Trata-se de uma revolucionária (por incrível que pareça) que propugna que qualquer pessoa pode se tornar santa. De modo parecido com a também revolucionária abordagem de Santa Teresinha do Menino Jesus com a sua doutrina das "almas pequenas" (que a consagrou, recentemente como "Doutora da Igreja") Prega a Opus Dei a santificação de qualquer pessoa, no seu dia-a-dia, através da santificação dos seus deveres do cotidiano, principalmente o trabalho, feito da forma mais perfeita possível e oferecido cotidianamente à Deus. Seria isso algum radicalismo opressor de natureza burguesa? Constituiriam eles uma sociedade secreta que anula a vontade dos coitados que lá caem? Não creio. Nas pessoas do Opus Dei que conheci, vi muitas virtudes (embroa também uma certa soberba em alguns). Outro abraço.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 29/09/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.