Consultor Jurídico

Comentários de leitores

28 comentários

Já que os tempos nos quais vivemos são dos mais...

Richard Smith (Consultor)

Já que os tempos nos quais vivemos são dos mais tristes tentarei alegrá-los com uma singela anedota: Aquelle funcionário de alto escalão da República morreu, e Deus e o Diabo estão em briga porque nenhum dos dois quer ficar com ele. Sem acordo, pedem a mediadores uma solução, que decidem por uma proposta salomônica, final e obrigatória: que elle se alterne um mês no céu e outro no inferno. No primeiro mês elle fica no céu. Deus já não sabe o que fazer, quase fica louco. O indivíduo bagunça tudo. Atrapalha todos os elementos das adorações e do culto eterno. Dissolve o sistema de assessoria pessoal dos anjos da guarda, tenta formar uma coligação de maioria absoluta na base da compra de votos. Suborna arcanjos e querubins. Transfere um km. quadrado do céu para o inferno. Nomeia anjos provisórios aos milhares. Intervém nas comunicações dos fiéis aos santos. Troca as placas das portas de São Pedro. Envia um projeto de lei aos apóstolos para reformar os Dez Mandamentos e funda o PTC Partido dos Trabalhadores Celestiais, com estrela azul clarinho como símbolo. O céu vira um caos. Todos não o suportam mais e começam a organizar protestos e piquetes. Nosso Pai não vê a hora de chegar o fim do mês para mandá-lo para o Inferno. Quando elle finalmente se vai, o Pai Celestial respira aliviado. Mas passado o meio do mês começa a sofrer novamente, pensando que dentro de 15 dias terá que voltar a vê-lo. Todavia, no primeiro dia do mês seguinte nada acontece e o Energúmeno não volta. No quinto dia, ainda sem notícias, Deus estava rejubilante, mas começou a pensar que, tendo passado mais tempo no inferno, elle poderia querer passar dois meses no Céu Desesperado com a mera possibilidade de isso acontecer, Deus decide chamar o inferno por telefone: Ring...ring...ring...!!! Atende um diabinho e Deus pergunta: "Por favor, posso falar com o Demônio?" "Qual dos dois?", - responde o empregado - "O vermelho com chifres ou o filho da puta sem dedo? (pano rápido)

Por favor, queiram desculpar-me quanto às prime...

Richard Smith (Consultor)

Por favor, queiram desculpar-me quanto às primeiras palavras do comentário abaixo. Referiam-se a Tarso Genro, em mais umas de suas costumeiras mentiras PeTralhas, que foram omitidas e que porisso ficaram "soltas", sem sentido.

Depois das scrossantissimas palavras do nosso "...

Richard Smith (Consultor)

Depois das scrossantissimas palavras do nosso "gauleiter" gaúcho, as do REINALDO AZEVEDO (wwwreinaldoazevedo.com.br): "NÃO ERRAR MAIS. A HORA DA ENGENHARIA MORAL. Tudo indica, como já escrevi, que haverá segundo turno. Havendo, é grande a possibilidade de Geraldo Alckmin vencer. Quero celebrar duas coisas: o fato em si — já que não preciso mais me esgoelar para demonstrar que o PT quer que a democracia se dane — e o acerto daqueles que, como nós, insistíamos: “Bate nele, Geraldo; bate nele”, a exemplo do Ditão de Pinda (lembram-se dele?). Eu credito a mudança no quadro eleitoral a duas coisas: ao noticiário — que não teve como não ser anti-Lula ao ser absolutamente frio e objetivo (contra o petismo, a verdade já é um remédio eficientíssimo) — e ao horário eleitoral de quinta-feira, que bateu pesado, bateu para valer. E isso só aconteceu porque um novo escândalo, que atinge o cerne do Estado de Direito, veio à tona. É importante identificar os erros para ampliar as margens que delimitam o campo do acerto. Não vale, porque seria trapaça intelectual e histórica, afirmar que a campanha de Alckmin sempre esteve certa, que só se chegou até aqui por causa de uma estratégia rigorosamente pensada, que isso tudo estava nos planos. Convenhamos: ninguém tinha combinado nada com Jorge Lorenzetti, Osvaldo Bargas, Hamilton Lacerda, Expedito Veloso e afins... Movido pela prepotência e pelo espírito totalitário que o anima, o PT cometeu um erro brutal. Note-se que o PSDB só entrou firme com o assunto no horário eleitoral quando percebeu que o jornalismo comprou a pauta — uma parte do jornalismo ao menos; a outra não compra, mas vende a pauta... O primeiro programa do PSDB depois das prisões ainda foi de uma inacreditável timidez. Era absolutamente óbvia a necessidade de descontruir Lula. E fazê-lo por meio do discurso político ("É a política, estúpido!”), que tanta ojeriza provoca nos marqueteiros, que já têm um clichê estético e dele não gostam de abrir mão: o obreirismo. Funciona para candidatos que estão disparados na frente (veja-se o caso de Serra, que não precisa bater em ninguém ou fazer campanha negativa: para quê?), mas costuma ser ineficaz para quem está muito atrás. Essa besteira de que campanha negativa tende a afastar o eleitor é só um dos braços do ódio à política que passamos a cultivar no Brasil. É evidente que é preciso fazer propostas; é evidente que é preciso mostrar um passado de realizações (pegue-se o caso de Mercadante: teve de se agarrar a Lula porque nada tinha a oferecer; o presidente agora o quer longe...); é evidente que é preciso falar de futuro. Mas é evidente, também, que a eleição serve a um propósito educativo, de elucidação de diferenças. Alckmin nunca foi candidato apenas a gerente, mas a gestor dos principais instrumentos que as instituições oferecem para aperfeiçoar a democracia — a depender do presidente, ela regride. Estava claro que aquele obreirismo e aquele bom-mocismo tinham um alcance limitado. De resto, há que se supor que o desmonte sensacional da conspirata contou, aí, sim, com alguma forma de Inteligência, esta com “I” maiúsculo. Acho bom vocês se lembrarem disso. Naquela sonolência em que vinham as coisas, não se chegaria a lugar nenhum. O avanço era tão lento, que só se vislumbraria um segundo turno na véspera do Natal... E os tucanos ainda acabariam vítimas de escroques. Por que isso? Porque não pretendo, no caso de segundo turno, voltar a me ler afirmando essa mesma coisa, reafirmando o que disse dezenas de vezes ao longo da campanha. Este sufoco todo não era, na verdade, necessário. Se havia, e há, uma blindagem de Lula nas camadas de menor renda, isso não implica que elas sejam destituídas de moral, de vergonha na cara, de bom senso. O senso comum, não importa a conta bancária do sujeito, é o de que não se deve roubar. Não me venham, pois, com predestinações e justificativas de estratégias mirabolantes. Não sei se Alckmin passa mesmo para o segundo turno e se, passando, vence a eleição. Torço porque é o razoável a fazer contra o demônio totalitário. O que sei é que não se pode abrir mão de fazer política. Foi preciso um tsunami para que a campanha encontrasse o tom adequado. “Ah, antes, era impossível porque Lula estava blindado”. Bobagem. Se a safadeza não era lembrada pela oposição, esperava-se que o povo o fizesse por conta própria? “Isso é passado”, pode-se dizer. Também é futuro. Tanto um futuro imediato, com a possibilidade de segundo turno, quanto um mais distante: é preciso dar nome a certos métodos que estão em prática para que possam ser banidos. O PT cometeu um erro monumental. Hora de seu adversário avançar. Que não se volte a falar em burocratês. Chega de falar tanto em obra. Precisamos mais é de uma nova engenharia moral." Precisa de mais?

Seja bem vindo e à sua disposição, como já menc...

Richard Smith (Consultor)

Seja bem vindo e à sua disposição, como já mencionado. Um abraço. richardsmith@ig.com.br

Encontrei mais uma boa lista de discussão!!!!!!...

Rodrigo (Advogado Assalariado - Trabalhista)

Encontrei mais uma boa lista de discussão!!!!!! Cheguei!!!!!!!!!! Avis finas...

Meu caro Lawyer: Com todo o respeito pela su...

Richard Smith (Consultor)

Meu caro Lawyer: Com todo o respeito pela sua madura e cosnciente opinião, esclareço que sempre defendi a integridade dos partidos e o voto ideológico, razão pela qual achava o chamado "voto útil", um absurdo. Todavia, na gravidade da hora presente, acho que todo e qualquer voto no candidato mais próximo do Indigno contribuiria melhor para a condução do pleito ao segundo turno. Com um abraço. p.s. Se eu fosse o Alckmin e considerando a exist~encia de reservas da ordem de US$ 70 bilhões, eu desde já garantiria a vaga de Ministro da Educação ao Cristovam Buarque, com "carta branca" e uma verba suplementar de uns US$ 3 bilhões para a tal "revolução na educação". É a única saída para o cheque (ainda não é cheque-mate) em que País se encontra! Ninguém pensa no futuro neste País!

Concordo, Dr. Richard Smith, se analisarmos bem...

Issami (Advogado da União)

Concordo, Dr. Richard Smith, se analisarmos bem os candidatos, só dois inspiram confiança pessoal: Buarque e Alckmin. Por isso vou votar no primeiro, agora, torcendo para a realização de um segundo turno, para então, pela primeira vez na vida, votar no PSDB (votei no PT nas últimas 4 eleições e NUNCA MAIS!!!). Se o povo brasileiro fosse alfabetizado e minimamente politizado, o 2o. turno seria entre Cristovam e Alckmin.

Fazer pesquisa para um grupo de meia dúzia de a...

Gigio (Procurador do Estado)

Fazer pesquisa para um grupo de meia dúzia de advogados que fazem da banca um balcão não merece credibilidade. Grupo este que foram eleitos, em estranha pesquisa Os Mais Admidados do Brasil. Um golpe que visa unicamente $$$$$ para a Conjur. Os Advogados brasileiros bem sabem quem é que subirá a rampa do Palácio.

Meu caro Fábio: Por mais que o Sr. Fernando ...

Richard Smith (Consultor)

Meu caro Fábio: Por mais que o Sr. Fernando Henrique Cardoso tenha sido um f.d.p. em vários aspectos (bancos principalmente), achar vantagens neste (des)governo "que aí está" vai uma longa distância. a uma, porque o governo Fernando Henrique teve diversos aspectos muito bons e outros apenas bons, ao lado de alguns péssimos. Dos primeiros, ninguém fala nada. Nem o PSDB, esse partido de "bunda-moles". O amigo por favor não esqueça, da torcida néscia do Lulla e do Brizola para que o "plano Real " desse errado. As suas críticas desonestas e infundadas (só para variar, né?). a duas: porque saíu reportagem no "Estado" há poucos dias atrás informando que nos TRÊS anos do "governo" Lulla as cinco maiores instituições financeiras tiveram um LUCRO 26% MAIOR do que nos OITO anos do governo Fernando Henrique, que não foi nenhuma "madrasta" para eles, como você mesmo observou; A D. Heloísa se por desventura eleita, apenas repetiria, e pior até, as atrocidades do Indigno, fosse pelo seu radicalismo, como pela inexperiência e pela falta de quadros adequados. Ela é o Lulla de dez anos atrás com aquela cara de quem usa cueca (ele, não ela) dois núemros menor. Aquela cara (falsa, como se viu) de sofrida e permanente indignação com a corrupção e a situação do povo! A quatro, o candidato Geraldo Alckmin foi escalado PARA PERDER. O mesmo caso do Bill Clinton. O partido Democrata, na época, achava que o Bush-pai era INVENCIVEL, razão pela qual botou para apanhar, o matuto do Arkansas. Geraldo Alckmin fez força dentro do partido para ser candidato e os caciques (Serra, Aécio, Jereissati, etc.) aparentemente se "dobraram" a ele, para adiante deixá-lo "na chuva e no sol" - quando não fazendo campanha para o Nefando (Aécio). Contavam com isso reservar forças para atrapalhar um segundo mandato do Nefasto! Eita gentinha, não? Agora, você analise a formação de todos os candidatos, inclusive moral e verá que existem apenas dois: Alckmin e Buarque. E é um absurdo que um homem que, com a sua candidatura puramente "balão-de-ensaio" mas extremamente relevante par o País nesse momento, tenha apenas 1% de intenções! Fala sério, amigo Fábio! Um abraço para você.

Não voto nem no Lula e nem no Alckinn, mas na H...

Fábio (Advogado Autônomo)

Não voto nem no Lula e nem no Alckinn, mas na Heloísa. Agora, acho sinceramente que o país está melhor com Lula do que com os 8 (oito) anos do PSDB. Veja, muita gente esquece que a tal da "CAPITALIZAÇÃO MENSAL DE JUROS" nos contratos bancários foi aprovado pelo Governo do PSDB". Esquecem por exemplo que o Governo do PSDB suprimiu inclusive o direito dos advogados de receberem honorários contra a Fazenda Pública, reduziu os juros de mora nas Ações contra a Fazenda Pública para 0,5% ao mês. Esqueceram do episódio da Compra de Votos para aprovar a reeleição.

Queridos amigos: Acabei de receber, como cóp...

Richard Smith (Consultor)

Queridos amigos: Acabei de receber, como cópia, o e-mail que tenho a satisfação de reproduzir abaixo (de uma advogada), um suco: PRESIDENTE, VÁ SE DANAR! por Adriana Vandoni Curvo Não sei se é desespero ou ignorância. Pode ser pelo convívio com as más companhias, mas eu, com todo o respeito que a "Instituição" Presidente da República merece, digo ao senhor Luis Inácio que vá se danar. Quem é ele para dizer, pela segunda vez, que tem mais moral e ética "que qualquer um aqui neste país"? Tomou algumas doses a mais do que o habitual, presidente? Esta semana eu conheci Seu Genésio, funcionário de um órgão público que tem infinitamente mais moral que o senhor, Luis Inácio. Assim como o senhor, Seu Genésio é de origem humilde, só estudou o primeiro grau e sua esposa foi babá. Uma biografia muito parecida com a sua, com uma diferença, a integridade. Ao terminar um trabalho que lhe encomendei, perguntei a ele quanto eu o devia. Ele olhou nos meus olhos e disse: - Olha doutora, esse é o meu trabalho. Eu ganho para fazer isso. Se eu cobrar alguma coisa da senhora eu vou estar subornando. Vou sentir como se estivesse recebendo o mensalão. Está vendo senhor presidente, isso é integridade, moral, ética, princípios coesos. Não admito que o senhor desmereça o povo humilde e trabalhador com seu discurso ébrio. Seu Genésio, com a mesma dificuldade da maioria do povo brasileiro, criou seus filhos. E aposto que ele acharia estranho se um dos quatro passassem a ostentar um patrimônio exorbitante, porque apesar tê-los feito estudar, ele tem consciência das dificuldades de se vencer. No entanto, Lula, seu filho recebeu mais de US$ 2.000.000,00 (dois milhões de dólares) de uma empresa de telefonia, a Telemar. E isso, apenas por ser seu filho, presidente! Apenas por isso e o senhor achou normal. Não é corrupção passiva? Isso é corrupção Luis Inácio! Não é ético nem moral! É imoral! E o senhor acha isso normal? Presidente, sempre procurei criar os meus filhos dentro dos mesmos princípios éticos e morais com que fui criada. Sempre procurei passar para eles o sentido de cidadania e de respeito aos outros. Não posso admitir que o senhor, que deveria ser o exemplo de tudo isso por ser o representante máximo do Brasil, venha deturpar a educação que dou a eles. Como posso olhar nos olhos dos meus filhos e garantir que o trabalho compensa, que a vida íntegra é o caminho certo, cobrar o respeito às instituições, quando o Presidente da República está se embriagando da corrupção do seu governo e acha isso normal, ético e moral? Desafio o senhor a provar que tem mais moral e ética que eu! Quem sabe "vossa excelência" tenha perdido a noção do que seja ética e moralidade ao conviver com indivíduos inescrupulosos, como o gangster José Dirceu (seu ex-capitão), e outros companheiros de partido, não menos gangsteres, como Delúbio, Sílvio Pereira, Genoíno, entre outros. Lula, eu acredito que o senhor não saiba nem o que seja honestidade, uma prova disso foi o episódio da carteira achada no aeroporto de Brasília. Alguém se lembra? Era início de 2004, Waldomiro Diniz estava em todas as manchetes de jornal quando Francisco Basílio Cavalcante, um faxineiro do aeroporto de Brasília, encontrou uma carteira contendo US$ 10 mil e devolveu ao dono, um turista suíço. Basílio foi recebido por esse senhor aí, que se tornou presidente da república. Na ocasião, Lula disse em rede nacional, que se alguém achasse uma carteira com dinheiro e ficasse com ela, não seria ato de desonestidade, afinal de contas, o dinheiro não tinha dono. Essa é a máxima de Lula: achado não é roubado. O turista suíço quis recompensar o Seu Basílio lhe pagando uma dívida de energia elétrica de míseros 28 reais, mas as regras da Infraero, onde ele trabalha, não permitem que funcionários recebam presentes. E olha que a recompensa não chegava nem perto do valor da Land Rover que seu amigo ganhou de um outro "amigo". Basílio e Genésio são a cara do povo brasileiro. A cara que Lula tentou forjar que era possuidor, mas não é. Na verdade Lula tinha essa máscara, mas ela caiu. Não podemos suportar ver essa farsa de homem tripudiar em cima na pureza do nosso povo. Lula não é a cara do brasileiro honesto, trabalhador e sofrido que representa a maioria. Um homem que para levar vantagem aceita se aliar a qualquer um e é benevolente com os que cometem crimes para benefício dele ou de seu grupo e ainda acha tudo normal! Tenha paciência! "Fernandinho beira-mar", guardando as devidas proporções, também acha seus crimes normais. Desculpe-me, 'presidente', mas suas lágrimas apenas maculam a honestidade e integridade do povo brasileiro, um povo sofrido que vem sendo enganado, espoliado, achacado e roubado há anos. E é por esse povo que eu me permito dizer: Presidente, vá se danar! Adriana Vandoni Curvo E-mail: avandoni@uol.com.br

Alguém pode me dizer quem foi que incutiu na gr...

Eduardo (Advogado Assalariado - Administrativa)

Alguém pode me dizer quem foi que incutiu na grande mídia paulista e nas tais de "classe média" e "classe alta" paulistas que eles são os "formadores de opinião"? Menos, amigos, menos... Um pouco mais de temperança e menos pretensão, por favor... A opinião pública, e não a publicada, quem forma é a população brasileira, na sua maioria, que inclui todos os extratos sociais e níveis de educação. Chega a ser ridícula esta tentativa desbragada de alguns de se colocarem como o supra sumo do conhecimento político nacional. Estamos no século XXI e certas pessoas ainda não se deram conta que o Brasil é muito maior e mais complexo que Rio e São Paulo. Me faz lembrar o conceito que o Império Britânico tinha de suas colônias, no Oriente Médio, e suas políticas que descambaram no que se vê hoje naquela região: "nós somos a civilização, eles são bárbaros. Nós sabemos o que é melhor para eles, e não resta nada a eles senão obedecerem a nós, seus amos". Tenha santa paciência!! Aliás, quem disse que classe, de advogados, da qual faço parte, é erudita, de regra(e por isso o resultado da enquete), cai no mesmo raciocínio simplista e preconceituoso de quem fala que nossa classe na sua maioria é desonesta. Profissionais, cultos e incultos existem em todas as profissões. E erudição nunca foi significado de consciência política.

Eu é que fico admirado. Acho que muitas das ...

Haroldo (Professor Universitário)

Eu é que fico admirado. Acho que muitas das pessoas no sul do país estão inebriadas por este monstro midiático, que empurra o PSDB, o velho PSDB, como a melhor o opção do país, e esconde o que acontece. Impressionante como o sigilo bancário daquele caseiro foi quebrado, descobriram o suborno, mas o delito do Ministro de Estado é que foi reprochado pelo conluio da mídia, porque tratava-se de Palocci, homem do Lula. Interessante é que se falou de "escândalo" do sigilo bancário, e não do suborno da turma do PSDB. Impressionante como descoriram que houve oferecimento de um dossiê em desfavor do preferido de vocês, paulistas, as denúncias são de corar, mas... o delito de quem ofereceu o material é que foi reprochado pelo conluio da mídia, porque tratava-se da assessoria da campanha de Lula. Interessante é que já se fala de "escândalo" do dossiê contra "opositores", e não denúncias das contra o tucanato. Não há uma linha ou reportagem televisiva falando sobre o dossiê. São casos iguais onde há dois pesos e duas medidas. Impressionante como o carequinha em quem os paulistas votarão já flexibilizou a palavra mil vezes, inclusive prometendo não abandonar seu mandato para tentar ser presidente, mas inexistiu, para a mídia ou para seus eleitores, falta de hombridade, porque trata-se de algoz do Lula. Engraçado... esse tipo de golpe da mídia e do PSDB é o mesmo da Lunus, aquele da Roseana Sarney, não? Com a diferença de que o povo quer o Lula de novo, e não os grandes grupos, que já fecharam com o atraso, a despeito de, sob qualquer aspecto, os indicadores do último governo serem melhores que os governos dos "opositores". Esse povo do sul não sabe que aqui no Ceará o Tasso Jereissati foi encontrado pela Polícia com milhões para compra de voto, mas se safou numa operação fantástica, na semana da última eleição para governador. Esse povo do sul não sabe que o Tasso Jeireissati comprou todas as revistas Veja da cidade, antes de serem distribuídas, para que não lessem, os Fortalezenses, como furtou o BNB. Gente muito boa, como a turma da advocacia do sul do país, está caindo nessa de jurar ser Lula o corrupto, a imoralidade, a desfaçatez. Mas a verdade é que toda a podridão que acaba no governo petista vai continuar acabando porque nunca houve tanta diligência das intituições. Será que ninguém nota que foi a Polícia Federal, atrelada ao executivo, que prendeu o assessor de campanha? Lula sabe que a influência da direita é maior que a do executivo, mas, civicamente, apenas se preocupa com o aval do povo, de acordo com um princípio segundo o qual todo poder emana de quem elegerá o presidente mais influente do 3.º mundo no primeiro turno. Será a mesma história: Lula e mídia se respeitando, após a vitória daquele nas urnas, para que ambos continuem a oferecer o que tem de melhor. Lula, oferecendo o que já viu nas estatísticas; a mídia, distribuindo malandragens e iludindo todos, até os que, muitas vezes, se acham mais lidos e cultos - nossos amigos sulistas.

São normais os os resultados da enquete citada,...

Sadi Cordeiro de Oliveira (Advogado Autônomo)

São normais os os resultados da enquete citada, pois "os grandes advogados" "dos grandes escritórios" representam nada mais nada menos que os "grandes" do país, ou seja a elite brasileira, que naturalmente não tem interesse na reeleição do presidente. Lula.

O Conjur deveria fazer esta enquete no site, po...

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

O Conjur deveria fazer esta enquete no site, pois não é ilegal. A postura morna dos advogados demonstra, para mim, uma certa covardia. O medo de ser alvo de retaliações, tão próprias do PT e seus militantes, aliás, característica dos que são movidos por um espírito autoritário e não admitem oposição, crítica, censura, nada, e ao menos aceno de divergência partem para o ataque, esquecendo-se do debate sobre as idéias. Não nos esqueçamos de que nunca os advogados e suas prerrogativas foram tão vulnerados e vilipendiados quanto nos últimos quatro anos. Escritórios foram invadidos, advogados presos, acusados de cumplicidade quando na verdade apenas cumpriam seu papel de aconselhamento jurídico. Só isso explica o resultado da enquete levada a efeito pelo Conjur. Mas o que importa é que a classe, cuja erudição não pode ser questionada (apesar de uma minoria inculta), que é formadora de opinião, não reelegeria o Presidente Lula, e isso é um dado assaz importante. Por estas razões, exorto o Conjur a fazer uma enquete, no site, conforme permite a Resolução 22.143 do TSE, para saber qual, entre os presidenciáveis, seria eleito pelos advogados do Brasil. (a) Sérgio Niemeyer sergioniemeyer@adv.oabsp.org.br

Caro(a) Misty, Esse receio foi o que conteve...

João Bosco Ferrara (Outros)

Caro(a) Misty, Esse receio foi o que conteve a oposição no ano passado fazendo com que ela não pedisse a cassação do mandato do Presidente Lula. Eu votaria favoravelmente a qualquer cassação, pois por muito menos, muito menos mesmo, do que tudo isso que a Nação assiste patética e contemplativamente desde o escândalo do mensalão, Getúlio suicidou-se e Collor de Mello foi cassado. Lembro que no primeiro caso o envolvido num escândalo de corrupção foi o segurança pessoal de Getúlio. Agora, que diferença faz se for um segurança ou um secretário ou um ministro de estado? Bem, parece-me um pouco pior se for uma das duas últimas. Isso não significa atirar pedras no PT desmotivadamente. Mas convenhamos, todos os líderes desse partido envolveram-se em algum esquema de corrupção para favorecer e beneficiar o Presidente Lula de algum modo. Em direito há algumas regras que estabelecem conseqüências quando ocorrem fatos que a pessoa soubesse ou devesse saber. É a sanção típica pela omissão ou pela negligência. Em todos os escândalos de corrupção recentes (desde o mensalão) o Presidente Lula se disse insciente dos fatos. Se isso não é negligência ou omissão, então o que é? Bem admitamos que não seja. Então, somos forçados a concluir que o Presidente Lula, a par de não saber escolher as pessoas para assessorá-lo, não sabe controlá-las. O mínimo que ele teria de fazer, por imperativo ético, não era só pedir desculpas aos que votaram nele. Era, além de pedir desculpas, renunciar ao seu mandato em prol da ética, dando o exemplo. Agora, essa conversinha de que não sabia nada e que vai mandar apurar e punir quem tiver quer que tenha cometido crime, isso não dá para engolir. Em qualquer outro país do mundo o Presidente teria caído. Menos por aqui. Isso se deve ao fato de que os políticos são extraídos da população. Sua carta axiológica é a mesma em que comunga o povo. De modo que a aprovação do Presidente Lula apenas prova, para mim, algo que defendo há tempos: a crise brasileira, muito mais acentuada agora que outrora, embora já estivesse presente antes, é ética, é uma crise moral que afeta toda a Nação. O povo brasileiro, todos nós, temos uma moral frouxa e essa lassidão nos conduz a aceitar tudo contemplativamente, sem estardalhaço. Mas eu resolvi mudar. Não aceito mais, apesar das retaliações que posso sofrer, bem sei disso, pois as pessoas brasileiras são também muito vingativas (conseqüência da fraca moralidade que orienta suas ações), e adoraria ver o Presidente cassado. Se isso gerar uma guerra civil, serei o primeiro a defender a ética e a moral, os princípios que nunca passaram do verbo ao ato quando encarnados no povo brasileiro. Talvez seja isso mesmo que estejamos precisando: uma guerra civil. Se nela morrerem cinco milhões de pessoas, decerto ficaremos em estado de torpor, mas francamente, não experimentaremos nenhuma alteração no trânsito, ou conseguiremos perceber a diminuição da população por algum órgão sensorial, pois ela não é sensível a menos da notícia. Mas será suficiente não só para conduzir-nos a uma reflexão, mas para construirmos, com nossas próprias mãos, com participação direta de cada um, a democracia brasileira, que hoje não passa de pura ficção, um conceito importado e adaptado às nossas mazelas para satisfazer a imoralidade brasileira.

Fico admirado quando vejo as pesquisas informar...

Ivan von Wredenn Dias (Advogado Autônomo - Civil)

Fico admirado quando vejo as pesquisas informarem que o Lula será hoje eleito em primeiro turno. Por todo canto que passo procuro sentir o motorista, o ascensorista, florista etc. e até hoje não encontrei um que vote no Lula. Será que a pesquisa é feita na cidade onde ele nasceu? Acho que vamos ficar surpresos Lembram da decisão do armamento, lembram? A pesquisa dava contra. Essa pesquisa acima confirma minhas apurações. Que Deus nos ajude.

Questões subjetivas. "Seja de que lado vc fo...

Norméria Santos (Consultor)

Questões subjetivas. "Seja de que lado vc for PSDB,PFL, PMDB, PSOL...Tanto faz. Me responda: 1) APENAS com estes fatos apresentados pela midia ate hoje, você concordaria com uma cassação do mandato do presidente LULA pela justiça eleitoral caso, sendo ele eleito por maioria no 1º Turno? 2) Isto não te dá medo, caso ocorra, de entrarmos numa guerra civil? 3)Já analisou quem esta na ponta do outro lado da corrente? 4) Valerá a pena ver o país em guerra por conta destas pessoas (Alckimin, ACM, Bonhaussen, Tarso Jereissati, Heloisa Helena...)?

Matéria extraída do Blog do Reinaldo Azevedo: ...

Luiz Augusto Mendes (Delegado de Polícia Estadual)

Matéria extraída do Blog do Reinaldo Azevedo: O sistema de vassalagem do petismo No PT, vigora o regime da vassalagem. Os Senhores jamais são atingidos. Antes, alguns vassalos são jogados às cobras, mesmo que sejam, também eles, cavaleiros de nobre estirpe na hierarquia petista. Vejam lá: Ricardo Berzoini – Era coordenador da campanha de Lula. Caiu. E só caiu porque não tem como se explicar. Ao deixar o Palácio do Planalto, disse que as denúncias contra o PT são “graves” — Não diga. Mas quer que se investigue José Serra. Ele e Fernando Rodrigues. Além de presidente do PT, ele era o coordenador nacional da campanha de Lula. Ganhou a presidência do partido para instaurar nele uma nova moralidade, depois que a trinca José Genoino, Silvio Pereira e Delúbio Soares caiu. Ela está aí. Hamilton Lacerda – coordenador da campanha de Mercadante. O candidato do PT ao governo de São Paulo negava qualquer interesse no assunto. Agora se sabe que seu homem forte acompanhou a entrevista dos Vedoin à IstoÉ. Leiam o que já escrevi aqui. A turma de candidato petista só entrou nessa história porque, originalmente, era ela quem estava sendo chantageada. E aí é chantagem mesmo: os bandidos queriam dinheiro para não dizer o que sabiam. Lacerda se vai. Mercadante acusa quebra de relação de confiança. Freud Godoy – Ele se diz inocente, claro. Mas é exonerado. É o Gregório Fortunato da turma. Homem da estrita confiança de Lula. É acusado pelos petistas que foram pegos com a mão na massa — ou na grana. É um servo bem lá da base. Protege o Senhor dos senhores. Osvaldo Bargas – Outro de absoluta confiança de Lula, desde o tempo de sindicato. Casado com a secretária particular do chefe. Assume a sua parte no imbróglio. Também protege o Senhor. Jorge Lorenzetti – É um dos homens mais poderosos do lulo-petismo-cutismo. Capa preta da CUT, é o seu grande arrecadador. Pode, em minutos, mover uma máquina contra adversários que conta com uma rede espalhada em todo o país. Formalmente, estava subordinado, na campanha, a Berzoini. Mas tem vôo próprio. Pode furar a hierarquia para falar com o poderoso chefão a hora que quiser. Expedito Afonso Veloso - Diretor do Banco do Brasil. É um tipo comum no petismo. Pertence a certa elite do funcionalismo público ou das estatais que ajuda a fabricar dossiês. Essa gente está em todos os lugares: Executivo, Legislativo, Judiciário, fundos de pensão. Sai, como todos, admitindo a sua culpa, mas se dizendo inocente. Quando Lula cair, esse pessoal vai dar trabalho.

A maioria dos que sabem ler e escrever e comem ...

Richard Smith (Consultor)

A maioria dos que sabem ler e escrever e comem no prato, com garfo e faca não irá votar no Indigno. Este delinqüente, travestido de Presidente da República não passará. Tenho a inelutável certeza de que ainda existem homens dignos, em quantidade suficiente, neste País.

Comentar

Comentários encerrados em 28/09/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.