Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Dossiê sanguessuga

Serra faz ofensiva jurídica contra dossiê e informações

Por 

As assessorias jurídicas das campanhas do PSDB, PT e PMDB preparam suas armas para a guerra judicial em torno da tentativa de venda do dossiê e do próprio dossiê que busca comprometer José Serra com a máfia dos sanguessugas. O PSDB saiu na frente e conseguiu na Justiça Eleitoral de São Paulo suspender a propaganda do PMDB que mostra reportagem da revista IstoÉ.

A contraofensiva do PSDB inclui um pedido à Justiça para que o PT seja investigado para apontar de onde veio o dinheiro para a compra do vídeo e das imagens que comprovariam o envolvimento de Serra na compra superfaturada de ambulâncias.

José Serra também anunciou que vai ajuizar notícia-crime contra Luiz Antônio Vedoin, dono da Planam, por tê-lo acusado de fazer parte da máfia dos Sanguessugas enquanto era ministro da Saúde, no governo de Fernando Henrique Cardoso. A acusação foi feita em entrevista à semanal Istoé.

Embora tudo indique que a compra dos documentos comprometedores seja uma iniciativa de gente ligada ao PT, foi Orestes Quércia, o candidato do PMDB que concorre com Serra ao governo de São Paulo, quem primeiro tratou de explorar a reportagem da IstoÉ na propaganda eleitoral. Quércia está em terceiro lugar nas intenções de voto e, tenta explorar as acusações contra Serra para chegar ao segundo lugar.

O tucano já conseguiu uma vitória contra o PMDB, que teve de suspender a propaganda em que diz: “No tempo de Serra e Fernando Henrique, a corrupção começou a sugar a saúde dos brasileiros" e que o esquema de corrupção atuava com o aval de Serra. O Tribunal Regional Eleitoral paulista concedeu liminar ao PSDB para impedir a veiculação da propaganda.

Ricardo Vita Porto, advogado de Quércia, esclarece, no entanto, que “a Justiça Eleitoral não está proibindo que os partidos repercutam os fatos noticiados pela revista IstoÉ”. O que aconteceu, segundo Porto, é que o TRE entendeu que a inserção, que foi ao ar na sexta-feira (15/9), não identificou “suficientemente” a publicidade como sendo do PMDB.

No campo político, o PT desmentiu sua vinculação com o dossiê e com a operação de compra e venda de informações. No campo da Justiça Eleitoral, o advogado do partido, Hélio Freitas Silveira, diz que vai esperar os ataques e acusações contra o PT e seus candidatos e só então vai agir. “Vamos aguardar os acontecimentos”.

Visite o blog Consultor Jurídico nas Eleições 2006.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 17 de setembro de 2006, 17h14

Comentários de leitores

2 comentários

É espantosa a desfaçatez com que a grande mídia...

Sérgio (Contabilista)

É espantosa a desfaçatez com que a grande mídia protege os interesses do candidato do PSDB. Apesar de todos os estragos que fizeram no país, não se ouve uma única análise sensata da gestão dos tucanos, em contraposição à gestão do presidente Lula. Parece que a corrupção foi inventado pelo Lula, quando se sabe que aqui em São Paulo, por ação ou omissão dos governos estaduais do PSDB, o povo paulista foi prejudicado em mais de 2,8 bilhões de reais, sem ouvir uma única crítica ao comportamento tucano. Sabe-se que em 31/12/94 foi implantado no Banespa o RAET-Regime Administrativo Especial Temporário, ocasião em que todos os administradores paulistas do Banespa foram afastados e substituídos por interventores do Bacen. Em 1999, às vésperas e para facilitar a privatização, a Receita Federal de fhc multou o Banespa em mais de 2,8 bilhões de reais. Mesmo tendo sido a União que deu causa à multa, nenhuma ação foi realizada pelos governos tucanos de São Paulo para reverter a situação, tendo sido desvalorizado o patrimônio do Banespa naquela importância e sem que a grande imprensa, favorável à privatização,tenha feito qualquer crítica ao comportamento tucano. Vejam a diferença de enfoque com o caso da Petrobrás na Bolívia. Vejam as manipulações feitas em conluio com Justiça para efetuar a privatização do Banespa, suspendendo-se na calada da noite liminares que sustavam a privatização dada às inúmeras irregularidades verificadas no processo, sem qualquer crítica da grande imprensa. É por isso que o povo hoje já não confia na grande imprensa, preferindo julgar por conta própria e com base na sua experiência diária os líderes que efetivamente representam os interesses populares.

Já falei o quanto estou admirado? Acho que m...

Haroldo (Professor Universitário)

Já falei o quanto estou admirado? Acho que muitas das pessoas no sul do país estão inebriadas por este monstro midiático, que empurra o PSDB, o velho PSDB, como a melhor o opção do país, e esconde o que acontece. Impressionante como o sigilo bancário daquele caseiro foi quebrado, descobriram o suborno, mas o delito do Ministro de Estado é que foi reprochado pelo conluio da mídia, porque tratava-se de Palocci, homem do Lula. Interessante é que se falou de "escândalo" do sigilo bancário, e não do suborno da turma do PSDB. Impressionante como descoriram que houve oferecimento de um dossiê em desfavor do preferido de vocês, paulistas, as denúncias são de corar, mas... o delito de quem ofereceu o material é que foi reprochado pelo conluio da mídia, porque tratava-se da assessoria da campanha de Lula. Interessante é que já se fala de "escândalo" do dossiê contra "opositores", e não denúncias das contra o tucanato. Não há uma linha ou reportagem televisiva falando sobre o dossiê. São casos iguais onde há dois pesos e duas medidas. É de se ressalatar também a inexistência de figura delitiva para a venda de dossiê, se o dossiê for verdadeiro. É de se ressaltar também que não houve benefício eleitoral para Lula eis que nem se fala no teor do material. É de se ressaltar também que quem investiga é a polícia, e não a Justiça, mas o PSDB (e o seu empregado PFL) requer essa aberração, como jus sperniandi, sabendo que Ministros de direita podem ajudar. Impressionante como o carequinha em quem os paulistas votarão já flexibilizou a palavra mil vezes, inclusive prometendo não abandonar seu mandato para tentar ser presidente, mas inexistiu, para a mídia ou para seus eleitores, falta de hombridade, porque trata-se de algoz do Lula. Engraçado... esse tipo de golpe da mídia e do PSDB é o mesmo da Lunus, aquele da Roseana Sarney, não? Com a diferença de que o povo quer o Lula de novo, e não os grandes grupos, que já fecharam com o atraso, a despeito de, sob qualquer aspecto, os indicadores do último governo serem melhores que os governos dos "opositores". Esse povo do sul não sabe que aqui no Ceará o Tasso Jereissati foi encontrado pela Polícia com milhões para compra de voto, mas se safou numa operação fantástica, na semana da última eleição para governador. Esse povo do sul não sabe que o Tasso Jeireissati comprou todas as revistas Veja da cidade, antes de serem distribuídas, para que não lessem, os Fortalezenses, como furtou o BNB. Gente muito boa, como a turma da advocacia do sul do país, está caindo nessa de jurar ser Lula o corrupto, a imoralidade, a desfaçatez. Mas a verdade é que toda a podridão que acaba no governo petista vai continuar acabando porque nunca houve tanta diligência das intituições. Será que ninguém nota que foi a Polícia Federal, atrelada ao executivo, que prendeu o assessor de campanha? Lula sabe que a influência da direita é maior que a do executivo, mas, civicamente, apenas se preocupa com o aval do povo, de acordo com um princípio segundo o qual todo poder emana de quem elegerá o presidente mais influente do 3.º mundo no primeiro turno. Será a mesma história: Lula e mídia se respeitando, após a vitória daquele nas urnas, para que ambos continuem a oferecer o que tem de melhor. Lula, oferecendo o que já viu nas estatísticas; a mídia, distribuindo malandragens e iludindo todos, até os que, muitas vezes, se acham mais lidos e cultos - nossos amigos sulistas.

Comentários encerrados em 25/09/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.