Consultor Jurídico

Comentários de leitores

11 comentários

Direitos deles de defesa e direito nosso "socie...

Helena Fausta (Bacharel - Civil)

Direitos deles de defesa e direito nosso "sociedade" de morrer quando eles acham que deve, direitos existem para serem exercidos...e executados...

se o estado ficar fazendo sua repressao ao crim...

efrain (Bacharel)

se o estado ficar fazendo sua repressao ao crime organizado, tudo dentro da legalidade " tudocertinho e com calma" essa onda de violencia nunca ira acabar. Nossa estrutura esta falida, nao temos como combater essas ondas q vem assolando nosso pais com simples tiro de 38itao.... pois o PCC, segundo Marcola, agem sempre em conjunto e com a certeza de que vao fazer, agem sem piedade... fazem e ponto final. Nós, ou melhor, o governo agem com muita piedade dos criminosos, não faz com eles tenham medo dos poderes da repressao, mas nos sim, nossos policiais, andam com medo, coagidos pelos pelo PCC...assim q vcs querem q ficamos...tudo dentro da legalidade? c assim ficar, isse pais nao tem mais jeito. Se não agirmos logo, nao tentarmos mudar essa onda de crimes de vem acontecendo, tanto dentro dos palacios,como nos morros....nos logo, logo estaremos f.....!!!

Presenciei um absurdo ontém, 14/09/2006, que es...

Wagner Brandão (Advogado Autônomo - Civil)

Presenciei um absurdo ontém, 14/09/2006, que esta me causando indignação, pois, o nosso direito CONSTITUCIONAL, é esbulhado de forma descarada e a OAB fica de braços cruzados. Um advogado, acusado de infiltrar 6 aparelhos de telefonia celular, em uma prisão em Máua - SP. esta preso no centro de detenção provisória na cidade de Santo André juntamente com presos comuns, quando deveria estar recolhido em prisão especial conforme determina a Constituição Federal, ou na falta desta deveria estar preso em Regime Domiciliar. Será que se fosse um Magistrado ou Promotor ele estaria preso em uma cadeia comum ? Mais uma vez torno a frisar que a minha indignação esta no fato de uma prerrogativa tão importante estar sendo esbulhada de mais um profissional da aréa do direito, fica aqui os meus protestos.

Não há ingenuidade, caro amigo Comentarista. ...

Richard Smith (Consultor)

Não há ingenuidade, caro amigo Comentarista. O que acabou por lá foi a liderança ostensiva exercida pelos antigos "capi" e, melhor, a escaladade de desafios desassombrados ao Estado e, por decorrência, à toda a Sociedade. Vui como fazendo direitinho, com vigor e competência a coisa dá certo? Há que se fazer uma opção política firme em consonãncia com o que quer a Sociedade. O resto, são medidas. Agora, quando cada um fala uma coisa, cada um corre do dever e todos "batem cabeça" temos a situação que andamos assistindo. Desculpe ser pentelho, mas FATOS (=REALIDADE) se impõem por sí mesmos. Sempre. Um abraço.

Não pequemos pela ingenuidade, caro Richard Smi...

Comentarista (Outros)

Não pequemos pela ingenuidade, caro Richard Smith. Do jeito que a Itália é "vendida" ao mundo (e em especial a tal da "Operação Mãos Limpas), dá até a impressão que a máfia não existe mais por lá! Pura ingeuidade (de quem acredita nisso, é claro)!

Com relação ao monitoramento das conversas entr...

Richard Smith (Consultor)

Com relação ao monitoramento das conversas entre advogado e bandido, não irá resolver nada, pois sabedores da escuta nada falarão de importante, isto é óbvio. Mais importante, na minha opinião, é o que aconselah o juiz Fanganiello Maierovitch, profundo conhecedor da problemática que envolveu o combate ao crime organizado na Itália, amigo que foi inclusive dos juízes Borselino e Falcone, mortos pela Máfia (não está faltando muito para isto acontecer aqui não, diga-se de passagem. Acautelemo-nos). Ele relata que lá, se enfiaram os "capi" capturados em "trancas duras", indviduais, no interior do Norte do país, com severas restrições de visita (nada de vários advogados 3 ou 4 vezes por dia!) por anos e anos seguidos (Salvatore "Totó" Riina está guardado num RDD deste, desde 1993!) e monitorados 24 HORAS POR DIA! Dessa forma, lá, mesmo que um "advogado" passasse um celular para um preso, na primeira tentativa de uso do aparelho, ele seria descoberto. E punido! Porque lá não existe (mais) arreglo para bandido que acha que pode desafiar a sociedade. E é Itália, hein? Tem a União Européia, tem os ex-partidários dos comunistas, tão ruidosos quanto os PeTelhos de cá, tem o Vaticano, etc. E ninguém chia quanto à "extrema crueldade" de o Sr. Riina estar cumprindo pena de prisão perpétua numa solitária, para o resto da vida. Isso porque houve o consenso entre a Sociedade de que do jeito que as coisas iam, não dava mais. Quando as coisas irão ocorrer de modo semelhante aqui no nosso sofrido País? Apenas mais uma coisa: eu creio que existe um enorme desvio de persectiva na análise do problema criminal no País, por parte dos juristas, advogados, sociólogos, articulistas e outros, que se põem a dar "pitaco" face à fria letra da lei e das ás vezes exóticas interpretações "humanisticas", tão divorciadas da cruel realidade quanto utópicas. Os marginais tem "direitos" demais. Aqueles profissionais que se põem a puramente teorizar e palpitar já se deram ao trabalho de ir conversar com alguma pessoa que entenda do modo de pensar do marginal? Não precisa ser com pessoas tidas como "medievais" ou "brucutus" como os falecidos coronel Guimarães ou o Diretor Ismael Pedrosa (Deus os tenha) ou mesmo o coronel Guedes ou o Luiz Camargo Hofmann ex-diretores da Detenção. Podem começar, como aperitivo, com o Dr. Dráusio Varella ou com jornalistas de verdade como o Percival de Souza ou o Fausto Macedo. Mas tem que ser despidos de pré-conceitos e de caráter Rousseaunianas. Poderiam assim constatar com facilidade, que o marginal, ainda mais o mais "rodado" e perigoso é temerário, ou seja, ele, ao contrário dos demais cidadãos, não teme nem um pouco a lei escrita, mas sim, apenas as suas conseqüencias, (se houverem, claro!). Ele é oportunista (qualquer chance é boa!) e ele só teme, UM PODER MAIOR DO QUE O SEU. então, as seguidas "boiadas", oferecidas de "mão-beijada" ao marginal, longe de "estimulá-lo à ressocialização" (oh, que lindo!) apenas sinalizam para ele FRAQUEZA, fraqueza esta da qual ele procurará se aproveitar ao máximo. E o que é que nós temos feito? Meu pai sempre diz: "o que limita a ação do amrginal é o meio. Se ele conseguir abrir um buraco pequeno na parede de sua casa ele levará somente o que passar pelo buraco. Se o buraco for mairo e ele ainda conseguir furtar o caminhão que estava parado lá na esquina...Você vai perder tudo". Não podemos pautar a ação do marginal pélos nosso princípios, por ais bonitos que sejam. Não é realista! E a rfealidade se impõe como tal. Não existe esta história, no caso do hipotético ladrão acima de ele dizer: "Oh, coitados, eles tem crianças. Vou levar só a TV de plasma e a de 20 polegas, deixando a de 14 para eles assistirem à novela!" Idiotice! Fantasia! E das conseqüências de tantas idiotices e fantasias, já estamos cheios. Ou não?!

Contra fatos não há argumentos: A "matéria-p...

Comentarista (Outros)

Contra fatos não há argumentos: A "matéria-prima" humana para a formação do judiciário tupiniquim é exatamente a mesma, ou seja: Brasileiros e brasileiras. Logo, é de se concluir que o nível de corrupção e de maus profissionais deve ser exatamente o mesmo entre as várias instituições formadoras do meio jurídico nacional, ou seja: OAB, Magistratura, Ministério Público, Polícia Judiciária etc. (O que é extremamente lógico, pois "onde há o ferro há a ferrugem"). Por outro lado (e segundo dados de pesquisas sérias e independentes), a OAB é apontada como a instituição que, de longe, mais pune seus pares no Brasil. Logo, se há alguma instituição neste país que merceça "cortar a própria carne", parece que, por questão óbvia, esta instituição não se trata exatamente da OAB. Essa é a realidade dos fatos, contra os quais não há argumentos (queiram os hipócritas ou não). E esta é, data vênia, a minha opinião. Um grande abraço a todos.

Além de arbitrária, me parece inútil a medida. ...

prosecutor (Procurador de Justiça de 2ª. Instância)

Além de arbitrária, me parece inútil a medida. Gravações só oferecem resultado prático quando desconhecidas pelos interlocutores. Fica evidente que um advogado desonesto, na verdade um criminoso, travando contato com o "cliente" preso e sabendo que a conversa é gravada, não irá se auto-incriminar. Em resumo, além de arbitrária, a medida é inútil. E se nada comprometedor for gravado? Passa-se atestado de idoneidade? E o advogado honesto, que no diálogo com o cliente (cliente mesmo, não patrão preso), atribuísse crime a policial, a juiz ou a promotor? TEJE PRESO, DR!!! Absurdo completo a proposta.

A Revista "Época" desta semana publicou o resul...

Daniel Oliveira (Advogado Autônomo - Empresarial)

A Revista "Época" desta semana publicou o resultado de uma votação levada a efeito que apurou quem é o maior brasileiro da História. O vencedor foi Rui Barbosa. Rui Barbosa, patrono dos Advogados, com certeza, está se retorcendo no túmulo. Ninguém mais do que o "Águia de Haia" defendeu com tanta obstinação os direitos fundamentais do cidadão. Mas assim como os Advogados de hoje, Rui era discriminado por seus posicionamentos em favor da liberdade e da justiça. Perdeu muitas batalhas, mas travou-as com tenacidade e boa fé. O despreparo de Governador interino do Estado de São Paulo - em opinar pelo monitoramento do contato advogado-cliente - lembra, sem qualquer diferenciação, o autoritarismo contra o qual Rui se arvorou no início do século passado. Nada mudou. Ainda temos a figura dos que defendem intrasigentemente e com responsabilidade a liberdade e a celebração dos direitos humanos fundamentais e que, infelizmente, estão fora da Política, posto que não são entendidos por nossa população mal instruída. E ainda temos a figura do político autoritário que, desde o limiar do século XX, com seus discursos fascistas e ineficazes, conseguem a simpatia do eleitor e conseguem, como de fato conseguiram, transformar o nosso País num paraíso para o crime organizado.

O excelente artigo de José Luis de Oliveira Lim...

toron (Advogado Sócio de Escritório)

O excelente artigo de José Luis de Oliveira Lima merece nosso irrestrito aplauso. É inaceitável que se queira otimizar os mecanismos de repressão rasgando a lei. Amanhã alguém vai propor a adoção da tortura como meio eficaz ou, ao menos, facilitador da descoberta do autor do crime. Isso, mais que inaceitável, é abominável. Querem rasgar a Constituição democrática e adotar os padrões de outrora, da ditadura. Vamos lutar contra o obscurantismo. O mais grave em tudo é que a proposta vem de um homem digno e sério, que é professor de direito. Alberto Zacharias Toron, Conselheiro Federal, Presidente interino da Comissão Nacional de Prerrogativas

Dr. José Luís O. Lima, o senhor é daqueles caus...

Armando do Prado (Professor)

Dr. José Luís O. Lima, o senhor é daqueles causídicos que agigantam a profissão tão em baixa ultimamente. Seu comentário tem destino certo e claro: os fascistas que tanto infortúnio causaram ao país. Não precisamos de retornos a tempos que envergonham Pindorama. Bem lembrado pelo presidente da OAB: esse Lembo que está governador, é o mesmo que serviu com alegria os generais de plantão e dirigiu o "partido" da ditadura aqui na Cafelândia. Age como se não tivesse nada com tudo que está aí. Vamos assumir as responsabilidades, e a sua governador é ter servido o "picolé de chuchu" e, portanto, ser, também, responsável pelo descalabro na segurança e educação.

Comentar

Comentários encerrados em 19/09/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.