Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Despertar do cidadão

Onde está a consciência do povo sobre o que ocorre no país?

Por 

O dicionário nos diz que consciência é a faculdade de estabelecer julgamentos morais dos atos realizados. No universo social, é a noção ou idéia sobre certos acontecimentos importantes à vida do povo.

Falemos do óbvio. Estamos no Brasil, país onde se tem assistido ao espetáculo de verdadeiros atentados à consciência moral (faculdade de distinguir o bem do mal) de seus indivíduos, em razão da corrupção desenfreada de governantes.

Mas, apesar de tantas evidências, o que se esboça e prenuncia no horizonte próximo das eleições? Aparentemente, pelas seguidas pesquisas de opinião, o continuísmo daqueles que se têm servido do poder, em prejuízo do povo e visando objetivos particulares, a desserviço da nação.

Então se indaga: que população é esta, que, tapando os olhos e fechando os ouvidos, se nega a reagir, a pensar, a refletir e, discernindo, tomar consciência daquilo que moralmente lhe convém?

Então se questiona: onde está a consciência individual e coletiva sobre tudo quanto tem acontecido neste país? Onde a noção do bem e do mal; mais que isto, de que este não se pode sobrepor àquele, sem ferir princípios ético-morais insuperáveis?

Triste constatar, na quadra de vida nacional presente, da ausência dos indispensáveis julgamentos morais dos “atos dos gerentes-regentes do Brasil”. Ao que se vê, por piores sejam, invariavelmente absolvidos, numa sensação de impunidade inconcebível, a esmagar o senso médio dos homens de bem.

Parafraseando o grande Rui Barbosa, infelizmente, os tempos são chegados; aqueles, do comprometimento do caráter, dos gritantes desvios de conduta e da insensatez da notória falta de vergonha. Tudo, sob o manto protetor de uma sociedade, em grande parte, inda incapaz de discernir, porque despreparada a tanto.

Do que se entrevê, reina a inconsciência coletiva de indivíduos inaptos a verificar o que é bom e mau e fazer escolhas apropriadas à prevalência do que melhor lhes convém e à sociedade brasileira.

Do que se apercebe, o horizonte das coisas honestas — referência duma sociedade melhor — é algo fugaz, condizente a honrosas consciências esclarecidas e a se perder na imensidão da inconsciência quase geral de criaturas escravizadas pela ignorância.

São estes os tempos vividos e por viver, em que tudo, praticamente, pode acontecer, ao largo da triste realidade de um povo retalhado e cativo da falta de senso crítico, a estimular sua manipulação pelos abutres de plantão.

Estes são os tempos, chegados, em que se tem vivido por viver, na aceitação de qualquer coisa, ao atropelo de julgamentos irreais e fictícios, que mais nos farão sofrer, à distância da ética da verdade que nos deveria nortear os destinos.

Existe um ditado popular, antigo, que diz que cada povo tem o governo que merece. Parece-nos ser este o caso, de um povo sofrido e inconsciente que, nutrindo-se do sofrimento, o faz prevalecer e perpetuar, num ciclo vicioso de terríveis proporções.

Mas, como se sabe, a natureza não dá saltos, fazendo-se preciso a ação do tempo para o amadurecimento de consciências que dormem, ao talante de tempos futuros de renovação.

Não nos custa, pois, em que pese tudo isso, renovar a esperança no dia de amanhã, certos de que, em meio à escuridão da inconsciência presente, se fará refletir o clarão luzidio da consciência nascente.


 é juiz de Direito

Revista Consultor Jurídico, 9 de setembro de 2006, 7h00

Comentários de leitores

24 comentários

Meu caro amigo Rafael: Eu geralmente evito a...

Richard Smith (Consultor)

Meu caro amigo Rafael: Eu geralmente evito as piadas de cunho religioso. Essa sua, apesar de muito boa, infelizmente é blásfema sim, por banalizar a doce figura de Nosso Senhor, e eu sinto que é minha obrigação de irmão dizer isso a você (Esperando que você não se aborreça comigo por isso) No mais, mantenho a minha opinião. O que eu quis dizer, e isso apenas com um exemplo entre tantos, é que o Brasil precisa de pessoas preparadas, com espírito de missão e dispostaas a envidar os melhores esforços na promoção do bem-comum e da potencialização das qualidades deste povo tão generoso, mas que vem se abastardando, cada dia mais, por conta desses governos mediocres e indignos da grandiosidade deste mesmo povo! Se você considera que a questão dos uniformes e de uma pequena melhoria nos soldos ser substantiva, permita-me divergir. Não é porque este governo não submete os militares às mesmas humilhações do outro é que cumpre as suas obrigações na medida do mínimo necessário. E a questão por mim colocada como exemplo, creio ser das mais sensíveis e importantes. E o que dizer da "sabugada" que vamos levando do "compañero" Evo? E o que dizer da reedição da equivocada politica externa "terceiromundista" do Chanceler Silveirinha de Geisel? O Uruguai está indo embra de "finininho" do Mercosul? Nem o Paraguai e nem a Bolívia nos respeitam mais? A "onirica" aliança entre India, China, (nossos maiores concorrentes!) Africa do Sul e Brasil, nunca sairá das mentes dos "barbudinhos" do Itamaraty! E assim por diante. Meu caro amigo, vejo com imenso pesar e preocupação o futuro imediato do nosso País. Quanto ao mediato, o Brasil sempre foi muito maior do que qualquer crise e sempre nos houvemos com criatividade e humor ante aos maiores problemas. Agora "dar mole" também... O meu voto é Alckmin, à mingua de coisa melhor e confiando muito no seu taco e na ajuda de Deus também. Um abraço grande a você.

Caro Richard, Você realmente demonstra ser u...

Rafael Leite (Assessor Técnico)

Caro Richard, Você realmente demonstra ser uma pessoa razoável em seus comentários e ser possuidor de inteligência, contudo, seguindo a mesma linha argumentativa não chego as mesmas conclusões que você... Inicialmente, uma simples piada não é blasfêmia, não atinge a divindade, pensar o contrário é concordar com a mesma insensatez que ocorreu no caso das caricaturas de Maomé. Quanto ao governo ter feito pior em relação aos militares só pode ser fruto de seu desconhecimento, eu como tive oportunidade de servir ao exército durante o governo do "Fernandinho" vi e senti na própria pele o estado de penúria em que se encontravam as forças armadas. Já agora a situação ficou menos gravosa, ao menos dinheiro para farda há, como vi na sexta-feira que se passou em que fui visitar a organização militar em que servi. E se você parar para perguntar para qualquer militar com certeza ele lhe informará que agora ao menos se consegue dinheiro para funcionar. Quanto ao "Picolé de Chuchu" acredito que ele seja tão bom quanto qualquer outro político no aspecto moral – já que o problema não é de um ou de outro e sim da classe –sendo possuidor de considerável competência administrativa, é inegável, mas como você destacou ele está inserido num partido que o colocou de boi-de-piranha, e caso ele vença será essa mesma caterva que ocupará os cargos no poder, trazendo um governo semelhante ao de 4 anos atrás... e sinceramente não é isso o que eu quero.

Na boa Rafael, é até engraçado e, não fosse blá...

Richard Smith (Consultor)

Na boa Rafael, é até engraçado e, não fosse blásfemo, seria mais engraçada ainda. Todavia, acredito que você saiba que várias das coisas ali descritas, são "menas" verdade. Outras tantas... Apenas para dar um exemplo: você sabia que quando recebemos o Mirage, em 1972/73 ele havia sido usado na Guerra dos Seis Dias apenas CINCO anos antes? Quando recebemos o F-5 em 1975, ele havia sido usado na Guerra do Vietnã, DOIS anos antes? A Guerra do Golfo foi em 1991, portanto há QUINZE anos atrás. Temos algum F-15, F-16 ou F-18, lá utilizados, por aqui, uma dúzia que fosse? Você sabia que o Caxias, O MELHOR TANQUE DO MUNDO (vencedor do A-1 Abrams na concorrência internacional saudita, ANTES da Guerra do GOlfo) estava recolhido, depois da falência da Engesa, e quase foi derretido como sucata? E que o submarino nuclear brasileiro, monumento à criativiade brasileira na solução de problemas, aparentemente nuca sairá do papel, apesar de mais de 25 anos de trabalho? Que a principal fonte de diferendos internacionais nos próximos anos (seria daqui a 25 mas já se tornará problema daqui a CINCO anos!!!) será a ÀGUA? Que existem regiões no Arizona e no Novo México nas quais não está mais se valendo a pena plantar porque o custo de hidratação das culturas é proibitivo? E da pecuária, muito mais ainda? E que para o americano médio isto é um escândalo? Que existem regiões na India e, principalmente na China aonde não dá mais para plantar em grande parte do ano (o que às vezes quer dizer NUNCA) por falta de perenização dos rios? Porque eu estou falando isto? Simples, porque o Brasil tem a MAIOR reserva de água do MUNDO? 62% da qual se encontra na Amazônia. Porque o criminoso (neste aspecto) governo Fernando Henrique deixou os nossos militares à mingua! E o que acontecerá, um dia, quando os olhos do mndo sêco se voltarem para nós?! Você pode imaginar?! Mas, se por exemplo isso tudo foi muito ruim, o governo "que aí está" FEZ MUITO PIOR! E agora José? E agora Rafael? Não estamos numa competição pelos ruins e pelos defeituosos. estamos numa competição, DE VIDA OU MORTE, pela eleição dos melhors e mais capacitados possíveis, que tenham caráter, que tenham padrões morais e um mínimo de sensibilidade para os temas de amior importãncia para o País e capacidade para eqüacionar a sua solução! E dentre todos os candidatos que se apresentam, você acredita mesmo, ainda mais depois de tudo o que se passou, que o Sr. Luiz Inácio "Eu-não-sei-de-nada" da Silva seja o candidato que preeenche essas demandas? E que o Sr. "Picolé de Chuchu" seja um homem tão escroto, tão vazio e dsprovido de qualidades? Há, tenha a paciência! O que eu relatei acima é apenas UM, de vários e ingentes problemas que deveriam ter começado a ser enfrentados há muito tempo já. Você parece não perceber que Geraldo Alckmin foi o candidato escalado pelo PSDB para PERDER e tudo por conta das ambições pessoais, egoístas e suicidas de gente como Serra e Aécio, além de Jereissati et caterva. O tempo do PSDB de Montoro, FHC, Covas e outros, já foi faz tempo e olhe que eles já tinahm os seus erros, já naquela época, hein? Será que Alckmin, eleito meio que "sem dever nada a ninguém" não poderia realmente ser uma grata surpresa? Um abraço.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 17/09/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.