Consultor Jurídico

Comentários de leitores

23 comentários

Para leitura e meditação: "A MAIORIA SE ...

Richard Smith (Consultor)

Para leitura e meditação: "A MAIORIA SE TORNOU CÚMPLICE DE LULA Está aí o resultado das urnas, confirmando as pesquisas de opinião. Há vários textos da mídia tratando da divisão do Brasil. Olhando secamente a porcentagem dos dois candidatos, pode-se indagar: mas que divisão? Trata-se de quase dois terços de Lula contra pouco mais de um terço de Alckmin. A maioria é muito convincente. É verdade. Mas, hoje, são grupos que se mostram inconciliáveis. A tarefa de Lula não será fácil. Especialmente porque a força que dividiu o Brasil tem uma feição inequívoca: VALORES ÉTICOS E VALORES MORAIS. Sim, é verdade que a campanha do PT fez o Brasil regredir uma década no debate sobre as privatizações, por exemplo. Faça-se agora uma pesquisa, e se vai constatar que a maioria dos brasileiros não só é contrária à privatização da Petrobras — sem ter a menor noção do que isso significaria — como certamente se opõe à privatização já havida da Telebrás: e, pior nesse caso, porque tendo não a noção, mas a experiência do que ela significou: praticamente a universalização do telefone, celular ou fixo. Mesmo assim, a onda terrorista criada pelo PT pegou. Mas ela apenas serviu para referendar uma escolha que já estava clara no primeiro turno — e que, na verdade, marcou as pesquisas desde que Alckmin foi escolhido candidato: a maioria preferia Lula. E sempre preferiu a despeito das evidências de corrupção em seu governo. Existe, sim, uma divisão no país, mas ela é menos de intenção e de propósitos do que propriamente de apreço por alguns valores. Quando brinquei no blog que queria uma 'democracia sem povo', alguns bobalhões me tomaram a sério. Queria chamar a atenção para o fato de que está dando 'Lula de novo com a culpa do povo'. O que isso significa? Certamente compõem uma percentagem desprezível do eleitorado os que IGNORAM as evidências de corrupção contra o governo Lula. Não são acusações corriqueiras. Pergunta-se por aí muitas vezes: 'Qual a diferença entre o que acontece agora e o que acontecia antes, nos outros governos'? É enorme. Trata-se da distância entre a parteira e o obstetra, entre o batedor de carteira e o mafioso. Estamos falando de PROFISSIONALIZAÇÃO E MÉTODO no assalto ao Estado. Mas não é só isso: essa expertise que foi sendo adquirida está a serviço, também, da construção de um projeto de poder — e, disso, com efeito, o tal 'povo' não tem a menor noção. Tal conhecimento é privativo das elites políticas. E, ainda assim, são poucos os que reconhecem que um partido está tentando mudar a natureza da democracia brasileira. Acate-se, para a grande votação que Lula teve, a justificativa que se quiser — e vou abordar em outro texto a questão econômica, o Bolsa Família, os erros da oposição —, uma coisa, no entanto, é certa: pobre, rico ou remediado, quem votou em Lula disse 'sim' ao padrão ético do seu governo. Quando falo em 'culpa do povo', faço-o porque tenho o mau hábito (para os demagogos de plantão) de não tomar a maioria dos brasileiros por inimputáveis. Todos sabiam muito bem o que estavam fazendo. A MAIORIA DO ELEITORA SE TORNOU CUMPLICE DO GOVERNO, ESCOLHENDO O SEU DESTINO. Se eu considerasse esse povo inocente, movido pelo estômago, defenderia que fosse proibido de votar. Não! O povo é maior de idade." do Blog de REINALDO AZEVEDO (todos os grifos são meus)

Professor, PeTralha fujão e "borra-cuecas", v...

Richard Smith (Consultor)

Professor, PeTralha fujão e "borra-cuecas", você já conseguiu responder ao meu DESAFIO e provar as sandices que você escreveu outro dia contra a Igreja Católica? Ou vai continuar fugindo? E sobre o apoio do Canalha Abortista Excomungado e o seu partido ao ABORTO, já achou algum "textozinho" do dirceu, do tão, do mino carta para tentar arrumar alguma desculpa esfarrapada? PeTralha canalha (rima ou pleonasmo?) FORA DELINQÜENTE(S), ALCKMIN PRESIDENTE! À VITÓRIA!!!

Duvido, amigo Bira: Brizola sabia das co...

Richard Smith (Consultor)

Duvido, amigo Bira: Brizola sabia das coisas. Ele disse que o "sapo barbudo" pisaria "até no pescoço da mãe" pelo "pudê", lembra?

Quem diria que viriamos sarney x collor x lula,...

Bira (Industrial)

Quem diria que viriamos sarney x collor x lula, amigos e cheiso de elogios. Brizola deve ter ataques no tumulo.

Não, na verdade "povo" são: o ex-presidente...

Richard Smith (Consultor)

Não, na verdade "povo" são: o ex-presidente da Arena sarney - e sua querida filha governadora do estado mais atrasado em desenvolvimento social do Brasil - o signatário do AI-5 e "Exterminador da Classe Média" delfim netto, o nosso Catão tropical paulo maluf, o ex-presidente Fernando Collor, o algemado jader barbalho, e tantos outros próceres que sobem ao palanque do Canalha Abortista Excomungado, o "destruidor de oligarquias"! Quá, quá, quá, quá! Tenha vergonha na cara, PeTralha caloteiro! FORA DELINQÜENTE(S), ALCKMIN PRESIDENTE!

Quá, quá, quá, quá! Como você é infantil...

Richard Smith (Consultor)

Quá, quá, quá, quá! Como você é infantil PeTralha Caloteiro! Estou "invisível", é? Bem que você e outros por aqui e no Blog "Eleições 2006" gostariam, né? Da próxima vez que tal você me chamar de "cara-de-mamão", hein? Ok. PeTralha caloteiro, sua opinião sobre mim eu já tomei conhecimento, mas e sobre o Canalha Abortista Excomungado e Lesa-Pátria, o seu partido e a seu projeto de lei instalando o ABORTO INTEIRAMENTE LIVRE NO PAÍS, hein? Neca? Nadinha? Nufas? p.s. Ficou "nervosa" com a notícia do "tracking", hein? Ah, e antes que eu me esqueça: é MAL-educado e não MAU-educado. Você tomou aulas com o professor, PeTralha caloteiro? No mais, obrigado por você fazer propaganda dos meus serviços profissionais, viu? FORA DELINQÜENTE(S), ALCKMIN PRESIDENTE!

Popular tardio Deve ter sido o clima de desp...

Robespierre (Outros)

Popular tardio Deve ter sido o clima de despedida, já que àquela hora não havia mais risco de insolação. Mas o fato é que Fernando Henrique surtou no comício de encerramento da campanha de Geraldo Alckmin, ontem, no fim da tarde, em SP. Crítico tardio do elitismo tucano que ele próprio personifica --e seus oito anos de governo cristalizaram em modos e estatísticas--, FH não teve pejo de invocar uma identidade até então secreta entre o PSDB e as massas populares que costumam perambular pela imensidão do Vale do Anhangabaú. Ressalte-se que aquele logradouro lendário do comício pelas Diretas, que contou com um milhão de pessoas, mostrava-se, naquele instante, levemente salpicado de esforçados correligionários. Que tentavam emprestar algum brilho ao crepúsculo da candidatura Alckmin. Lá pelas tantas FH descompensou. E saiu-se com essa: "Não vem com essa conversa, não, nós somos é povo, nós somos é povão!!". Disse-o com todas as letras. Exaltado. Talvez dois tons acima do clima. Assim se deu. Patético, o líder tucano encerrou sua intervenção em palanque eleitoral, evocando as massas, o povo, o superlativo povão constituído por delegações oriundas das profundezas do "Brasil atrasado" que a modernidade tucana tanto rejeitou, que nunca tiveram espaço, nem se reconheceram, em seu projeto de nação. enviada por Zé Dirceu

26/10/2006 - 15h40 Lula mantém vantagem de 2...

Robespierre (Outros)

26/10/2006 - 15h40 Lula mantém vantagem de 22 pontos sobre Alckmin, diz Vox Populi SÃO PAULO (Reuters) - O presidente-candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) manteve uma vantagem de 22 pontos percentuais contra seu adversário Geraldo Alckmin (PSDB), considerando-se apenas os votos válidos, mostrou pesquisa Vox Populi divulgada pela revista Carta Capital nesta quinta-feira. A sondagem mostra que Lula venceria a corrida presidencial com os mesmos 61 por cento dos votos válidos --que excluem brancos, nulos e indecisos-- que apresentava na semana passada. No total entre os votos estimulados, o petista seguiu com 57 por cento. Alckmin continuou com 39 por cento dos votos válidos da sondagem anterior --37 na pesquisa estimulada. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. Ainda de acordo com o levantamento, divulgado no site da Carta Capital, os dois candidatos perderam 1 por cento na pesquisa espontânea: 56 para o petista e 36 para o tucano. No Sudeste, região na qual Alckmin ganhou no primeiro turno por pequena margem e que comporta 50 milhões de votos, Lula agora tem vantagem de 9 pontos percentuais. Na sondagem de 13 de outubro, o petista vencia por 6 pontos.

...smith, já que v. insiste tanto em saber sobr...

Robespierre (Outros)

...smith, já que v. insiste tanto em saber sobre ABORTO, lá vai: o único ABORTO que conheci aqui no conjur é você. richard v. é um ABORTO da natureza. ...todos os tucanos, exceto o aborto richard, são respeitáveis e passíveis de diálogo. o único incauto - lembra-se? - é o aborto richard: mau (contrário de bom0 e mal (contrário de bem) (ah,ah,ah,ah,ah,ah,ah,ah,ah) educado, desbocado, ignorante e que não entende patavinas - lembra-se? - de nada. cada verborragia dele é um voto a menos do geraldinho. ...minhas escusas aos demais tucanos, todos discordantes mas, suficientemente civilizados, para uma discussão sobre assuntos políticos. ...depois do que o aborto richard escreveu e escreve aqui que "parte" o cotrataria para uma perícia e/ou cosultoria? só se quiser perder "de plano"... richard, o aborto, vou fazer com v. o que as crianças fazem com os chatos de galocha: v. está invisível. gente, o richard, o aborto, está invisível. ...lá vem latidos, grasnidos, ranger de dentes, palavrões de corar seguidores da opus dei, mas ele está invisível...

Vale a pena ler. Leia a íntegra da entrevi...

Armando do Prado (Professor)

Vale a pena ler. Leia a íntegra da entrevista de Mino Carta: Paulo Henrique Amorim: Mino, qual é o teu título na revista, é editor-chefe? Mino Carta: Ah, não. Editor-chefe é uma coisa de americano. Aliás, me revolta. Ainda vou escrever um post sobre isso, sou diretor de Redação. Existem redatores-chefes, secretários de Redação, redatores, repórteres. Paulo Henrique Amorim: Esse não é o nosso tema! Mino Carta: Editor-chefe nos Estados Unidos é o mandão supremo. E vamos parar de falar editor-chefe quando queremos dizer redator-chefe. Porque senão confunde e me enche o saco. Paulo Henrique Amorim: E você é diretor de redação. Mino Carta: Isso. Em inglês chamam de management editor. Se quisermos chamar de management editor, já que o Brasil copia os Estados Unidos em tudo e por tudo como uma caricatura, então digamos management editor para o redator-chefe. Não é o meu caso. I am the editor. Ponto. Editor in chief é o manda-chuva supremo. Basta, com esse jornalismo de merda. Paulo Henrique Amorim: Vamos gravar, Mino? Mino Carta: Vamos. Paulo Henrique Amorim: Eu vou conversar agora com o Mino Carta, que é diretor de redação da revista Carta Capital. Como vai Mino, tudo bem? Mino Carta: Vai muito bem, muito bem. Paulo Henrique Amorim: Mino, você lança amanhã, a partir das bancas de São Paulo, uma edição extra da revista Carta Capital. Não é isso? Mino Carta: Sim, sim, exatamente. Paulo Henrique Amorim: Uma edição, portanto, antes da eleição. Mino Carta: Isso. Paulo Henrique Amorim: E quais são as atrações dessa edição extra, se podemos antecipar desde hoje, agora. Mino Carta: Primeiro, a última pesquisa, antes do pleito, da Vox Populi. Inclusive municiada por um brilhante artigo do Marcos Coimbra. Paulo Henrique Amorim: Muito bem, e você pode nos dizer o que diz essa pesquisa em seus números gerais? Mino Carta: Olha, em seus números gerais, acho, porque ainda não tive em meu poder os números definitivos, mas ao que tudo indica, 22 pontos acima para o Lula. Paulo Henrique Amorim: Lula com 22 pontos de diferença. Mino Carta: É, de diferença. Paulo Henrique Amorim: E esse artigo do Marcos Coimbra é sobre que tema? Mino Carta: É sobre toda, a análise dessa pesquisa evidentemente, desse avanço espantoso. Paulo Henrique Amorim: Você já pode dizer como se explica esse avanço no segundo turno, do Lula? Mino Carta: Eu posso dizer que... temos aí vários elementos. Eu não sou o Marcos Coimbra, eu quero deixar bem claro. Paulo Henrique Amorim: Eu sei! Eu quero saber a sua opinião. Mino Carta: A minha opinião é a seguinte: eu acho que, primeiro, os debates foram enfadonhos. O primeiro não, porque era o primeiro. Mas os demais se repetiram. Além de usar gravata amarela, o candidato Alckmin é muito mauricinho, né, muito lustroso. Não convence. O Lula, naturalmente, tem o apoio de quem se identifica nele. Acho que muita gente que no primeiro turno votou em Heloísa Helena, em Cristovam Buarque etc e tal optou por Lula praticamente porque achou que, afinal, era o melhor candidato entre os dois que se apresentam. Existem outras inúmeras razões. A tramóia da mídia, a tentativa desesperada da mídia de criar problemas... Paulo Henrique Amorim: No primeiro turno. Mino Carta: No primeiro turno, acaba sendo desmascarada, né. Então, isso contribuiu, eu acho que contribuiu bastante. Eu acho que convinha uma reflexão mais séria à mídia nativa. Paulo Henrique Amorim: Você acha que a oposição menosprezou a capacidade do Lula de se safar do debate na televisão. Mino Carta: Não... Eu acho que talvez sim. Eles sempre acham que o Lula vai tropeçar na sintaxe, essas coisas. Mas eu acho que, no fundo, eles começaram a ficar apavorados depois do primeiro debate. Tentaram vender a idéia de que o Alckmin tinha ganhado o primeiro debate, e olha, fui um dos poucos que disse: “não, o Lula ganhou já o primeiro debate”. O Lula sabe rir. Ele ri, ele sorri. O outro não, é uma pedra. Me lembra muito Buster Keaton nas suas melhores interpretações. E ele fala, fala, repete as mesmas coisas, fala de uma forma empolada, né. Agora, nessa próxima edição tem também um debate do Raimundo, o que posso dizer sobre isso sobre o famoso procurador Avelar. Paulo Henrique Amorim: Ah, é? O Raimundo Rodrigues Pereira fala numa reportagem sobre o Avelar? Mino Carta: É, uma reportagem-debate. Paulo Henrique Amorim: Como assim? Mino Carta: Um debate, ele contra o Avelar. É muito interessante. Lembramos que o Avelar é o homem do caso Lunus, né? Paulo Henrique Amorim: Sim. Caso Lunus e agora do caso Íbis. Mino Carta: Sim, claro. Paulo Henrique Amorim: E o que você poderia nos dizer para nos preparar sobre esta reportagem-debate do Raimundo? Mino Carta: Vai ser “desopinante”, “desopinante” do fígado, como se dizia em outros tempos. Quando um dos caras agarrava um lóbulo do ouvido e dizia “é da pontinha”... Paulo Henrique Amorim: Mino, e qual é o tema da sua carta do editor? Mino Carta: Eu evoco as vezes em que estive com o Raimundo, a começar pela reportagem sobre a tortura, de 1969, na revista Veja, que se seguia à escolha feita nos altos escalões militares, seguida pela aprovação do Congresso. Aquela pantomima que chamavam eleição. Já estávamos nessa. Conto a história daquela memorável reportagem. Depois falo de um debate no teatro Ruth Escobar que foi proibido inicialmente e acabou indo ao ar, muito interessante, sobre mídia, em 76. Havia inclusive na platéia um jovem Luis Nassif, que interpelou asperamente Ruy Mesquita. E depois ele chegou aos dias de hoje. Paulo Henrique Amorim: E de certa maneira ele enfrenta e ganha do assim chamado Ali Kamel, o chamado Ratzinger da Globo? Mino Carta: Certamente. Paulo Henrique Amorim: Ou ex-Ratzinger, não se sabe... Mino Carta: Não se sabe como vai acabar, se vão lhe comer o crânio, como fez o conde Gulino na prisão de Pisa. Paulo Henrique Amorim: Você se refere certamente à Divina Comédia. Mino Carta: Eu soube que você escreve sobre a Ilíada. Paulo Henrique Amorim: Não, mas este não é o assunto (risos). Então quer dizer que a edição chega amanhã às bancas? Mino Carta: Isso. Paulo Henrique Amorim: E você fará uma edição após a eleição? Mino Carta: Faremos uma espécie de resumo das reportagens anteriores e estamos apresentando as reações da imprensa, inclusive dos que nos ofendem. Não sei por que nos ofendem, não precisa ofender. Diga que você tem outra opinião, tudo bem. Nós não queremos somente dar uma opinião, queremos informar corretamente, só isso. Nós partimos de um princípio: eu, você, Raimundo. Não estamos tomando partido de ninguém, de quem quer que seja. Jornalismo se pratica assim. E eles não sabem. O jornalismo nesse país é ridículo. Paulo Henrique Amorim: Você fará outra edição da Carta Capital logo após a eleição ou não? Mino Carta: Não, esse é um extra. O próximo sai na segunda-feira, porque não podemos sair na sexta, dizendo o quê? Paulo Henrique Amorim: E você não tem ainda o título da capa? Mino Carta: Ah, sim. Paulo Henrique Amorim: Sim? Mino Carta: Sim, não tenho. Paulo Henrique Amorim: Porque você sabe que agora o Fernando Henrique introduziu essa questão, né? Quando ele fala “não” ele diz “sim”, porque depois do “não” vem a virgula. Mino Carta: Sim, é como a Sibilla de Cuma, né? Quando ele dizia “ibis, redibis, non morieris (o peribis) in bello”. E aí o cara morria e ele dizia não, não, peraí, eu não disse “ibis, redibis, non morieris (o peribis) in bello”. Eu disse “ibis, redibis non, morieris (o peribis) in bello”. Paulo Henrique Amorim: É isso, agora entendi o Fernando Henrique (risos). Mino Carta: Viu, você não lê os meus “posts”. Aliás, você não sabe como me alegra escrever um “post”... essa palavra me deixa com arrepios na coluna... Paulo Henrique Amorim: Tá bom, Mino.... (risos)

E só para você não ficar cahteado comigo PeTe...

Richard Smith (Consultor)

E só para você não ficar cahteado comigo PeTelho Jacir: LULLA PARA PRESIDENTE! (Presidente Bernardes ou Presidente Venceslau...)

Quanto a você PeTelho (ou será PeTralha?)Jacir,...

Richard Smith (Consultor)

Quanto a você PeTelho (ou será PeTralha?)Jacir, cante vitória DEPOIS da apuração, viu? Senão você corre o risco de ficar sem sentar bastante tempo por causa da "sabugada", como muitos PeTralhas que pululam aqui neste espaço ficaram, depois do primeiro turno, como o nosso amigo Comentarista, que deve ter falecido de desgosto, visto que nunca mais nos deu o prazer da sua presença.

Ah, e antes que eu me esqueça: é MAL-educado e ...

Richard Smith (Consultor)

Ah, e antes que eu me esqueça: é MAL-educado e não MAU-educado. Você tomou aulas com o professor, PeTralha caloteiro? No mais, obrigado por você fazer propaganda dos meus serviços profissionais, viu? E sobre a ligação entre o Canalha Excomungado/PT e o ABORTO, hein?

Éeeeeeeeeeeeeeeeeeeee..... tem algumas pessoas ...

Jacir (Estudante de Direito)

Éeeeeeeeeeeeeeeeeeeee..... tem algumas pessoas que não suportam a derrota. ALCKMIN PRESIDENTE! JÀ era.....hheheheheheh Pode se mobilizar para outras ações, que esta de colocar o PSDB/PFL no poder já foi pela ribanceira. hahahahahahahahahahahahhahahahahahahahahahhahahahahahhahahahahahahah. LULA--- Presidente!!!!!!!!!! denovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovodenovo.

p.s. Quá, quá, quá, quá! Como você é inf...

Richard Smith (Consultor)

p.s. Quá, quá, quá, quá! Como você é infantil PeTralha Caloteiro! Estou "invisível", é? Bem que você e outros por aqui e no Blog "Eleições 2006" gostariam, né? Da próxima vez que tal você me chamar de "cara-de-mamão", hein? E quanto ao ABORTO, PeTralha? Neca? Nadinha? Nufas? Quá, quá, quá, quá! PeTralha canalha (rima ou pleonasmo?)

Ok. PeTralha caloteiro, sua opinião sobre m...

Richard Smith (Consultor)

Ok. PeTralha caloteiro, sua opinião sobre mim eu já sei, mas e sobre o Canalha Abortista Excomungado e Lesa-Pátria, o seu partido e a seu projeto de lei instalando o ABORTO INTEIRAMENTE LIVRE NO PAÍS, hein? PeTralha canalha e caloteiro (e boquirroto também) FORA DELINQÜENTE(S), ALCKMIN PRESIDENTE!

...smith, já que v. insiste tanto em saber sobr...

Robespierre (Outros)

...smith, já que v. insiste tanto em saber sobre ABORTO, lá vai: o único ABORTO que conheci aqui no conjur é você. richard v. é um ABORTO da natureza. ...todos os tucanos, exceto o aborto richard, são respeitáveis e passíveis de diálogo. o único incauto - lembra-se? - é o aborto richard: mau educado, desbocado, ignorante e que não entende patavinas - lembra-se? - de nada. cada verborragia dele é um voto a menos do geraldinho. ...minhas escusas aos demais tucanos, todos discordantes mas, suficientemente civilizados, para uma discussão sobre assuntos políticos. ...depois do que o aborto richard escreveu e escreve aqui que "parte" o cotrataria para uma perícia e/ou cosultoria? só se quiser perder "de plano"... richard, o aborto, vou fazer com v. o que as crianças fazem com os chatos de galocha: v. está invisível. gente, o richard, o aborto, está invisível. ...lá vem latidos, grasnidos, ranger de dentes, palavrões de corar seguidores da opus dei, mas ele está invisível...

Quá, quá, quá, quá! "CNT/Sensus"! Não era aq...

Richard Smith (Consultor)

Quá, quá, quá, quá! "CNT/Sensus"! Não era aquele prostituto, digo, instituto que dava 56% para o Canalha Abortista Excomungado Lesa-Pátria e 32% para o Alckmin cinco dias antes do primeiro turno? Ah, bom! FORA DELINQÜENTE(S) ALCKMIN PRESIDENTE!

26/10/2006 - 11h58 CNT/Sensus mostra Lula ...

Armando do Prado (Professor)

26/10/2006 - 11h58 CNT/Sensus mostra Lula com 63,2% dos votos válidos Por Áureo Germano BRASÍLIA (Reuters) - A três dias do segundo turno, a reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) parece praticamente garantida, mostrou nesta quinta-feira uma pesquisa do instituto Sensus, encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). Lula tem 63,2% dos votos válidos, contra 36,8% de Geraldo Alckmin (PSDB). A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais. "Acredito que essa é uma eleição definida. As diferenças estão se alargando", disse a jornalistas Ricardo Guedes, coordenador da pesquisa.

Caros amigos e leitores: Como o "aparelh...

Richard Smith (Consultor)

Caros amigos e leitores: Como o "aparelhamento" deste espaço virou norma entre os PeTralhas, tomo a liberdade de reproduzir abaixo, comentários do Blog "pitacos políticos", para conhecimento e apreciação: O alto comando da campanha tucana trabalha com dois trackings diários, um do Instituto IPSON, outro do IBOPE. Um deles está dando 7% de vantagem pró-Lula e outro, 12%. Os tucanos, para efeitos externos, trabalham com a média de 9 pontos percentuais de diferença. Um “general tucano de 3 estrelas” segredou para Pitacos que hoje de tarde, um novo tracking estava dando empate técnico, ou seja, diferença já na margem de erro. Tibério pediu para passarmos o recado tal como ele recebeu. "O sujeito tem credibilidade, não iria me dar este dado à toa", respondeu Tibério quando perguntei mais de uma vez se ele tinha ouvido corretamente. Este mesmo dirigente passou uma informação bombástica. O tracking petista fecha todo dia às 22h00. Lá pelas 19h00, estava dando uma vantagem pró-Lula abaixo de 10 pontos. Estes dados confirmam o que nosso marqueteiro nos vem informando. Existe a diferença, é grande, mas não é impossível revertê-la. Até ontem não se estavam detectando mudanças de vento. As informações de hoje começam a apresentar novidades, no sentido de tendências, que apontam discretamente para o crescimento de Geraldo Alckmin. Não há surpresas, pois a definição de votos de parcela decisiva do eleitorado costuma acontecer nos dois ou três dias que antecedem o pleito. César Maia hoje, em seu ex-blog, discute esta questão, indo até mais longe, falando das definições de sábado para domingo. O Prefeito do Rio roga para as classes médias do sul e sudeste não se ausentarem no domingo, pensando que seu voto não significa mais nada. 'Transmita aí um recado para os nossos leitores', gritou Tibério no celular, já rouco. 'A opinião geral dos generais de 3 e 4 estrelas com quem acabei de conversar é a de que nada está decidido'. A opinião unânime, mesmo entre os mais pessimistas, é que a virada ainda é possível." Pronto, passei o recado tal qual recebi. FORA DELINQÜENTE(S), ALCKMIN PRESIDENTE!

Comentar

Comentários encerrados em 2/11/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.